Ricardo Tacuchian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ricardo Tacuchian (Rio de Janeiro, 1939) é um maestro e compositor brasileiro, Doutor em Música pela University of Southern California. Suas composições são executadas na Europa e na América Latina e sua discografia está disponível em CD e LP. Além de publicações de artigos e contribuições acadêmicas, Tacuchian também ministra palestras no Brasil e no exterior.

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
           Ricardo Tacuchian    Maestro e Compositor. (Rio de Janeiro, 1939)

Ricardo Tacuchian é compositor e regente. Graduou-se em Piano (1961) e em Composição e Regência (1965) pela UFRJ, onde também concluiu os cursos de pós-graduação em Composição e em Regência. É doutor em Composição pela University of Southern California. Sua obra com 250 títulos, já foi tocada na Rússia, em quase todos os países europeus, no Canadá, Estados Unidos e América Latina.. Já teve mais de 1800 apresentações de sua obra ao vivo Foi compositor convidado de inúmeros Festivais internacionais, entre eles o Other Minds Festival (San Francisco, CA), Sonidos de las Américas, Brasil (Carnegie Hall, NYC,). North/South Consonance Concert Series (NYC) e Apollon-Stiftung Poesie & Musik (Alemanha). No Brasil, sua música faz parte do repertório das principais orquestras sinfôncias e de proeminentes recitalistas. Já recebeu Bolsas da Fulbright Commission, CAPES, CNPq, Rockeffeler Foundation, entre outras, inúmeras encomendas de obras de instituições no Brasil e no exterior, e títulos honoríficos da Pi Kappa Lambda National Honor Society (USA), University of Southern California (Academic Achievement Award), International Biographical Centre, Inglaterra (International Man of the Year - Music), União Brasileira de Escritores (Personalidade Cultural Internacional), Universidade Federal de Santa Maria (Medalha de Visitante Ilustre e Regente Honorário da Orquestra Sinfônica de Santa Maria), Academia de Letras e Música do Brasil, Brasília (Láurea Medalha do Mérito Carlos Gomes) e American Biographical Institute, USA (Personality of the Year), entre outras. Seu nome é referido no Die Musik in Geschichte und Gegenwart, MGG (2007), New Grove Dictionary II (2001) e no Baker’s Biographical Dictionary of Musicians (2000), entre muitos outros livros nacionais e estrangeiros de referência. Possui mais de 70 itens discográficos em CD, além das gravações em LP. Quatro CDs são dedicados exclusivamente à sua obra: Estruturas (a música de câmara do compositor na década de 70; selo RioArte Digital); Imagem Carioca (a música para violão do compositor; selo ABM Digital); Tacuchian, Música para piano (ABM Digital); e Terra dos Homens (música para barítono, piano e instrumentos de palheta simples). É Membro da Academia Brasileira de Música desde 1981, onde ocupou a Presidência nos períodos de 1993 a 1997 e de 2006 a 2009.. Em janeiro/fevereiro de 2000 foi Residente da Villa Serbelloni, às margens do Lago de Como (Bellagio, Itália), quando escreveu seu Quarteto de Cordas nº 3 “Bellagio”, sob os auspícios da Rockeffeler Foundation. A obra foi estreada, no fim do mesmo ano no Teatro dei Filodrammatici, em Milão. Foi o regente da Orquestra da Unirio de 2001 a 2004. Tacuchian foi Pesquisador do CNPq e possui cerca de 80 textos musicológicos publicados, nas principais revistas especializadas do país e como capítulos de livros. Ocupou importantes posições universitárias, no país (UFRJ e Unirio), nos Estados Unidos (Professor Visitante da State University of New York at Albany) e em Portugal (Professor Visitante da Universidade Nova de Lisboa). Foi Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Unirio e Presidente da Academia Brasileira de Música, entre muitos outros cargos de responsabilidade. Em 1985 dirigiu o maior grupo instrumental de toda a história da música brasileira: uma banda com dois mil músicos, apresentando um programa de música tradicional e popular brasileira, na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro. Em janeiro de 2004 o maestro regeu no Porto, um concerto coral-sinfônico, com um programa inteiramente dedicado à sua própria obra.Em 2006, a Rádio MEC, apresentou 14 programas de uma hora cada, dedicados exclusivamente à obra do maestro. Para 2011, Tacuchian tem programadas dezenas de apresentações de sua obra no Brasil e no exterior, entre as quais se destacam a estréia européia de seu Concerto para Violão e Orquestra (Salamanca, Espanha: Dimitri van Halderen, violão e Gustavo Úbeda, regente) e Biguás, com a OSB, além desta magnífica apresentação promovida pelo SESC e pela UNICAMP. Em 2013 foi estreada, na Espanha a Sinfonia das Florestas, para orquestra e soprano solo, a mais importante obra sinfônica do compositor.

2014 Tacuchian recebeu inúmeras homenagens pela passagem de seus 75 anos de idade, com 2 Festivais dedicados à sua obra (em Campinas e em Curitiba), lançamento de CDs com faixas dedicadas à sua obra, inclusive o CD "Radamés Gnattali interpreta Ricardo Tacuchian", com a integral de seus Quartetos de Corda, programação de sua obra em mais de 100 vezes em concertos ao vivo, programas de rádio e tv e lançamento de dois livros sobre o compositor (pela ABM e pela Biblioteca Nacional).