Rosamaria Murtinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Junho de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Rosamaria Murtinho
Rosamaria Murtinho, 2003.
Nome completo Rosa Maria Pereira Murtinho
Nascimento 24 de outubro de 1935 (78 anos)
Belém, PA
Ocupação Atriz
Cônjuge Mauro Mendonça
IMDb: (inglês)


Rosamaria Murtinho, cujo nome completo é Rosa Maria Pereira Murtinho, (Belém, 24 de outubro de 1935) é uma atriz brasileira.

É casada com Mauro Mendonça com quem tem três filhos homens, sendo que um deles, Mauro Mendonça Filho, é diretor da Rede Globo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É descendente do político brasileiro Joaquim Murtinho. Seu pai, o engenheiro agrônomo carioca Frederico Murtinho Braga, teve que fazer um trabalho no Norte do Brasil, para o Instituto Agronômico do Norte, e então conheceu Maria do Carmo, filha do Dr. Enéas Calandrini Pinheiro, então diretor do instituto, e os dois se apaixonaram. Casaram-se e Rosamaria nasceu em Belém e foi para o Rio de Janeiro ainda bebê, aos 21 dias de idade, na então capital do país. Morou durante um ano nos Estados Unidos. Queria estudar Direito e para isso vinha se preparando, mas entrou para o teatro, arte pela qual se apaixonou e que a fez desistir de tudo o mais.

Seu irmão começou a fazer teatro amador com Paulo Francis, e Rosamaria ingressou no grupo Studio 53. Uma das atrizes adoeceu e Rosamaria, a pedido de seu irmão e por sugestão de Paulo Francis, tomou o lugar dela, isso aos dezoito anos, num grupo amador, mas que levava o trabalho a sério. Um dia, Silveira Sampaio, que era dono do Teatro de Bolso, assistiu a uma apresentação do grupo e gostou de Rosamaria, convidando-a a participar de uma peça dele. Só aí ela ganhou seu primeiro salário. Depois foi a vez de Sandro Polônio chamá-la para fazer teatro em São Paulo, mas os pais não permitiram. Porém, acompanhada pela mãe, Rosamaria foi para Portugal trabalhar. Ainda nem era atriz nacional, e já era atriz internacional.

Voltando ao Brasil, começou a trabalhar na televisão, ao mesmo tempo em que fazia teatro, com o Teatro dos Sete, que era de Fernanda Montenegro, Fernando Torres, Sérgio Britto e outros, por volta de 1955. Participou nessa época do programa Câmera Um, de Jacy Campos, que montava todo o espetáculo usando apenas uma câmera. Depois Rosamaria foi do Rio para São Paulo, participando de grandes peças, dentre as quais O Canto da Cotovia, A Rosa Tatuada e Manequim. Foi numa dessas montagens que viria a conhecer o ator Mauro Mendonça, com quem se casou em 1959.

Dependendo de seus trabalhos e dos de Mauro em televisão e teatro, a vida de Rosamaria sempre esteve entre a "terra da garoa" e a "cidade maravilhosa". Trabalhou na TV Tupi e, contratada pela TV Excelsior, mudou-se para São Paulo, onde participou de telenovelas como A Moça que Veio de Longe, A Muralha, Sangue do Meu Sangue, Os Estranhos, entre outras. Em 1972, estreou na Rede Globo, participando de O Primeiro Amor, e onde outras telenovelas de sucesso se seguiram.

No fim da década de 1980 foi trabalhar na TV Manchete, atuando em Kananga do Japão e Pantanal, voltando a seguir à Rede Globo. Sem deixar o teatro de lado, Rosamaria atuou em Ô Abre Alas, que falava de Chiquinha Gonzaga.

Em 2013, volta às novelas em Amor à Vida, onde vive a misteriosa Tamara Gouveia Sobral ela é sogra de Félix (Mateus Solano) e mãe de Edith (Barbara Paz), ela será cúmplice de Félix e induzirá ele matar a sobrinha Paulinha (Klara Castanho, filha de Paloma (Paolla Oliveira). Ela é uma dos antagonistas da trama.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Atuação no cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Site alemão New Video - Das Filmlexicon, Freddy - Weit ist der Weg [em linha]
  2. Didi, O Cupido Trapalhão Cinemateca Brasileira.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rosamaria Murtinho