Rinat Dasayev

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rinat Dasayev
Ринат Дасаев
Dasaev Rinat.JPG
Entre a delegação do Torpedo Moscou
Informações pessoais
Nome completo Rinat Fäyzeraxman ulı Dasayev
Data de nasc. 13 de julho de 1957 (56 anos)
Local de nasc. Astracã,  União Soviética
Altura 1,86 m
Informações profissionais
Posição goleiro (aposentado)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1975-1977
1978-1987
1988-1991
Flag of the Soviet Union (1955-1980).svg Volgar Astrakhan
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Spartak Moscou
Espanha Sevilla
26 (-31)
335 (-279)
59 (-67)
Seleção nacional
1979-1990 União das Repúblicas Socialistas Soviéticas União Soviética 91 (-70)

Rinat Fayzrakhmanovich Dasayev ou Rinat Fäyzeraxman ulı Dasayev - respectivamente, em russo, Ринат Файзрахманович Дасаев e, em tártaro cirílico, Ринат Фәйзерахман улы Дасаев (Astracã, 13 de junho de 1957) é um ex-futebolista russo de origem tártara.

Seu sobrenome costuma ser grafado também como "Dasaev",[1] "Dassaev"[2] e "Dassaiev"[3] , dentre outras variações.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Jogou em apenas três clubes: começou em 1975 no Volgar Astrakhan, de sua cidade natal. Em 1977 foi para o Spartak Moscou, onde ficaria por onze anos. Apesar da relativa decadência do clube no período (ganhou o campeonato soviético apenas duas vezes, em seu primeiro e o penúltimo anos no clube), destacava-se entre os torcedores: diziam-no que conseguia voar de Moscou ao Himalaia.[2]

Dasayev aprimorava sua impulsão, reflexo e agilidade tanto na horizonatal quanto na vertical ao fim de cada treinamento, fazendo sessões de corrida, salto em altura e em distância. Primava também pelo sangue frio frente aos adversários e pelo entrosamento com os outros jogadores de defesa.[2]

Habituado demais aos defensores do Spartak (dentre eles, o também tártaro Wağyz Hidiätullin, seu colega também na seleção), acabou não se saindo tão bem quando trocou de clube, em 1988; com a glasnost, a abertura política da União Soviética, pôde jogar na Europa Ocidental, contratado pelo Sevilla.[2]

Em 1991, após o término de seu contrato com o clube espanhol, decidiu parar de jogar.

Sucessor à altura de Yashin na seleção[editar | editar código-fonte]

Foi o goleiro titular da Seleção Soviética nas Copas de 1982 e 1986, na Olimpíada de 1980 (onde ganhou o bronze) e na Eurocopa 1988 (onde foi vice-campeão e eleito o melhor goleiro do torneio e, naquele ano, do mundo). Figurou ainda na Copa do Mundo de 1990, onde jogou apenas na estreia do time, em derrota de 0 x 2 para a Romênia. Seria seu último jogo pela seleção.

Destacou-se especialmente no mundial de 1982, sendo lembrado por vários brasileiros pelo pesadelo que foi a sua grande atuação no jogo em que o Brasil venceu suadamente a URSS.[4]

É considerado, ao lado do também ex-goleiro russo Lev Yashin e do ex-atacante ucraniano Oleh Blokhin, um dos três melhores futebolistas da extinta União Soviética, tendo sido eleito por Pelé, em 2004, um dos 125 melhores jogadores e ex-jogadores de futebol ainda vivos (sendo o único russo na lista). É o segundo futebolista que mais jogou pela União Soviética, atrás apenas de Blokhin.[2]

Dasayev em amistoso de veteranos do Spartak Moscou.

Fim da carreira[editar | editar código-fonte]

Após ter problemas com alcoolismo nos anos 90, depois de encerrar a carreira, recuperou-se e participou da comissão técnica da Seleção Russa entre 2003 e 2005, como preparador de goleiros. Desde 2006, está na comissão do Torpedo Moscou, na mesma função.

Foi escolhido para ser o embaixador da final da temporada 2007-08 da Liga dos Campeões da UEFA, partida esta disputada no Estádio Luzhniki (antigo Estádio Lênin), em Moscou, campo onde a Seleção Soviética costumava mandar seus jogos.

No mesmo Luzhniki, em 2007, realizou-se um amistoso de veteranos para as comemorações de seu 50º aniversário, em partida que contou com as participações estrangeiras de George Weah, Abédi Pelé, Toni Polster (ex-colega de Sevilla), Luigi de Agostini, Fernando de Napoli, Andoni Zubizarreta, Krasimir Balakov e três ex-jogadores que o enfrentaram na Copa de 1982: o neozelandês Wynton Rufer e os brasileiros Júnior e Éder,[1] autor do dramático gol da virada canarinha sobre os soviéticos.

Referências

  1. a b UOL Esporte: Veteranos jogam para celebrar os 50 anos de Dasaev
  2. a b c d e Planeta do Futebol: Dassaev, de Moscovo aos Himalaias
  3. Statistics and Records: Rinat Dassaiev
  4. "A conquista do espaço", Especial Placar - Guia da Copa, maio de 2002, Editora Abril, pág. 144

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Rinat Dasayev
Bandeira de RússiaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas russos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.