Rosa Parks

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rosa Parks em 1955, com Martin Luther King, Jr. ao fundo.

Rosa Louise McCauley, mais conhecida por Rosa Parks (Tuskegee, 4 de fevereiro de 1913Detroit, 24 de outubro de 2005), foi uma costureira negra norte-americana, símbolo do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos. Ficou famosa, em 1º de dezembro de 1955, por ter-se recusado frontalmente a ceder o seu lugar no autocarro a um branco, tornando-se o estopim do movimento que foi denominado Boicote aos Autocarros de Montgomery e posteriormente viria a marcar o início da luta antissegregacionista.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O Autocarro de Montgomery em que Rosa Parks recusou-se a ceder seu lugar a uma pessoa branca.

Nascida em Tuskegee, no estado do Alabama, no Sul dos EUA, Rosa era filha de James e Leona McCauley, e cresceu em uma fazenda. Devido a problemas de saúde na família, foi obrigada a interromper os seus estudos e começou a trabalhar como costureira.

Em 1932 casou-se com Raymond Parks, membro da Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP), uma organização que luta pelos direitos civis dos negros, da qual Rosa se tornou militante.

Foi através dessa atitude que o então jovem pastor negro Martin Luther King Jr. , concordando com a atitude de Rosa Parks, incentivava em seus sermões os negros fiéis a fazerem o mesmo.

Este movimento teve grande repercussão nos Estados Unidos na década de 1950, pois o honroso pastor pregava pelos direitos civis dos negros americanos através da teoria "say at least… I'm black, I'm proud" (tradução livre: "ao menos diga... Eu sou negro, com muito orgulho"), que mudou completamente a história dos Direitos Civis para os negros americanos e influenciou gerações de negros no mundo inteiro. A atitude solitária de Rosa Parks, ao ser acolhida por Martin Luther King, Jr., nunca mais foi uma atitude solitária. Depois de se aposentar, escreveu sua autobiografia. Os anos finais de sua vida foram marcados pelo Mal de Alzheimer, e no ano de 2005 morreu de causas naturais.

Medalhas e Honrarias[editar | editar código-fonte]

Medalha de ouro do congresso, com a inscrição "Mãe do Movimento dos Direitos Civis dos dias atuais".
  • 1976 Detroit renomeou a 12th Street com Rosa Parks Boulevard
  • 1979 A NAACP premiou Parks com a Spingarn Medal, a sua mais elevada distinção
  • 1980 Foi-lhe atribuída aMartin Luther King Jr. Award
  • 1983 Ela foi colocada no Women's Hall of Fame do estado do Michigan, pelos pelos seus feitos na luta pelos direitos civis
  • 1990
    • Parks foi convidada para fazer parte do grupo que deu as boas vindas a Nelson Mandela, depois de libertado da prisão na África do Sul
    • Parks deu o nome a parte da estrada Interstate 475, fora de Toledo, Ohio, que assim a homenageou
  • 1992: Foi-lhe atribuída a Peace Abbey Courage of Conscience Award, em conjunto com Benjamin Spock e outros, no Kennedy Library and Museum, em Boston, Massachusetts
  • 1996: Foi-lhe atribuída a Medalha Presidencial da Liberdade, do Presidente Bill Clinton
  • 1998: Primeira pessoa a receber o International Freedom Conductor Award, dado pelo National Underground Railroad Freedom Center
  • 1999: Medalha de Ouro do Congresso
  • 2005: Após a sua morte, a empresa americana de computadores Apple Inc. fez-lhe uma homenagem no seu site, publicando a sua foto enquanto jovem, num autocarro. Acima da foto, o logo da empresa e o mundialmente famoso slogan Think Different e por baixo da foto, a inscrição Rosa Parks: 1913 - 2005.

Ônibus[editar | editar código-fonte]

O ônibus em que ocorreu os fatos envolvendo Rosa Parks, atualmente, faz parte do acervo do The Henry Ford Museum[1] .

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Rosa Parks

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.