Roda de Genebra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde julho de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Animação exibindo a Roda de Genebra em seis posições.

A Roda de Genebra ou cruz de Malta é uma engrenagem que transforma um movimento de rotação contínuo em uma rotação intermitente. A roda de transmissão possui um pino que, ao entrar num entalhe da roda que recebe o movimento, a faz avançar um passo. A roda motriz também possui um disco circular que se encaixa nas reentrâncias da receptora, travando-a durante o movimento, por etapas.

Origens[editar | editar código-fonte]

O nome deriva do primitivo uso que se deu ao mecanismo em relógios suíços, sendo Genebra um dos mais importantes centros relojoeiros daquele país. A Roda de Genebra também é chamada de cruz de Malta pela semelhança visual com esta.

No arranjo mais comum, as rodas movidas têm quatro fendas e assim avançam em cada rotação uma etapa de 90 °. Se a roda movida possui n fendas, a roda possui um avanço em cada etapa 360°/n por rotação completa da roda motriz.

Geneva drive.svg

Como o mecanismo necessita de boa lubricação, comumente fica encerrado numa cápsula com óleo.

Usos e aplicações[editar | editar código-fonte]

Uma das aplicações da roda de Genebra é em projetores de cinema, pois os filmes não são executados continuamente, mas avançam quadro a quadro, ficando cada quadro parado diante da lente cerca de 1/24 de segundo (se exposto duas vezes neste período, resulta numa frequência de 48Hz). Este movimento intermitente é obtido por meio de uma roda de Genebra. Os primeiros projetores usaram esta engrenagem por volta de 1896 com os aparelhos de Oskar Messter e Max Gliewe, e o chamado "Teatrógrafo" de Robert William Paul. Projetores mais antigos, incluindo o Thomas Armat, comercializado por Edison com o nome de Vitascope, usava o mecanismo batedor, inventado por Georges Demenÿ em 1893.

As rodas de Genebra foram invenção dos relojoeiros dos séculos XVII ou XVIII e seu objetivo era tolher o desenrolar da mola (ou corda) de modo a limitar a sua tensão.

Este mecanismo possui diversos usos, como nas impressoras plotter, aparelhos de amostragem automática, tabelas de indexação em linhas de montagem, trocadores de ferramentas em máquinas CNC, dentre outros.

Roda de Genebra de rotação interna[editar | editar código-fonte]

Roda de Genebra de rotação interna. Clique na imagem para ver a animação.

A roda de Genebra de rotação interna é uma variante da original. Neste caso o tempo de rotação e de parada é invertido com o mecanismo de rotação externa: com este projeto a roda motriz imprime um tempo de giro maior, pois o encaixe na fenda permanece em giro sempre superior a 180°.

O mecanismo externo é mais comum, além de poder ser construído em escala menor e, ainda, suportar maiores tensões mecânicas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Roda de Genebra