Rodolfo Pio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rodolfo Pio
Cardeal da Santa Igreja Romana
Decano do Colégio dos Cardeais
Rodolfo Pio, por Francesco Salviati, ca. 1540

Título

Cardeal-bispo de Óstia-Velletri
Ordenação e nomeação
Ordenação episcopal 28 de dezembro de 1533
Cardinalato
Criação 22 de dezembro de 1536, pelo Papa Paulo III
Brasão
CardinalCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Duc-Modena.jpg Carpi
22 de fevereiro de 1500
Morte Estados Pontifícios Roma
2 de maio de 1564 (64 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Rodolfo Pio (22 de fevereiro de 1500 - 2 de maio de 1564) foi um cardeal e diplomata italiano, Decano do Colégio dos Cardeais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Leonel II, senhor de Carpi, Meldola e Sarsina, e sua primeira esposa, Maria Martinengo. Seu sobrenome também é listado como Pio di Carpi, por ter nascido em Carpi, pertencente ao feudo da família, em Módena.[1]

Os estudos iniciais foram com Aldo Manuzio; mais tarde, estudou direito na Universidade de Pádua e filosofia e teologia em Roma. Aos 16 anos, torna-se Cavaleiro da Ordem de São João de Jerusalém e no ano seguinte, reitor da igreja da SS. Trinità de Ferrara. Iniciou sua carreira eclesiástica, sob o pontificado do Papa Clemente VII sendo camareiro privado de Sua Santidade.[1]

Vida religiosa[editar | editar código-fonte]

Foi nomeado bispo de Faenza em 13 de novembro de 1528[2] , sendo consagrado em 28 de dezembro de 1533, pelo cardeal Bonifacio Ferrero.[2] Em 16 de julho de 1530, torna-se núncio apostólico na França, onde fica até 28 de novembro do mesmo ano.[1] [3] Em 1533, torna-se o núncio ante Carlos III de Saboia. Reuniu-se com o rei da França, Francisco I, em Nice e foi a Roma para informar o Papa, em 12 de novembro de 1533.[1] Em 1534, torna-se núncio perante o rei Francisco I para negociar a convocação do conselho geral e de paz entre ele e Sacro Imperador Carlos V, em 9 de janeiro, sendo a missão prorrogada por seis meses, até 16 de dezembro de 1535.[1]

Em seguida, é criado cardeal, em 22 de dezembro de 1536, recebendo o barrete cardinalício e o título de Santa Pudenciana em 23 de julho de 1537.[1] [2] [3] Juntamente com o Cardeal Cristoforo Giacobazzi, é nomeado núncio ante o Sacro Imperador Romano Carlos V e o rei Francisco I da França para restabelecer a paz entre eles, em 10 de dezembro, depois foi informado sobre a legação no consistório celebrado em Piacenza em 30 de abril de 1538.[1] Em 28 de novembro de 1537, passa ao título de Santa Priscila[1] [2] [3] e torna-se cardeal protetor do Reino da Escócia. Foi ainda protetor da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos e da Companhia de Jesus.[1]

Em 1543, passa ao título de São Clemente. Em 1544, foi nomeado pelo Sacro Imperador administrador apostólico de Agrigento, cargo que exerceria até a morte.[1] [3] No mesmo ano, passa ao título de Santa Maria em Trastevere.[1] [2] [3] Por conta de uma doença, não pode comparecer ao consistório de 8 de janeiro de 1546.[1] Participa do Conclave de 1549–1550, que elegeu o Papa Júlio III. Passa a ordem dos cardeais-bispos, com o título de bispo de Albano[1] [2] [3] e menos de um mês depois, passa ao título de bispo de Frascati onde fica até 1555[1] [2] [3] , quando é transferido para Porto e Santa Rufina. Participa dos dois conclaves de 1555, de abril que elegeu o Papa Marcelo II e de maio, que elegeu o Papa Paulo IV. Participa do Conclave de 1559, que elegeu o Papa Pio IV. Em 1562, torna-se Decano do Colégio dos Cardeais e bispo de Óstia-Velletri.[1] [2] [3]

Ele foi um reformador, um sábio administrador da diocese que ocupava, um amante das artes e patrono de artistas, literatos e eruditos, independentemente da sua confissão religiosa, e um colecionador de estátuas preciosas, livros, códices, urnas e medalhas.[1]

Morreu em 2 de maio de 1564, de gota, no palácio da família Pallavicino, em Roma. Está sepultado na igreja do SS. Trinità al Monte Pincio, em Roma. Em 12 de maio de 1564, o papa fez seu eulogio. O Papa Pio V ergueu um monumento fúnebre alguns anos mais tarde em sua homenagem.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q The Cardinals of the Holy Roman Church (em inglês). Fiu.edu.
  2. a b c d e f g h Catholic Hierarchy (em inglês). Catholic-hierarchy.org.
  3. a b c d e f g h GCatholic (em inglês). Gcatholic.com.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Pier Andrea Gambari
BishopCoA PioM.svg
Bispo de Faenza

1528 - 1544
Sucedido por
Teodoro Pio
Precedido por
Gianvincenzo Carafa
brasão cardinalício
Cardeal-presbítero de Santa Pudenciana

1537
Sucedido por
Ascanio Parisani
Precedido por
Gianvincenzo Carafa
brasão cardinalício
Cardeal-presbítero de Santa Priscila

1537 - 1543
Sucedido por
Bartolomeo Guidiccioni
Precedido por
Gian Pietro Carafa
brasão cardinalício
Cardeal-presbítero de São Clemente

1543 - 1544
Sucedido por
Pietro Bembo
Precedido por
Gian Pietro Carafa
brasão cardinalício
Cardeal-presbítero de Santa Maria em Trastevere

1544 - 1553
Sucedido por
Juan Álvarez y Alva de Toledo
Precedido por
Jean du Bellay
Cardeal
Cardeal-bispo de Albano

1553
Sucedido por
Juan Álvarez y Alva de Toledo
Precedido por
Jean du Bellay
Cardeal
Cardeal-bispo de Frascati

1553 - 1555
Sucedido por
Juan Álvarez y Alva de Toledo
Precedido por
Jean du Bellay
Cardeal
Cardeal-bispo de Porto e Santa Rufina

1555 - 1562
Sucedido por
Francesco Pisani
Precedido por:
François de Tournon
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-bispo de Óstia-Velletri

Sucedido por:
Francesco Pisani
Deão do Sacro Colégio dos Cardeais
15621564