Rito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrows 2.svg
Foi proposta a fusão deste artigo ou se(c)ção com ritual. Pode-se discutir o procedimento aqui. (desde janeiro de 2015)
Juramento para formatura de curso técnico: um tipo de rito

O termo rito (do latim ritu)[1] tem vários sentidos. Pode ser a mesma coisa que ritual, dando continuidade ao mito. No sentido mais geral, é uma sucessão de palavras e atos que, repetida, compõe uma cerimônia (religiosa ou civil). Apesar de seguir um padrão, o rito não é mecanizado, pois pode atualizar um mito, mantendo ensinamentos ancestrais e sagrados.

É um conjunto de atividades organizadas, no qual as pessoas se expressam por meio de gestos, símbolos, linguagem e comportamento, transmitindo um sentido coerente ao ritual. O caráter comunicativo do rito é de extrema importância, pois não é qualquer atividade padronizada que constitui um rito. A palavra "rito" pode também designar tipo de velocidade no ritual do processo jurídico.

Tradição cristã[editar | editar código-fonte]

Rito pode significar também um conjunto de fórmulas que caracterizam certa tradição cristã. Exemplos destes ritos litúrgicos são o Rito romano, o Rito ambrosiano, o Rito Bracarense, o Rito bizantino, Rito moçárabe etc.

O termo aplica-se também às 23 Igrejas particulares sui juris da Igreja Católica, das quais a maior é a Igreja Católica Latina. O termo "rito" encontra-se usado no sentido de "Igreja particular" sui juris: por exemplo, no documento do Concílio do Vaticano II Orientalium Ecclesiarum, 2. São 14 as Igrejas particulares ("ritos" neste sentido) que usam o único rito bizantino litúrgico, enquanto a única Igreja Latina (ou "Rito" Latino) emprega vários ritos litúrgicos (Rito romano, Rito ambrosiano etc.).

Tradição chinesa[editar | editar código-fonte]

No pensamento tradicional chinês, muito influenciado pelo confucionismo, os ritos são os "costumes civilizados", as "regras morais" e os "bons costumes" que todo "homem de bem" deve cumprir, para que a sociedade se possa manter civilizada, próspera e harmoniosa. Segundo a filosofia de Confúcio, a prática sistemática e frequente dos ritos torna os seus praticantes pessoas civilizadas e morais, "homens de bem". Confúcio achava que os ritos, apesar de terem uma natureza meramente formal, são operantes e eficazes na transformação dos seus praticantes, que vão retendo, aos poucos, os valores morais que dão sentido aos ritos. Logo, os ritos, em si, têm somente um carácter cultural e civil.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 513.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.



Ícone de esboço Este artigo sobre Cristianismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.