Rodney Dangerfield

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rodney Dangerfield
Rodney Dangerfield em 1978
Nome completo Jacob Cohen
Nascimento 22 de Novembro de 1921
Long Island - NY, Estados Unidos
 Estados Unidos
Morte 05 de outubro de 2004 (82 anos)
Los Angeles - CA, Estados Unidos
Ocupação Ator (Comediante) / Músico
Assinatura
Rodney Dangerfield Signature.svg
Página oficial
IMDb: (inglês)

Rodney Dangerfield, nascido Jacob Cohen (Long Island - NY, 22 de novembro de 1921; † Los Angeles - CA, 5 de outubro de 2004), foi um comediante, ator e músico estadunidense.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Como Ator[editar | editar código-fonte]

Jacob se iniciou na comédia de palco aos 19 anos em pequenos bares, abrindo para Jerry Lewis, Danny Kaye, Sid Caesar, entre outros.

Com o nome Jack Roy, ele viajou bastante e ganhou o suficiente para viver.

Aos 27, se casou, teve dois filhos e se assentou como comerciante em Nova Jersey.

Apenas depois de completar 42 anos, já divorciado, Cohen assumiu o nome Rodney Dangerfield e voltou a se apresentar em clubes, e na televisão. O ator começou a atrair atenção, após aparecer no programa de Ed Sullivan por sete vezes e no "The Tonight Show" de Johnny Carson mais de 70 vezes, além de várias no Saturday Night Live.

Com sua popularidade em alta, o cinema seria o próximo passo.

No cinema, seus papéis mais marcantes foram no filme "Clube dos Pilantras", em 1980, e em 1994, onde o comediante tentou seu primeiro papel dramático, sendo elogiado como o pai sádico de "Assassinos por Natureza", de Oliver Stone.

Ainda em 1994, recebeu um prêmio por sua carreira, o "Lifetime Creative Achievement Award", do "American Comedy Awards".

Mesmo assim, Dangerfield nunca teve muito reconhecimento como artista, fato que já o tinha levado a gravar o disco No Respect, vencedor do Grammy em 1980.

No ano seguinte, se candidatou a membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood e foi rejeitado.

Cansado de buscar aprovação, Dangerfield montou um site pessoal, onde seus defensores demonstraram indignação contra a Academia.

Esta logo tentou reverter a situação, oferecendo a ele um convite, prontamente recusado.

“Eles nem pediram desculpas. Não têm respeito pela comédia”, afirmou, na ocasião.[1]

Músico[editar | editar código-fonte]

Seu álbum musical - "No Respect" - lhe rendeu um "Grammy Award", em 1980 - categoria "Best Comedy Recording"[2] Um dos seus singles - "Rappin' Rodney" - foi um dos primeiros hits da MTV americana.[3]

Este single ainda rendeu ao cantor a posição 89 na lista "Top 100 One Hit Wonder Of The 80′s (100 melhores bandas de um hit só dos anos 80)" do canal VH1. A lista foi feita no ano de 2009.[carece de fontes?]

Morte[editar | editar código-fonte]

O comediante morreu no dia 05 de Outubro de 2004, às 13h20 (17h20 em Brasília), no Hospital UCLA.

Ele havia ficado internado em coma após uma cirurgia em uma válvula coronariana em agosto de 2004. De acordo com seus médicos, Dangerfield sofreu um infarto pós-operatório e teve complicações e infecções das quais não conseguiu se recuperar.[4]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Trabalhos na TV[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • What's in a Name? (1966) released as The Loser (1977)
  • I Don't Get No Respect (1980)
  • No Respect (1981)
  • Rappin' Rodney (1983)
  • La Contessa (1995)
  • Romeo Rodney (2005)
  • 20th Century Masters - The Millennium Collection: The Best of Rodney Dangerfield (2005)
  • Greatest Bits (2008)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]