Robert Higgs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Robert Higgs

Robert Higgs (nascido em 1 de Fevereiro de 1944) é um economista e historiador da economia estadunidense que combina os insights da escolha pública, escola austríaca de economia, liberalismo clássico e libertarianismo em teoria política e legal e políticas públicas. Seus escritos sobre economia e história econômica têm sido focados nas causas, meios e efeitos do poder e crescimento do governo.

Participação na academia[editar | editar código-fonte]

Ele é um membro sênior em Economia política no Independent Institute (desde Setembro de 1994), e é editor do The Independent Review (desde 1995).[1] ele é um membro adjunto do Ludwig von Mises Institute[2] e um acadêmico adjunto no Cato Institute.[3]

Higgs recebeu seu Ph.D. em Economia pela Universidade Johns Hopkins, e tem adquirido cargos de ensino na Universidade de Washington, no Lafayette College, e na Universidade de Seattle. Ele também tem sido um acadêmico visitante na Universidade de Oxford e na Universidade de Stanford. Higgs foi professor vistante na Universidade de Economia de Praga, em 2006[1] , e tem supervisionado dissertações no programa de Ph.D da Universidade Francisco Marroquín.[4]

Escritos[editar | editar código-fonte]

The Ratchet Effect (Efeito Catraca)[editar | editar código-fonte]

Daniel McCarthy elogiou Higgs e sistematizou sua teoria do efeito catraca numa resenha do Against Leviathan que apareceu na The American Conservative. Na resenha, McCarthy lembra que,

o que fez do Crisis and Leviathan um marco foi o rigor com o qual ele foi elaborado a partir da lógica da advertência de James Madison, de 1794, contra "o velho truque de tornar cada contingência num recurso para acumular força no governo". Outros economistas políticos tem estudado o crescimento do poder do Estado durante tempos de guerra, depressões e revoltas em geral, mas nenhum tinha feito de forma minuciosa e cuidadosa como Higgs. Ele tomou um cuidado especial ao descrever o "efeito catraca" - uma vez que a crise tenha passado o poder do Estado geralmente retrocede, mas é raro retornar ao seu nível original; assim, cada emergência deixa o escopo do governo um pouco maior do que antes.[5]

Jörg Guido Hülsmann,[6] Joseph Salerno,[7] Lew Rockwell,[8] e outros acadêmicos têm discutido o efeito catraca de Higgs em seus escritos.

Livros[editar | editar código-fonte]

Como autor[editar | editar código-fonte]

  • The Transformation of the American Economy, 1865-1914 (1971)
  • Competition and Coercion: Blacks in the American Economy, 1865-1914 (1977; edição de brochura em 1980) Nomeado para o Beveridge Award da American Historical Association
  • Crisis and Leviathan: Critical Episodes in the Growth of American Government (1987)
  • Against Leviathan: Government Power and a Free Society (2004)
  • Resurgence of the Warfare State: The Crisis Since 9/11 (2005)
  • Depression, War and Cold War: Studies in Political Economy (2006)
  • Politická ekonomie strachu ("The Political Economy of Fear") (em checo; 2006)
  • Neither Liberty Nor Safety: Fear, Ideology, and the Growth of Government (2007)

Como editor[editar | editar código-fonte]

  • Emergence of the Modern Political Economy (1985)
  • Arms, Politics, and the Economy: Historical and Contemporary Perspectives (1990)
  • Hazardous to Our Health? FDA Regulation of Health Care Products (1995)
  • Re-Thinking Green: Alternatives to Environmental Bureaucracy com Carl P. Close (2005)
  • The Challenge of Liberty: Classical Liberalism Today com Carl P. Close (2006)
  • Opposing the Crusader State: Alternatives to Global Interventionism com Carl P. Close (2007)

Notas e referências

  1. a b "Robert Higgs." Independent.org. Independent Institute
  2. "Faculty and Staff." Mises.org. Ludwig von Mises Institute
  3. "Robert Higgs." Cato.org. Cato Institute
  4. Cole, Julio. World Economic Growth, 1980-1999:A Growth-Regression Approach. p. 9. Setembro de 2003. [1]
  5. McCarthy, Daniel. "Enemy of the State." The American Conservative. 9 de Maio de 2005. [2]
  6. Hülsmann, Jörg Guido. "Legal Tender Laws and Fractional Reserve Banking." Journal of Libertarian Studies. Verão de 2004. [3]
  7. Salerno, Joseph. "The Place of Mises' Human Action in the Development of Modern Economic Thought." Quarterly Journal of Austrian Economics. Vol. 2, No. 1. [4]
  8. Rockwell, Llewellyn H. Jr. "What Not To Do." Mises.org. 14 de Setembro de 2001. [5]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.