Romance de espionagem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Romance de espionagem é um gênero literário que se caracteriza, em termos de sua estrutura narrativa, pela presença de espiões como personagens e atividades de espionagem entre nações. Surgiu em 1821 com James Fenimore Cooper, e depois com Gustave Aimard, em 1874.

O romance de espionagem é “um fenômeno do século XX”. Desde o final do século XIX até os dias de hoje, tem inspirado dezenas de autores e gerado milhões de exemplares que são vendidos em todo o mundo.

Seria de se esperar que existisse sobre esse fenômeno literário uma ampla bibliografia voltada à sua pesquisa, seja no Brasil, ou nos países que mais publicam esse tipo de obra. Mas não é assim que acontece. O gênero que é conhecido como Spy Story (que chamaremos doravante de Ss) é praticamente desconhecido no Brasil. Que fique claro: o gênero, não as obras que dele fazem parte.

Se a denominação do gênero é praticamente desconhecida no país, resguardando uma citação de José Paulo Pais e outra de Sandra Reimão, a produção local acompanha essa tendência. São as traduções que dominam o mercado do romance de espionagem no Brasil, e nisso não é diferente do resto do mundo. A produção é hegemonicamente anglo-saxônica, com obras produzidas em inglês nos Estados Unidos e Inglaterra – a França teve sua fase de produção relativamente interrompida na década de 1980, completando aproximadamente 100 anos de Ss.

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.