Roger Etchegaray

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roger Etchegaray
Cardeal da Santa Igreja Romana
Vice Decano do Colégio Cardinalício

Título

Cardeal-bispo de Porto-Santa Rufina
Hierarquia
Papa Francisco
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 13 de julho de 1947
Ordenação episcopal 24 de maio de 1969
Nomeado arcebispo 22 de dezembro de 1970
Cardinalato
Criação 30 de junho de 1979 por João Paulo II
Dados pessoais
Nascimento FrançaEspelette, 25 de setembro de 1922 (91 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Roger Marie Élie Etchegaray (Espelette, 25 de setembro de 1922) é um cardeal francês e vice-decano do Colégio Cardinalício.

Episcopado[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 1922 em Espelette, localidade francesa da região da Aquitânia, junto à fronteira com a Espanha.

Etchegaray foi ordenado padre em 13 de julho de 1947, na paróquia de Bayonne, na França. Foi nomeado bispo-titular de Gemellae in Numidia e bispo-auxiliar de Paris, em 1969.

Prelazia[editar | editar código-fonte]

No ano seguinte, em 1970, é elevado a Arcebispo de Marselha. Já em 1975, é nomeado Prelado da Missão da França em Pontigny, ligado à arquidiocese de Dijon. Em 1979, é elevado a Cardeal, como cardeal-presbítero da Sé titular de São Leão I. Em 1984, torna-se presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz e do Pontifício Conselho Cor Unum. Em 1995, retira-se do Pontifício Conselho Cor Unum e, em 1998, do Pontifício Conselho Justiça e Paz, sendo feito cardeal-bispo de Porto-Santa Rufina. Em 2005, é confirmado como vice-decano do Colégio de Cardeais.

Foi seu principal consagrante o Cardeal François Marty. Foi o principal consagrante de vários arcebispos e cardeais, entre eles, Cardeal Dom Jorge María Mejía, arcebispo Dom Iván Antonio Marín López e arcebispo Dom Anatole Milandou.

Incidente[editar | editar código-fonte]

Na noite de 24 de Dezembro de 2009, o cardeal fracturou o fémur durante a celebração da Missa do Galo, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, em consequência de ter tentado proteger o Papa Bento XVI da agressão de que foi vítima, por uma jovem de 25 anos, mentalmente desequilibrada e que, saltou o cordão de segurança montado entre os fieis e os sacerdotes e, conseguíu agarrar violentamente a batina do Sumo Pontífice e, fazer com que este se estatelasse no chão, em pleno corredor da nave central da basílica, pois o incidente ocorreu no início da celebração, quando o Santo Padre e os restantes cardeais se dirigiam em cortejo para o altar.

A jovem, de nacionalidade suíça e que, já havia tentado o mesmo no Natal do ano anterior, embora aí fosse travada pela segurança antes de chegar ao corredor da basílica, foi imediatamente levada à força para fora da basílica pelas autoridades do Vaticano, sendo detida de imediato e, o Papa saíu ileso deste ataque, tendo celebrado a missa normalmente mas, Etchegaray, que caminhava a seu lado, colocou-se na trajectória da agressora para o proteger, tendo se desequilibrado também e, caído no chão, lesionado o fémur. Foi de seguida examinado e operado no Hospital Gemelli, em Roma, hospital que costuma prestar serviços médicos ao Vaticano.[1]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências

Precedido por
Georges Jacquot
Brasão cardinalício
Cardeal-Arcebispo de Marselha

197019791985
Sucedido por
Robert-Joseph Coffy
Precedido por
Lorenz Jäger
Brasão cardinalício
Cardeal-presbítero de São Leão I

19791998
Sucedido por
Karl Lehmann
Precedido por
Bernardin Gantin
Presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz
19841998
Sucedido por
François-Xavier Nguyên Van Thuân
Precedido por
Bernardin Gantin
Presidente do Pontifício Conselho Cor Unum
19841995
Sucedido por
Paul Josef Cordes
Precedido por
Agostino Casaroli
Brasão cardinalício
Cardeal-bispo de Porto-Santa Rufina

1998 — atual
Sucedido por