Roberto Freire (psiquiatra)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Roberto Freire (São Paulo, 18 de janeiro de 1927 — São Paulo, 23 de maio de 2008) foi um médico psiquiatra e escritor brasileiro, conhecido por ser o criador de uma nova e heterodoxa técnica terapêutica denominada Soma (somaterapia). Foi também diretor de cinema e teatro, autor de telenovela, letrista e pesquisador científico.

Entre suas obras literárias mais importantes figuram Cléo e Daniel (história que foi levada ao cinema, com Myriam Muniz, Sônia Braga e John Herbert, entre outros), Sem entrada e sem mais nada, Coiote e os ensaios Utopia e Paixão, Sem Tesão Não Há Solução e Ame e dê Vexame. Escreveu também contos eróticos, literatura policial e infantil.

Na televisão, teve quadros em programas como TV Mulher e escreveu os primeiros capítulos da fracassada telenovela O Amor é Nosso, exibida em 1981, com Wilson Aguiar Filho. Posteriormente ambos seriam substituídos por Walter Negrão. Também escreveu para os programas A Grande Família e TV Mulher.

Em 2003 lançou a autobiografia Eu é um outro.

Roberto Freire foi o criador da somaterapia, terapia corporal baseada nas teorias psicanalíticas do austríaco Wilhelm Reich e de conceitos anarquistas. Freire se apresentava como "anarquista, escritor e terapeuta". Sua principal criação, a Somaterapia, vem sendo desenvolvida e praticada no Brasil e na Europa pelo Coletivo Anarquista Brancaleone.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.