Robert Fripp

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde Dezembro de 2012)
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde Dezembro de 2012).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Robert Fripp
Robert Fripp.jpg
Informação geral
Nascimento 16 de Maio de 1946 (68 anos)
Origem Wimborne Minster, Dorset, Inglaterra
País  Reino Unido
Gênero(s) rock progressivo
new wave
Instrumento(s) guitarra
Modelos de instrumentos Gibson e Tokai, ambas modelo Les Paul
Período em atividade 1968 - presente
Gravadora(s) Discipline Global Mobile
Afiliação(ões) King Crimson
David Sylvian
Andy Summers
Brian Eno
Página oficial DGMLive!

Robert Fripp (16 de Maio de 1946) é um guitarrista inglês de rock progressivo, famoso por suas técnicas inovadoras no seu instrumento, como o uso de um aparelho denominado Frippertronic que dá a guitarra a capacidade de gerar sons de sintetizadores. É o líder da banda King Crimson. Trabalhou com músicos como Brian Eno, Andy Summers, Peter Gabriel, David Bowie e David Sylvian. Foi considerado o 62º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros contatos com a música[editar | editar código-fonte]

Fripp começou a tocar violão aos 11 anos, com uma Manguin Frere, passando para guitarra apenas aos 14, com uma Hofner President. Ele teve aulas de teoria musical com uma professora de piano, o que lhe deu alguma base pra um ano depois ter aulas com Don Strike, um bom guitarrista do estilo dos anos 30.

Em nenhum momento Robert se prendeu à algum estilo musical, nunca cultivou ídolos, chegando à dizer que Jimi Hendrix nunca foi um guitarrista; foi apenas um músico que tinha algo a dizer e conseguiu, chegando a duvidar se o mesmo se interessava tanto pelo instrumento de trabalho[carece de fontes?]. Outro alvo do guitarrista inglês foi Eric Clapton, a qual mencionou que foi um guitarrista meramente banal, que lançou algo interessante e se perdeu com o tempo ( declarações à revista Guitar Player de 1974, que foram resposta a rumores destes dois terem sido as suas grandes influências)[carece de fontes?]. Robert desenvolveu um estilo único sem se prender ao mainstream, o que lhe gerou alguma antipatia com parte do público, apesar de gozar de extrema reputação no meio especializado.[carece de fontes?]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

O trabalho profissional de Fripp começou em 1967, com uma banda formada por Peter Giles e Michael Giles. Sem sucesso, eles se prepararam para formar com Greg Lake, Peter Sinfeld e Ian McDonald o King Crimson, lançando, em 1969, o debutante álbum In the Court of the Crimson King. Com moderado sucesso, apesar da inovação a qual o álbum trazia para o rock da época, a banda lança, logo depois, o disco In the Wake of Poseidon. Já sem Ian Mcdonald, que havia deixado a banda após o primeiro disco, o King Crimson partiria para uma imensa troca de integrantes, permanecendo Robert Fripp como o único remanescente entre todas as formações, apesar do mesmo não se considerar o líder da banda.

Além do King Crimson, Fripp trabalhou com diversos artistas durante os anos, apenas citando Brian Eno,Peter Gabriel,David Bowie,David Sylvian,Andy Summers,Blondie,Talking Heads e G3.

Robert em concerto com o King Crimson, 1974

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1968 The Cheerful Insanity of Giles, Giles, and Fripp
  • 1973 No Pussyfooting (com Brian Eno)
  • 1975 Evening Star (com Brian Eno)
  • 1979 Exposure
  • 1981 God Save the Queen/Under Heavy Manners
  • 1981 The League of Gentlemen (com a League of Gentlemen)
  • 1981 Let the Power Fall: An Album of Frippertronics
  • 1982 I Advance Masked (com Andy Summers)
  • 1984 Bewitched (com Andy Summers)
  • 1985 Network
  • 1985 God Save the King (com a League of Gentlemen)
  • 1986 The League of Crafty Guitarists Live
  • 1986 The Lady or the Tiger (com Toyah Willcox)
  • 1993 The First Day (com David Sylvian)
  • 1993 Kings
  • 1994 The Bridge Between (com o California Guitar Trio)
  • 1994 1999 Soundscapes: Live in Argentina
  • 1994 Damage (com David Sylvian)
  • 1995 Intergalactic Boogie Express: Live in Europe...
  • 1995 A Blessing of Tears: 1995 Soundscapes, Vol. 2 (ao vivo)
  • 1995 Radiophonics: 1995 Soundscapes, Vol. 1 (ao vivo)
  • 1996 That Which Passes: 1995 Soundscapes, Vol. 3 (ao vivo)
  • 1996 Thrang Thrang Gozinbulx (com a League of Gentlemen)
  • 1997 November Suite: 1996 Soundscapes - Live at Green Park Station
  • 1997 Pie Jesu
  • 1998 The Gates of Paradise
  • 1998 Lightness: Music for the Marble Palace
  • 1999 The Repercussions of Angelic Behavior (com Bill Rieflin e Trey Gunn)
  • 2002 Pawn Shop Prize (com Uncle Porky Can't Get No Taller)
  • 2004 The Equatorial Stars (com Brian Eno)

Referências

  1. The 100 Greatest Guitarists of All Time: Robert Fripp (em inglês). Rolling Stone. Página visitada em 16 de fevereiro de 2012.
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Robert Fripp
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.