Rio Paraná

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paraná
O rio Paraná na Argentina
Bacia hidrográfica do Paraná
Bacia hidrográfica do Paraná
Comprimento 2 960[1] [2]  km
Posição: 7 (Contando o Rio Grande) ou 8 (Contando o Rio Paranaíba)
Nascente Rio Grande e Rio Paranaíba  Minas Gerais  Mato Grosso do Sul  São Paulo
Altitude da nascente 1 100 m
Caudal máximo 16 000 m³/s
Foz Rio da Prata
Delta delta do Paraná
Afluentes
principais
Tietê
Iguaçu
Rio Verde
Rio Pardo
Paraguai
País(es)  Brasil
Paraguai
 Argentina
País(es) da
bacia hidrográfica
 Brasil
 Argentina
Paraguai
 Bolívia

O rio Paraná é o segundo maior rio sul-americano. Nasce na confluência de dois importantes rios brasileiros: o rio Grande e rio Paranaíba, entre os estados de Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Há controvérsia sobre sua origem: se o rio é a continuação do rio Paranaíba ou a continuação do rio Grande, que nascem em Minas Gerais.

Em seu percurso total, adquire uma extensão total de 4 880 quilômetros, o que lhe renderia o posto de sétimo rio mais extenso do mundo, quando contado o trecho do rio Grande, ou oitavo, quando contado o trecho do rio Paranaíba, mais o estuário do Prata. [3] [4]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo "Paraná" é procedente do termo da língua geral paraná, que significa "rio".[5]

Características[editar | editar código-fonte]

O rio Paraná em sua parte alta, separa os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, também este último estado com o Paraná, além de demarcar a fronteira entre Brasil e Paraguai numa extensão de 190 quilômetros até a foz do rio Iguaçu. A partir deste ponto marca o início da fronteira entre Argentina e Paraguai. O rio continua correndo para o sul até próximo a cidade de Posadas onde muda para direção oeste. Na confluência do rio Paraguai o rio entra inteiramente em terras argentinas e passa a percorrer a direção sul, desaguando no delta do Paraná e, consequentemente, no Rio da Prata.

A sua vazão na foz, de 16 000 metros cúbicos por segundo, é comparável à de rios como o rio Mississippi (18 000 metros cúbicos por segundo) e o rio Ganges (16 000 metros cúbicos por segundo). No trecho brasileiro, há a barragem de Jupiá, que está localizada a 21 quilômetros da confluência com o rio Tietê, assim como também a barragem de Ilha Solteira, enquanto na fronteira do Paraguai com o Brasil está a barragem de Itaipu, e na fronteira entre a Argentina e o Paraguai, Yacyretá. As duas hidroelétricas fornecem 99% da eletricidade do Paraguai (90% só de Itaipu), e fazem do país o maior exportador de eletricidade do mundo.

No rio Paraná, na altura do município de Guaíra, havia o Salto de Sete Quedas, que era a maior cachoeira do mundo em volume de água, mas que foi submersa no ano de 1982 com a construção do lago da Usina de Itaipu.[6] [7] [8]

A mata que, antes, ocupava boa parte da bacia do Paraná encontra-se largamente extinta; a área mais preservada encontra-se na província argentina de Misiones.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Hidrovias Ministério dos Transportes, 24 de setembro de 2013.
  2. Águas do Rio Paraná INPE, 30 de abril de 2009.
  3. Rio Paraná Itaipu Binacional, 24 de setembro de 2013.
  4. Rio Paraná Apoena, 24 de setembro de 2013.
  5. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Ática. 2013. p. 590.
  6. Fim do Salto de Sete Quedas 1 Meu Paraná, 24 de setembro de 2013.
  7. Fim do Salto de Sete Quedas 2 Meu Paraná, 24 de setembro de 2013.
  8. Adeus Sete Quedas 24 de setembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.