Rio Vakhsh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vakhsh
Rio Vakhsh na barragem de Nurek
Localização do rio Vakhsh no Tajiquistão
Localização do rio Vakhsh no Tajiquistão
Comprimento 786 km
Débito médio 536 m³/s
Foz Rio Sir Dária
Área da bacia 39 100 km²
País(es)  Quirguistão
Tajiquistão

O rio Vakhsh, também chamado Surkhob (no centro-norte do Tajiquistão, e que significa em persa "rio vermelho") ou Kyzyl-Suu (no Quirguistão, e na língua quirguiz significa também "rio vermelho"), é um dos principais rios do Tajiquistão e do Quirguistão. É afluente do Amu Darya.[1]

Nasce na montanhosa região do Pamir, no vale de Alay, Quirguistão. Passa por terreno muito montanhoso, e tem por vezes um canal muito estreito rodeado por desfiladeiros profundos.[1] Alguns dos maiores glaciares do Tajiquistão, incluindo o glaciar Fedchenko e o glaciar Abramov (o primeiro dos quais é o mais extenso glaciar do mundo situado fora das regiões polares), drenam para o Vakhsh.[2] Entre os seus maiores afluentes encontram-se o Muksu e o Obihingou; o rio Vakhsh propriamente dito começa na confluência dos rios Obihingou e Surkhob.

Depois de sair da região do Pamir, o Vakhsh passa por planícies férteis do sudoeste do Tajiquistão.[1] O rio conflui com o rio Panj para formar o Amu Darya, na fronteira Afeganistão-Tajiquistão. A Reserva Natural Tigrovaya Balka, que foi o último habitat do já extinto tigre-do-cáspio na antiga União Soviética, localiza-se na confluência do rio Vakhsh com o rio Panj.[3]

O potencial hidroelétrico do rio Vakhsh foi explorado pela União Soviética e pelo Tajiquistão. Tem presentemente cinco barragens, incluindo a mais alta do mundo, a barragem de Nurek.[4] As cinco produzem 90% da eletricidade do país. Pensa-se construir mais quatro barragens, incluindo a barragem de Rogun, que será a mais alta do mundo uma vez terminada. O Tajiquistão é de facto o maior produtor mundial de energia hidroelétrica per capita do mundo.

Referências

  1. a b c "Tajikistan - Topography and Drainage" in Tajikistan: a Country Study (Washington: Library of Congress, 1996)
  2. Kai Wegerich, Oliver Olsson, e Jochen Forebrich, “Reliving the past in a changed environment: Hydropower ambitions, opportunities and constraints in Tajikistan”, Energy Policy 35 (2007), 3815-3825
  3. Mary Pat Silviera et al., Environmental Performance Reviews: Tajikistan. (Nova Iorque e Genebra: ONU, 2004), 124
  4. Las presas más elevadas (chart). Página visitada em 11-08-2007.