Roberto II da Normandia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde maio de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Roberto II
Duque da Normandia
Reinado 9 de setembro de 1087
a 28 de setembro de 1106
Predecessor Guilherme II
Sucessor Henrique I
Esposa Síbila de Conversano
Descendência
Guilherme Clito
Casa Normandia
Pai Guilherme I de Inglaterra
Mãe Matilde de Flandres
Nascimento c. 1050
Normandia, França
Morte 3 de fevereiro de 1134 (84 anos)
Castelo de Cardiff, Cardiff, Glamorgan, Gales
Enterro Igreja de São Pedro, Gloucester, Inglaterra

Roberto II ou Roberto Curthose (c. 1050 - 10 de Fevereiro de 1134) foi Duque da Normandia entre 1087 e 1106 e filho mais velho do rei normando Guilherme I de Inglaterra.

Na juventude, Roberto mostrou-se um adolescente corajoso, com capacidades excepcionais para a guerra, mas também de carácter leniente. O seu péssimo feitio era quase lendário e gerou alguns incidentes diplomáticos entre Guilherme I e o rei de França. Um exemplo desta sua faceta é a sua revolta de 1077, em resultado de uma partida pregada pelos irmãos mais novos. Guilherme e Henrique haviam deitado água no chão dos aposentos de Roberto que caíu estatelado. Incapaz de desculpar o incidente e de perceber porque é que o pai se recusava a castigar os irmãos, Roberto reuniu um exército e atacou o castelo de Ruão, onde se encontrava Guilherme I. O confronto durou pouco tempo, mas passaram-se anos antes que Roberto e o pai fizessem as pazes.

Em 1087 Guilherme I de Inglaterra morre deixando a Normandia a Roberto mas o reino de Inglaterra é entregue a Guilherme II, considerado o mais capaz dos seus filhos. Roberto não ficou satisfeito por não ser o herdeiro universal e tentou manobrar contra o irmão sem grande sucesso. Foi assinado um tratado entre os dois, onde ambos se designavam sucessores um do outro.

No fim do século XI, Roberto juntou-se à Primeira Cruzada e partiu para a Terra Santa em 1096 e era lá que se encontrava quando o irmão Guilherme II de Inglaterra morre em 1100. Henrique, protegido pela distância, sentiu-se à vontade para usurpar a coroa ao irmão mais velho. Roberto regressou imediatamente à Europa e desembarcou em Portsmouth em 1101, preparado para lutar pelo seu direito à coroa inglesa. Mas entretanto, Henrique tivera tempo de sobra para preparar a sua defesa e reunir um exército numeroso. Tinha, para além do apoio militar da aristocracia, a simpatia das populações que não gostavam do mau feitio de Roberto. Perante estas circunstâncias, o duque da Normandia foi forçado a renunciar à coroa de Inglaterra no Tratado de Alton.

As relações entre irmãos pioraram a partir daqui, até que em 1105 Henrique invade a Normandia com o seu exército e derrota Roberto na batalha de Tinchebray. No ano seguinte, Roberto é forçado a abdicar do ducado da Normandia e enviado para o castelo de Cardiff, onde viveu aprisionado até ao fim da sua vida.

Roberto casou com Sibila de Conversano de quem teve um filho, Guilherme Clito, suposto herdeiro da Normandia, que se tornou Conde da Flandres.


Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Guilherme II
Duque da Normandia
9 de Setembro de 1087 - 28 de Setembro de 1106
Sucedido por
Henrique I