Rotavirus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaRotavirus
Eletromicrografia de partículas virais de Rotavirus

Eletromicrografia de partículas virais de Rotavirus
Classificação científica
Grupo: Grupo III (dsRNA)
Família: Reoviridae
Género: Rotavirus

Rotavirus é um género de vírus de RNA de dupla hélice da família Reoviridae. É umas das principais causas de diarréia grave em lactentes e crianças jovens, e é um do diversos vírus que causam infecções comumente chamadas de gastroenterite. Estima-se que, aos cinco anos de idade, quase todas as crianças do mundo tenham sido infectadas pelo rotavírus pelo menos uma vez. No entanto, como em cada infecção, a imunidade se desenvolve, as infecções subsequentes são menos graves, e adultos raramente são afetados. Existem sete espécies desse tipo de vírus, conhecidas como A, B, C, D, E, F e G. O Rotavirus A, o mais comum, é o responsável por mais de 90% das infecções em seres humanos.

Não possuem envelope bilipídico e são extremamente resistentes. Possuem forma icosaédrica. Possuem um período de incubação de 2 a 5 dias.

Causam gastroenterites limitadas com diarréia, vômitos, muita dor abdominal e náuseas, após transmissão em comida, objetos ou água infectada com vírus proveniente de fezes. É a causa mais comum de diarréia infecciosa nas crianças da Europa.

O tratamento é feito pela administração de muita água com um pouco de sal e açúcar (soro caseiro), para restabelecer os líquidos e electrólitos perdidos na diarréia.


Os medicamentos Rotatrix e Rota teq são aprovados pela ANVISA e recomendados pelo Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo para o tratamento da diarreia por rotavírus. Sua ação em reduzir o impacto da doença causada pelo rotavírus foi demonstrada em laboratório, comprovando que a droga protege as células de danos provocados pelo vírus.[carece de fontes?]

A prevenção é feita pela adoção das medidas de higiene embora, em crianças, o contágio seja comum, mesmo em ambientes higiênicos.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Diagrama simplificado da localização das proteínas estruturais do rotavírus.

Em 1943, Jacob Luz e Horace Hodes provaram que um agente filtrável nas fezes de crianças com diarréia infecciosa, também causou diarréia (diarréia dos animais) em bovinos.[1] Três décadas mais tarde, amostras conservadas do agente mostraram-se contra o rotavírus.[2] Nos anos seguintes, um vírus em camundongos[3] mostrou-se relacionado com o vírus que causa diarréia.[4] Em 1973, Ruth Bishop descreveu vírus relacionados encontrados em crianças com gastroenterite.[5] [6]

Em 1974, Thomas Henry Flewett sugeriu o nome de rotavírus depois de observar que, quando visto através de um microscópio de elétrons, uma partícula de rotavírus parece uma roda (rota, em latim);[7] [8] o nome foi oficialmente reconhecida pelo Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus quatro anos depois.[9] Em 1976, os vírus relacionados foram descritos em diversas outras espécies de animais.[4] Esses vírus, todos causando gastroenterite aguda, foram reconhecidos como um patógeno coletivo que afeta seres humanos e animais em todo o mundo.[7] Sorotipos de rotavírus foram primeiramente descritos em 1980,[10] e no ano seguinte, o rotavírus a partir de seres humanos foi cultivado em culturas de células derivadas de rins de macaco, pela adição de tripsina (uma enzima encontrada no duodeno de mamíferos e agora conhecida por ser essencial para rotavírus para replicar) ao meio de cultura.[11] A capacidade de cultivar rotavírus em meio cultura foi responsável por acelerar o ritmo das investigações, e, em meados da década de 1980 os primeiros candidatos a vacinas estavam sendo avaliados.[12]

Em 1998, uma vacina contra o rotavírus foi licenciada para uso nos Estados Unidos. Ensaios clínicos nos Estados Unidos, Finlândia e Venezuela haviam encontrado entre 80 e 100% de eficiência na prevenção de diarréia grave causada por rotavírus, e os investigadores não tinham detectado nenhum efeito adverso grave estatisticamente significante.[13] [14] O fabricante, porém, retirou do mercado em 1999, depois que se descobriu que a vacina pode ter contribuído para um aumento do risco de intussuscepção, um tipo de obstrução intestinal, em uma de cada 12.000 crianças vacinadas.[15] A experiência provocou um intenso debate sobre os riscos e benefícios relativos de uma vacina contra o rotavírus.[16] Em 2006, duas novas vacinas contra infecção por rotavírus foram mostradas seguras e eficazes em crianças,[17] e, em junho de 2009, a Organização Mundial de Saúde recomenda que a vacinação contra o rotavírus seja incluída em todos os programas nacionais de imunização para fornecer proteção contra este vírus.[18]

Virologia[editar | editar código-fonte]

Tipos de rotavírus[editar | editar código-fonte]

Há sete espécies de rotavírus, designados A, B, C, D, E, F e G. Os seres humanos são infectados principalmente pelas espécies A, B e C, mais comumente pela espécie A. Todas as sete espécies causam a doença em outros animais[19] .

Referências

  1. Light JS, Hodes HL. (1943). "Studies on epidemic diarrhea of the new-born: Isolation of a Filtrable Agent Causing Diarrhea in Calves". Am. J. Public Health Nations Health 33 (12): 1451–4. PMID 18015921.
  2. Mebus CA, Wyatt RG, Sharpee RL, et al.. (1 August 1976). "Diarrhea in gnotobiotic calves caused by the reovirus-like agent of human infantile gastroenteritis" (PDF). Infect. Immun. 14 (2): 471–4. PMID 184047.
  3. Rubenstein D, Milne RG, Buckland R, Tyrrell DA. (1971). "The growth of the virus of epidemic diarrhoea of infant mice (EDIM) in organ cultures of intestinal epithelium". British journal of experimental pathology 52 (4): 442–45. PMID 4998842.
  4. a b Woode GN, Bridger JC, Jones JM, Flewett TH, Davies HA, Davis HA, White GB. (1 September 1976). "Morphological and antigenic relationships between viruses (rotaviruses) from acute gastroenteritis in children, calves, piglets, mice, and foals" (PDF). Infect. Immun. 14 (3): 804–10. PMID 965097.
  5. Bishop RF, Davidson GP, Holmes IH, Ruck BJ. (1973). "Virus particles in epithelial cells of duodenal mucosa from children with acute non-bacterial gastroenteritis". Lancet 2 (7841): 1281–3. DOI:10.1016/S0140-6736(73)92867-5. PMID 4127639.
  6. Bishop RF, Davidson GP, Holmes IH, Ruck BJ. (1973). "Letter: Evidence for viral gastroenteritis". N. Engl. J. Med. 289 (20): 1096–7. PMID 4742237.
  7. a b Flewett TH, Woode GN. (1978). "The rotaviruses". Arch. Virol. 57 (1): 1–23. DOI:10.1007/BF01315633. PMID 77663.
  8. Flewett TH, Bryden AS, Davies H, Woode GN, Bridger JC, Derrick JM. (1974). "Relation between viruses from acute gastroenteritis of children and newborn calves". Lancet 2 (7872): 61–3. DOI:10.1016/S0140-6736(74)91631-6. PMID 4137164.
  9. Matthews RE. (1979). "Third report of the International Committee on Taxonomy of Viruses. Classification and nomenclature of viruses". Intervirology 12 (3–5): 129–296. DOI:10.1159/000149081. PMID 43850.
  10. Beards GM, Pilfold JN, Thouless ME, Flewett TH. (1980). "Rotavirus serotypes by serum neutralisation". J. Med. Virol. 5 (3): 231–7. DOI:10.1002/jmv.1890050307. PMID 6262451.
  11. Urasawa T, Urasawa S, Taniguchi K. (1981). "Sequential passages of human rotavirus in MA-104 cells". Microbiol. Immunol. 25 (10): 1025–35. PMID 6273696.
  12. Vesikari T, Isolauri E, Delem A, et al.. (1985). "Clinical efficacy of the RIT 4237 live attenuated bovine rotavirus vaccine in infants vaccinated before a rotavirus epidemic". J. Pediatr. 107 (2): 189–94. DOI:10.1016/S0022-3476(85)80123-2. PMID 3894608.
  13. (1999) "Rotavirus vaccine for the prevention of rotavirus gastroenteritis among children. Recommendations of the Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP)". MMWR Recomm Rep 48 (RR-2): 1–20. PMID 10219046.
  14. Kapikian AZ. (2001). "A rotavirus vaccine for prevention of severe diarrhoea of infants and young children: development, utilization and withdrawal". Novartis Found. Symp. 238: 153–71; discussion 171–9. DOI:10.1002/0470846534.ch10. PMID 11444025.
  15. Bines JE. (2005). "Rotavirus vaccines and intussusception risk". Curr. Opin. Gastroenterol. 21 (1): 20–5. PMID 15687880.
  16. Bines J. (2006). "Intussusception and rotavirus vaccines". Vaccine 24 (18): 3772–6. DOI:10.1016/j.vaccine.2005.07.031. PMID 16099078.
  17. Dennehy PH. (2008). "Rotavirus vaccines: an overview". Clin. Microbiol. Rev. 21 (1): 198–208. DOI:10.1128/CMR.00029-07. PMID 18202442.
  18. (June 2009) "Meeting of the immunization Strategic Advisory Group of Experts, April 2009—conclusions and recommendations". Relevé Épidémiologique Hebdomadaire / Section D'hygiène Du Secrétariat De La Société Des Nations = Weekly Epidemiological Record / Health Section of the Secretariat of the League of Nations 84 (23): 220–36. PMID 19499606.[1]
  19. Beards GM, Brown DW. ({{{mês}}} 1988). "The antigenic diversity of rotaviruses: Significance to epidemiology and vaccine strategies". Eur. J. Epidemiol. 4 (1): 1–11. DOI:10.1007/BF00152685. PMID 2833405.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre vírus é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.