Ricciotto Canudo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ricciotto Canudo (Gioia del Colle (Itália), 1877Paris, 10 de novembro de 1923) foi um teórico e crítico de cinema1 pertencente ao futurismo italiano. Estudou no «Istituto Tecnico Superiore de Bari», onde se licenciou em física e depois línguas orientais e estudos bíblicos na Universidade de Florença.

Imerso nos ambientes de vanguarda, aos 24 anos se estabeleceu em Paris, onde trabalhou como correspondente do "Il Correr", em seguida começou a escrever nos periódicos parisienses. Imerso na vida cultural da cidade, criou a revista "Montjoie" em 1913 e estabeleceu amizade com Guillaume Apollinaire, com quem manteve uma ampla correspondência, Georges Braque, Pablo Picasso e Maurice Ravel, entre outros.

Destacou sua preocupação teórica sobre a realidade do cinema e suas possibilidades em um futuro de maior evolução técnica. Em 1911 publicou em Paris um artigo intitulado "La Naissance d'un sixième art. Essai sur le cinématographe", considerado como o primeiro texto no qual se define o cinema como uma arte, a sétima arte, na qual se resumem as demais artes.2

Em 1920 fundou o Clube "Amis du Septième Art" e, dois anos depois, "A Gazzette des sept arts", na qual em 1923 publicou o "Manifeste des Sept Arts". Muitos de seus trabalhos foram publicados depois de sua morte no livro "L'usine aux images" publicado em 1927.3

Para Canudo, com o cinema nascia a "arte total", "a plástica em movimento", "a alma da modernidade" , já que reunia e conciliava na sua linguagem e expressão a dimensão plástica da pintura, a arquitetura e a escultura e a dimensão rítmica da dança, a música e a poesia.

O manifesto de Canudo e suas iniciativas acerca do mundo intelectual de Paris serviu para ativar uma resposta de interesse experimental no mundo da pintura, a arquitetura e a literatura, que deu origem ao nascimento do movimento expressionista.[carece de fontes?]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • French Film Theory and Criticism: A History/Anthology, 1907–1939, Richard Abel (Editor), Princeton University Press, (1993) ISBN 0-691-00062-X (em inglês)
  • The Birth of the Sixth Art pp. 58–66
  • Reflections on the Seventh Art pp. 291–303

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.