Rosário Oeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Rosário Oeste
Bandeira de Rosário Oeste
Brasão de Rosário Oeste
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 25 de junho
Fundação 25 de junho de 1843
Gentílico rosariense
Lema Nossa Terra, Nossa Gente!
Prefeito(a) João Balbino (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Rosário Oeste
Localização de Rosário Oeste no Mato Grosso
Rosário Oeste está localizado em: Brasil
Rosário Oeste
Localização de Rosário Oeste no Brasil
14° 50' 09" S 56° 25' 40" O14° 50' 09" S 56° 25' 40" O
Unidade federativa  Mato Grosso
Mesorregião Centro-Sul Mato-Grossense IBGE/2008[1]
Microrregião Rosário Oeste IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Porto Estrela, Barra do Bugres, Alto Paraguai, Nobres, Santa Rita do Trivelato, Paranatinga, Planalto da Serra, Nova Brasilândia, Chapada dos Guimarães, Cuiabá, Acorizal, Jangada e Nossa Senhora do Livramento.
Distância até a capital 128 km km
Características geográficas
Área 8 802,047 km² [2]
População 17 682 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 2,01 hab./km²
Altitude 192 m acima do nível do mar m
Clima Tropical quente e sub-úmido, período de seca de cinco meses.
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,715 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 169 017,651 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 120,81 IBGE/2008[5]
Página oficial

Rosário Oeste é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. Localiza-se a uma latitude 14º50'10" sul e a uma longitude 56º25'39" oeste, estando a uma altitude de 192 metros. Sua população estimada em 2004 era de 17 990 habitantes.

Possui uma área de 8530,37 km².

História[editar | editar código-fonte]

No ano de 1757, Inácio Manoel Tourino e sua esposa Maria Francisca Tourino, atraídos pela fertilidade das terras, estabeleceram-se na margem direita do Ribeirão monjolo, onde fundaram um sítio com o mesmo nome. Ali, ergueram uma capelinha feita pela mão de escravos, coberta de palha, para a qual dona Maria Francisca Tolentino mandou trazer do Rio de Janeiro uma imagem de Nossa Senhora do Rosário.

O sítio era caminho obrigatório de quem ia para as minas auríferas de Diamantino, o povoado começou a crescer, até o falecimento do casal fundador. A maioria dos moradores começaram a migrar, especialmente para Diamantino, em busca de melhores condições de vida. Até que em 8 de agosto de 1812, o Capitão José Pedro da Silva Prado juntamente com Marcelino Rodrigues de Toledo e o Ten. Cel. Vitoriano Lopes de Macedo, obtiveram por carta de Sesmaria, uma data de terras lavradas com testada à margem direita do Rio Cuiabá, nas imediações do extinto Sítio Monjolo, ligado as estradas Bandeirantes no Mato Grosso.

O novo arraial atraiu os habitantes do Monjolo e com eles foi trazida a imagem da santa para uma nova igreja(agora antiga igreja matriz), construída com trabalho escravo. E assim, foi se formando o Arraial do Rosário, que em 26 de agosto de 1883, pelo Decreto nº 30 foi criada a Freguesia de Rosário do Rio Acima. A Vila de Rosário do Rio Acima tomou o nome de Rosário Oeste por força da Lei Estadual nº 694 de 11 de junho de 1915, recebendo foros de cidade pela Lei nº 772 de 16 de junho de 1918.

Nas divisões territoriais ocorridas em 1936 e 1937, foram criados dois distritos: Araras e Nobres. Em 24 de dezembro de 1948, pelo Decreto nº 583, são criados mais dois distritos, que são o Distrito de Arruda e o Distrito Praia Rica. O Distrito de Araras passou a se chamar Bauxi.

No ano de 1953, o Distrito de Praia Rica passaou a pertencer à Chapada dos Guimarães e, em 1963, pela Lei nº 4011, no dia 6 de novembro cria o Distrito do Marzagão, um lugar com traços fortes da época da escravatura. No ano de 1953 o Distrito de Praia Rica passa a pertencer à Chapada dos Guimarães.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Rosário Oeste, possui uma área territorial de 8.802,047 km².[6]

Segundo a contagem do IBGE em 2007 a população de Rosário Oeste é de 17.896 habitantes.[7]

Na vegetação predominam-se 70% de campos limpos, 20% matas virgen e 10% cerrado.

O clima do município classifica-se como tropical quente e sub-úmido, como período de 5 meses de seca, a temperatura em média é de 26°C, alcançando máxima de 38°C e mínima de 19°C, os períodos de chuva são nos meses de novembro a março.

O relevo de Rosário Oeste de modo geral é tabular, com elevações acentuadas, característica de todo o Planalto Central e encontra-se na Zona Fisiográfica da Chapada dos Guimarães.

A região leste apresenta como principais acidentes a Serra de Marzagão, a Serra da Canguinha e a Serra de São Joaquim, que são divisórias da grande Bacia Amazônica e Platina, enquanto que na região oeste destaca-se a Serra do Tombador, zona tectônica com grande quantidade de calcário e dolomito.

Nessas serras nascem muitos córregos, riachos e ribeirões que formam os rios Cuiabá e Teles Pires. O Rio Cuiabá localiza-se ao norte do município, servindo de limite entre Rosário Oeste e Nobres, de água no Rio Paraguai. O Rio Teles Pires segue direção contrária, dirigindo-se para o norte, na Bacia Amazônica e serve de divisor entre Rosário Oeste e Chapada dos Guimarães.

O solo da região é em sua maioria de Latossolos Vermelho, Amarelo e Hidroformos, apresentando boa fertilidade natural em algumas localidades como o Distrito de Bauxi e Distrito de Marzagão.

Pela cidade passou, em 1938, Claude Lévi-Strauss, etnólogo francês, que vinha de Cuiabá em uma expedição para o noroeste do Brasil. Deixou suas impressões registradas em seu livro Tristes Trópicos, de 1955.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. .MATO GROSSO. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em:<ftp://geoftp.ibge.gov.br/documentos/cartografia/areaterritorial/pdf/areas_2001_51.pdf>. Acesso em 04/06/2008
  7. .Disponível em:<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/contagem2007/MT.pdf>. Acesso em 04/06/2008

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Revista Guardião do Médio Norte, Informativo Oficial do 7º BPM, ano 1, n. 02, 2002.

LIU, Ariana Dias. Evolução Urbanística e Arquitetônica de Rosário Oeste. Cuiabá, 2000.

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.