Rio Medjerda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor melhore este artigo ou secção, expandindo-o. Mais informação pode ser encontrada no artigo «Medjerda» na Wikipédia em francês e também na página de discussão.
Rio Medjerda
O Medjerda na região de Souk Ahras, Argélia
Bacia hidrográfica do Medjerda
Bacia hidrográfica do Medjerda
Comprimento 460 km
Nascente Souk Ahras, Atlas do Tell, Argélia
Caudal médio 29 m³/s
Caudal máximo 1 200 m³/s
Caudal mínimo 1 m³/s
Foz golfo de Tunes, mar Mediterrâneo
Altitude da foz 0 m
Área da bacia 22 000 km²
Afluentes
principais
margem esquerda: uádi Kassebuádi Béja
margem direita: uádi Mellègueuádi Tessauádi Siliana
País(es)  Argélia,  Tunísia

O rio ou uádi Medjerda (em árabe: واد مجردا), também transliterado como uádi Majardah, Medjerha, Majerda, etc., é um curso de água que nasce na Argélia e cuja maior parte da extensão do seu leito se encontra no noroeste da Tunísia, desmbocando no topo noroeste do golfo de Tunes, 6 km a sul de Ghar El Melh. Por ter um fluxo permantente ao longo de todo o ano, mais do que um uádi, pode considerar-se um rio comum. Na Antiguidade era chamado Bagrada.[1]

Curso[editar | editar código-fonte]

Nasce no Atlas do Tell, no nordeste da Argélia, na província de Souk Ahras, correndo em seguida para leste em direção à Tunísia, desaguando no Mediterrâneo a norte de Tunes. O curso tem uma extensão de 460 km, dos quais 350 na Tunísia. É o mais longo e mais importante rio da Tunísia e tem várias barragens. É o principal abastecedor de água das colheitas de trigo do país.

O antigo golfo de Útica, onde o Medjerda desaguava, formou-se durante a época pós-glaciar há cerca de 6 000 anos, Com o tempo, depósitos aluviais do rio assorearam a parte norte do golfo e o mar começou a recuar a partir da Idade Média. O assoreamento da parte sul é mais recente. Esta sucessão de eventos é conhecida através de documentos antigos, vestígios arqueológicos e observações aéreas e por satélite com as quais foi analisada a evolução da paisagem nos últimos 3 000 anos. A laguna de Ghar El Melh é o último vestígio do golfo de Útica, que deve o seu nome à antiga cidade de Útica.

A seguir à grande cheia de 1973, o Mejerda mudou novamente o seu curso e atualmente corre num canal originalmente escavado para evacuar as águas da cheia.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Como no presente, no passado o Medjerda foi um curso de água crucial para a Tunísia, de grande importância para as populações que vivem perto dele. A sua água é usada para irrigação e é vital para a agricultura da região.

Pela sua importância estratégica no Norte de África, foi causa de muitas guerras pelo seu controlo ao longo da história, e a sua bacia foi povoada por berberes, fenícios, cartagineses, romanos, vândalos, bizantinos, árabes e otomanos. Várias cidades importantes, como Bula Régia, Simitthu, Thuburnica, Vaga, Útica, Cartago e finalmente Tunes foram fundadas nas suas margens ou vizinhança.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Beschaouch, Azedine (1986), "De l'Africa latino-chrétienne à l'Ifriqiya arabo-musulmane: questions de toponymie" (em francês), CRAI 130 (3): 530-549 
  2. Oueslati, Ameur; Charfi, Faouzia; Baccar, Fadhel, "La basse vallée de Oued Majerda et la lagune de Ghar El Melh" (em francês), Projet WADI 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Rio Medjerda