Roberto III da Escócia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Roberto III
Rei dos Escoceses
Robert III and Annabella Drummond.jpg
Governo
Reinado 19 de abril de 13904 de abril de 1406
Coroação 14 de agosto de 1390
Consorte Anabela Drummond
Antecessor Roberto II
Sucessor Jaime I
Dinastia Stewart
Títulos Conde de Atholl e Carrick
Vida
Nome completo John Stewart
Nascimento 1337
Dundonald, Ayrshire, Escócia
Morte 4 de abril de 1406
Dundonald, Ayrshire, Escócia
Sepultamento Abadia de Paisley, Renfrewshire, Escócia
Filhos Margarida
Roberto
Isabel
Davi
Maria
Jaime I
Egídia
Pai Roberto II
Mãe Elizabeth Mure

Roberto III (14 de agosto de 13374 de abril de 1406) foi Rei da Escócia a partir de 1390 até sua morte. Seu nome era John Stewart, e ele era conhecido principalmente como o Conde de Carrick antes de subir ao trono aos 53 anos. Era o filho mais velho de Roberto II e Isabel Mure e foi legitimado com o casamento de seus pais em 1347.

John se juntou ao seu pai e outros nobres em uma rebelião contra o seu tio-avô, David II no início de 1363, mas se submeteram a ele logo depois. Casou-se com Anabella Drummond, filha de Sir John Drummond de Stobhall antes de 31 maio de 1367, quando os Steward cederam a ele o condado de Atholl. Em 1368 David o investiu como Conde de Carrick. Seu pai tornou-se rei em 1371, após a morte inesperada do rei David, que não tinha filhos. Nos anos seguintes Carrick tornou-se influente no governo do reino, mas tornou-se cada vez mais impaciente com a longevidade de seu pai. Em 1384 foi nomeado tenente do rei, depois de ter influenciado o conselho geral a remover Robert II de governo direto. A administração de Carrick viu uma renovação do conflito com a Inglaterra. Em 1388 os escoceses derrotaram os ingleses na Batalha de Otterburn onde o comandante dos escoceses, Jaime, Conde de Douglas, foi morto. Nessa época Carrick tinha sido gravemente ferido por um coice de cavalo, mas a perda de seu poderoso aliado, Douglas, viu uma reviravolta em apoio dos nobres a favor de seu irmão mais novo, Roberto, Conde de Fife e em dezembro 1388 o conselho transferiu a tenência para Fife.

Em 1390, Roberto II morreu e Carrick subiu ao trono como Roberto III, mas sem autoridade para governar diretamente. Fife continuou como tenência, até fevereiro 1393, quando o poder foi devolvido ao rei em conjunto com seu filho David. Em um concílio em 1399 devido a "doença de sua pessoa" o rei, David, agora Duque de Rothesay, tornou-se tenente do reino em seu próprio direito, mas supervisionado por um grupo parlamentar especial dominado por Fife, agora denominado Duque de Albany. Depois disso, Roberto III retirou-se para suas terras no oeste e por um tempo desempenhou pouco ou nenhum papel nos assuntos de Estado. Foi incapaz de interferir quando uma disputa entre Albany e Rothesay surgiu em 1401 o que levou a detenção e prisão de Rothesay no Palácio de Falkland de Albany, onde ele morreu em março de 1402. O conselho geral absolveu Albany da culpa e o reconduziu como tenente. O único impedimento agora restante para uma monarquia Albany-Stewart era o único filho sobrevivente do rei, Jaime, Conde de Carrick. Em fevereiro de 1406 com 11 anos de idade, Jaime e um poderoso grupo de seguidores entraram em confronto com aliados Albany de Douglas, resultando na morte do conselheiro do rei Sir David Fleming de Cumbernauld. Jaime fugiu para Bass Rock no Firth of Forth acompanhado por Henrique Sinclair, Conde de Orkney e lá permaneceu por um mês antes de embarcar em um navio com destino a França. O navio foi interceptado perto de Flamborough Head e Jaime tornou-se prisioneiro de Henrique IV de Inglaterra e permaneceria em cativeiro pelos próximos 18 anos. Roberto III morreu no Castelo de Rothesay em 4 de abril de 1406, pouco depois de saber da prisão de seu filho e foi enterrado na Abadia de Paisley.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Inválido por um coice de cavalo, sempre houve o problema de quem seria seu guardião. Monarca fraco, ainda mais apagado que o pai, tinha 53 anos ao subir no trono e segundo a opinião geral era inadequado ao cargo. Quando jovem, tinha recebido um coice de cavalo na cabeça que o deixara mentalmente incapaz. Não despertava respeito. As perturbações com a Inglaterra continuavam. Seu irmão, Roberto ou Roberto Stuart, conde de Fife, que se acredita ter sido responsável pela morte de seu filho Davi, era poderoso e Roberto III se deixou dominar por ele.

Domínio de Albany[editar | editar código-fonte]

Roberto III permitiu governar seu ambicioso irmão Roberto Stuart (1340-1420), conde de Fife, fazendo-o em 1398 duque de Albany (primeiro título de Albany, extinto em 1425), o qual disputava poder com seu primogênito Davi (1378-1402), duque de Rothesay, lugar-tenente do reino desde o Conselho Geral em 1398. Em 1399, Roberto III entregou o governo ao filho mais velho, Davi, duque de Rothesay. Jovem dissoluto, Rothesay morreu de fome em maio de 1402, preso no castelo de Falkland, em Fife, por seu tio, o duque de Albany, que retornou assim ao poder. A morte de Rothesay em 1402 levou Albany a um poder incontestado, assegurado ainda mais pela prisão na Inglaterra de vários magnatas capturados na batalha de Homildon Hill, em 1402.

Para tentar salvar seu outro filho, James (futuro James I da Escócia), Roberto III mandou o príncipe para a França em 1406, mas James foi capturado por ingleses, mesmo durante uma trégua, causando grande choque ao rei. Ao receber a notícia, que o deixou desesperado, de que o filho fora capturado pelos ingleses e levado para a Inglaterra por Henrique V, Roberto III disse à mulher, Annabella, que seu epitáfio deveria ser: "Aqui jaz o pior dos reis e o mais desgraçado dos homens deste reino todo» e que deveria ser sepultado num monte de lixo. Albany se tornou governador da Escócia enquanto o futuro Jaime I estava preso pelos ingleses.

Enquanto o poder da coroa sofria com a fraqueza dos reis, os barões se fortaleciam. Quatro sucessivos chefes do clã Donald, que assumiram o título de senhor das Ilhas, estavam quase independentes do rei, tal era sua força. No sul, os Douglas Negros ou Black Douglas eram poderosos e tentaram se apoderar da coroa em 1371. Ambas as casas se aparentavam à Coroa por casamento.

A vantagem mais importante da Escócia era a fraqueza continuada da Inglaterra durante esses anos. Eduardo III estava muito velho, Ricardo II muito jovem. A subida ao trono de Henrique IV, a falência da França depois do surgimento de Joana d´Arc e a Guerra das Rosas eram fatores a enfraquecer o poder inglês. Havia ainda dificuldades econômicas, a Revolta Camponesa e o declínio no rendimento da lã. Os reis ingleses encontravam-se incapacitados a explorar as dificuldades da Escócia. A reivindicação de soberania foi esquecida, embora revivida por Henrique IV da Inglaterra quando quis se proclamar sucessor dos reis ingleses.

Casamento e posteridade[editar | editar código-fonte]

Em 1367, Roberto III casou-se com Anabella Drummond, falecida em 1401, filha de Sir John Drummond de Stobhall, de quem teve:

  1. Margaret, casada com Arquibaldo Douglas, 4º conde de Douglas
  2. Isabel, falecida em 1411, casada em 1387 com James Douglas, 1º barão de Dalkeith, falecido em 1441.
  3. Egídia, que faleceu jovem.
  4. Davi Stewart, Duque de Rothesay (1378-1402), herdeiro do trono da Escócia. Morreu sem deixar filhos. O sucessor de seu pai no trono foi seu irmão Jaime.
  5. Jaime I da Escócia, falecido em 1437, foi o sucessor do pai no trono da Escócia.
  6. Roberto, que faleceu pequeno.
  7. Maria Stewart, falecida em 1458. Casou-se cinco vezes, a primeira em 1387 com George Douglas, 1º conde de Angus; segunda vez com Sir James Kennedy, o Jovem; terceira vez em 1409 com Guilherme Cunningham; quarta vez em 1413 com Guilherme, senhor de Graham; e quinta vez em 1425 com Guilherme Edmonstone.

Roberto III deixou também dois filhos bastardos:

  • James Stewart de Kilbride
  • Sir John Stewart, falecido a cerca de 1412, tido talvez de uma filha de Sir Archibald Campbell de Lochow. Recebeu do pai as terras de Auchingowan em 1390, Blackhall em 1395 e Ardgowan em 1403, todas em Renfrewshire.
Precedido por
Roberto II
Rei da Escócia
13901406
Sucedido por
Jaime I
Precedido por:
nova criação
Conde de Carrick
13681390
Sucedido por:
unidos à coroa
Conde de Atholl
13791390