Robert Ritter von Greim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Robert Ritter von Greim
Alemanha Nazi
Nascimento 22 de junho de 1892
Bayreuth
Morte 24 de maio de 1945 (52 anos)
Salzburg
Nacionalidade alemão
Serviço militar
Serviço Luftwaffe
Tempo de serviço 1912-1945
Patente Oberbefehlshaber der Luftwaffe
Comando Luftwaffe
Batalhas/Guerras Primeira Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Condecorações Espadas da Cruz de Cavaleiro

Robert Ritter von Greim (Bayreuth, 22 de junho de 1892 - Salzburgo, 24 de maio de 1945) foi um piloto e marechal-do-ar alemão, último comandante da Força Aérea Alemã (Luftwaffe).[1]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Nascido em Bayreuth, filho de um comandante da polícia bávara, Greim foi um cadete do exército antes da Primeira Guerra Mundial e serviu inicialmente na artilharia antes de se transferir para o Serviço Aéreo Alemão (Fliegertruppe), em 1915.

Após primeiros dois voos Greim se juntou ao 34º esquadrão de combate Jasta(Jagdstaffel) até 1918 após o esquadrão ter incorporado o que sobrou da Jagdgeschwader (JG), unidade que tinha sido comandada por Manfred von Richthofen até sua morte em 21 de abril. Mesmo que os aviões do 34º esquadrão fossem inferiores, elas tinham qualidade muito superior aos velhos Albatros Pfalz que tinham sido usados em combates anteriores.

Em junho de 1918, von Greim teve um encontro com um Bristol Fighter, e e teve seu avião muito danificado. Mesmo assim ele conseguiu pousar com sucesso.

Até ao final da guerra, ele tinha marcado 28 vitórias, e tinha sido atribuído o Pour le Mérite, a Baviera e a Militär-Max Joseph-Orden. Este último prêmio fez-lhe um cavaleiro (Ritter), e permitiu-lhe adicionar este título e o estilo "von" ao seu nome. Assim Robert Greim tornou Robert Ritter von Greim.

Entre as guerras[editar | editar código-fonte]

Após a guerra, Ritter von Greim se esforçava para encontrar um lugar no Reichswehr. Como conseqüência, ele decidiu se concentrar e alcançar uma carreira em Direito, e ainda conseguiu passar pelas rigorosas leis de exames da Alemanha. No entanto, a atração por aeronaves era muito forte, e ele foi convidado por Chiang Kai - chefe do governo chinês, para ir até Cantão e ajudar a construir uma força aérea chinesa. Ritter von Greim foi com sua família para a China, onde fundou uma escola de aviação e estabeleceu algumas das mais respeitadas regras para o desenvolvimento de uma força aérea. Na opinião de Ritter von Greim, a avaliação de seus alunos chineses não era boa devido a crença dos europeus de que os asiáticos eram imcapazes de operar máquinas complexas. Mesmo antes de os nazistas chegaram ao poder, von Greim percebeu que seu lugar não era numa comunicade de expatriados na China, mas, na Alemanha, e retornou à sua pátria.

Em 1933, Ritter von Greim foi chamado por Hermann Göring para ajudar a reconstruir a Força Aérea Alemã e em 1934 foi nomeado para o comando da primeira escola de pilotos de combate, e estabeleceu vôos secretos perto da cidade de Lipetsk na União Soviética durante o encerramento dias da República de Weimar. (Alemanha tinha sido proibida de ter uma força aérea de acordo com os termos do Tratado de Versalhes de 1919, de forma que ele tinha que treinar pilotos em segredo.)

Em 1938, ele assumiu o comando do departamento de investigação da Luftwaffe. Mais tarde, Ritter von Greim foi premiado com o comando da Jagdgeschwader 132 Richthofen (mais tarde JG 2), com base em Doeberitz, um grupo de artilharia chamado depois de Manfred von Richthofen.

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Quando a guerra começou, Ritter von Greim estava no comando de um Luftflotte (planador) e estava envolvido na invasão da Polônia, a batalha para a Noruega, a Batalha da Grã-Bretanha e Operação Barbarossa. Hitler condecorou Ritter von Greim a Cruz de Ferro da Cavalaria com Folha de Carvalho e Espada(Das Ritterkreuz mit Eichenlaub und Schwertern dos Eisernen Kreuzes), o que fez dele um dos mais condecorados oficiais militares.

No fim do ano 1942, seu único filho, Hubert Greim, piloto de uma Bf - 109 - com 11./JG 2 "Richthofen" foi considerado como desaparecido na Tunísia. Ele foi abatido por um Supermarine Spitfire RAF voado por um piloto, mas saltou antes de o avião cair e foi capturado pelos americanos passando o resto da guerra num campo prisional nos Estados Unidos.

A melhor tática utilizada por Ritter von Greim foi durante a Batalha de Kursk bombardeando Orel Bulge com seus aviões Luftflotte.Por esta batalha ele foi premiado com a Cruz de Cavalaria e Espada.

O final da guerra[editar | editar código-fonte]

Em 26 de abril de 1945, quando forças soviéticas tinha chegado a Berlim, Ritter von Greim voou para lá a partir de Munique, com a notável piloto (e também a sua companheira íntima) Hanna Reitsch. Convocados por um rádio a pedido de Hitler, o seu Fieseler Storch foi afetado por artilharia anti-aérea sobre Grunewald e Ritter von Greim foi ferido na perna. Reitsch assumiu o avião e desembarcou em um improvisado aeroporto em Tiergarten perto do Portal de Brandenburgo.

Hitler promoveu Ritter von Greim a Marechal-do-ar, fazendo dele o último oficial alemão a atingir esse nível, e, em seguida, nomeou Ritter von Greim chefe da Força Aérea Alemã (Luftwaffe), para substituir Hermann Göring. Hitler tinha recentemente demitido Göring à revelia por traição. Ritter von Greim, assim, se tornou o segundo homem a comandar a Força Aérea Alemã. No entanto, com o fim da guerra na Europa se aproximando, seu mandato como Oberbefehlshaber da Luftwaffe iria durar apenas alguns dias.

Morte[editar | editar código-fonte]

Em 8 de maio, o mesmo dia da rendição do Terceiro Reich, Ritter von Greim foi capturado por soldados americanos na Áustria. Ritter von Greim faria parte de um programa de intercâmbio soviético-americano de prisioneiro e, temendo a tortura e execução nas mãos dos soviéticos, cometeu suicídio em Salzburgo, Áustria, em 24 de maio. Suas últimas palavras antes de tomar cianeto de potássio foram: "Eu sou o chefe da Luftwaffe, mas não tenho a Luftwaffe."

Após sua morte, suas condecorações, que havia colocado juntamente com o seu uniforme para seu rito quase suicida, não foram localizadas. Acredita-se que companheiros alemães tenham se apropriado das mesmas.

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Ehrenkreuz für frontkämpfer[2]
Cruz de Ferro 2ª Classe 26 de novembro de 1914
Cruz de Ferro 2ª Classe 10 de outubro de 1915
Broche da Cruz de Ferro 2ª Classe 1914
Broche da Cruz de Ferro 1ª Classe 1914
Wehrmachtbericht 20 de junho de 1940
Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro 24 de junho de 1940 nº 76
Wehrmachtbericht 22 de novembro de 1941
Wehrmachtbericht 19 de janeiro de 1942
Folhas de Carvalho 2 de abril de 1943 nº 216
Wehrmachtbericht 3 de setembro de 1943
Folhas de Carvalho e Espadas 28 de agosto de 1944 nº 92
Wehrmachtbericht 9 de setembro de 1944
Wehrmachtbericht 31 de outubro de 1944
Gemeinsames flugzeugfuhrer-beobachter abzeichen mit brillianten 17 de abril de 1945
Gemeinsames flugzeugfuhrer-beobachter abzeichen (ohne brillianten)
Dienstauszeichnung der Wehrmacht 4ª Classe, 4º ano
Dienstauszeichnung der Wehrmacht 3ª Classe, 12º ano

Notas[editar | editar código-fonte]

Ritter é um título, traduzido aproximadamente como cavaleiro, não um primeiro ou nome do meio. Não existe nenhuma forma equivalente feminino.

Referências

  1. Lexikon der Wehrmacht (em alemão) Robert Ritter von Greim.. Página visitada em 26 de junho de 2010.
  2. WW2Awards (em inglês) Robert Ritter von Greim.. Página visitada em 26 de junho de 2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]