Robert Morris (criptografador)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Robert Morris (25 de julho de 1932, Boston, Massachusetts – 26 de junho de 2011, Lebanon, Nova Hampshire) foi um criptografador estadunidense.[1] Obteve o bacharelado em matemática em 1957 e o mestrado em matemática aplicada em 1958, ambos pela Harvard University.

Morris foi um pesquisador do Bell Labs entre 1960 e 1986, quando começou a trabalhar na Agência de Segurança Nacional (NSA).[1] Na agência, serviu como cientista chefe do National Computer Security Center, onde se envolveu com a produção dos padrões de segurança da Rainbow Series, aposentando-se em 1994.[2] [3] [4] Ele é o pai de Robert Tappan Morris, que disseminou em 1988 o Morris worm, Meredith Morris, e Benjamin Morris. Seus pais foram Walter W. Morris, um vendedor, and Helen Kelly Morris.[1]

Morris contribuiu com as versões iniciais do UNIX. Ele escreveu a biblioteca matemática, o código de encriptação do programa, e o esquema de encriptação de senha utilizado para a autenticação do usuário.[5] O esquema de encriptação era baseado no uso de uma função arapuca (agora chamada de função de derivação de chave) para computar hashes de usuário passwords que eram guardados no arquivo /etc/passwd; técnicas análogas, baseadas em diferentes funções, ainda estão em uso atualmente.[6]

Há uma descrição de Morris no livro de Clifford Stoll The Cuckoo's Egg. Muitos leitores do livro de Stoll lembram que Morris deu a Stoll um quebra-cabeças matemático desafiador (originalmente atribuído a John H. Conway) no curso de uma discussão entre eles sobre segurança de computadores: Qual é o próximo número da sequência 1 11 21 1211 111221? (conhecido como constante de Conway). Stoll escolheu não incluir a resposta no The Cuckoo's Egg, para a frustração de muitos leitores.[7]

Ele também teria dito a um repórter que, enquanto trabalhava no NSA, teria ajudado o FBI a decodificar provas encriptadas.[1]

Frases[editar | editar código-fonte]

  • Nunca subestime a atenção, risco, dinheiro e o tempo que um oponente vai gastar para ler o tráfego.
  • Regra 1 da criptoanálise: procure pelo texto puro.[8]
  • As três regras de ouro para assegurar a segurança de computadores são: não tenha um computador; não o ligue à eletricidade; e não o utilize.[9]

Publicações selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • (com Fred T. Grampp) UNIX Operating System Security, AT&T Bell Laboratories Technical Journal, 63, part 2, #8 (October 1984), pp. 1649–1672.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d Markoff, John. "Robert Morris, Pioneer in Computer Security, Dies at 78", New York Times, 29 June 2011. Página visitada em 30 June 2011.
  2. The data encryption standard—Retrospective and prospects, R. Morris, IEEE Communications 16, #6 (November 1978), pp. 11–14.
  3. IEEE Electronic CIPHER 9 (1995-09-18)
  4. AUUG 98 Conference Information and Registration Form, accessed on line November 29, 2007.
  5. Dabbling in the Cryptographic World--A Story, Dennis Ritchie, May 5, 2000, Bell Labs. Accessed on line November 29, 2007.
  6. Password Security: A Case History by Robert Morris and Ken Thompson (1978)
  7. FAQ about Morris Number Sequence
  8. "Notes on Crypto '95 invited talks by R. Morris and A. Shamir" by Jim Gillogly and Paul Syverson
  9. p. 1, Inside Java 2 Platform Security: Architecture, API Design, and Implementation, Li Gong, Gary Ellison, and Mary Dageforde, Boston: Addison-Wesley, 2003, 2nd ed., ISBN 0201787911.