Roy Hibbert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roy Hibbert
Roy Hibbert 2010.jpg
Informações pessoais
Nome completo Roy Denzil Hibbert
Data de nasc. 11 de Dezembro de 1986 (27 anos)
Local de nasc. Nova Iorque, Estados Unidos da América
Altura 2.18 m
Peso 132 kg
Informações no clube
Clube atual Estados Unidos Indiana Pacers
Número 55
Posição pivô
Clubes profissionais
Ano Clubes Partidas (pontos)
2008—presente Estados Unidos Indiana Pacers

Roy Denzil Hibbert (Nova Iorque, 11 de dezembro de 1986), é um jogador profissional de basquete norte-americano, que atualmente atua como pivô do Indiana Pacers na National Basketball Association (NBA). Medindo 2.18 metros e 132 quilos,[1] Hibbert é considerado um dos principais defensores da liga, sendo enaltecido como o líder de uma das principais defesas da NBA.[2] [3]

Hibbert disputou basquetebol universitário pela Universidade de Georgetown antes de se declarar elegível para o draft da NBA de 2008, quando foi escolhido pelo Toronto Raptors com a 17ª escolha da primeira rodada; na mesma noite, ele foi trocado para o Indiana Pacers, franquia que defende desde então. O pivô contabiliza duas seleções para o Jogo das Estrelas e, temporada após temporada, tem sido enaltecido como um defensor de elite na NBA.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Hibbert nasceu no Queens, em Nova Iorque,[4] medindo 57 centímetros; seu pai, Roy, oriundo da Jamaica, media 1.87 m e sua mãe, Patty, de Trinidad, media 1.85 m. Roy frequentou escolas particulares e seus pais tentaram fazer com que ele se aproximasse do tênis, do golfe, do piano e da clarineta, sem sucesso; medindo 2.05 metros na oitava série, ele só se interessava com coisas associadas à sua excepcional altura,[2] embora ele também não se destacasse no basquete.[4]

Enquanto adolescente, Hibbert conheceu grandes pivôs da NBA, como Shaquille O'Neal, Tim Duncan e Dikembe Mutombo,[2] nutrindo também grande admiração por Alonzo Mourning.[4] Ele estudou na Escola Preparatória de Georgetown, em Maryland, onde apresentou médias de 19 pontos, 17 rebotes, seis bloqueios e três assistências por jogo na série de 16—4 que conduziu os "Hoyas" ao co-título da Interstate Athletic Conference.[5]

Carreira universitária[editar | editar código-fonte]

Formado na Escola Preparatória de Georgetown, Hibbert ingressou na Universidade de Georgetown, pela qual passaram outros grandes pivôs da história da NBA, como Patrick Ewing, Alonzo Mourning e Dikembe Mutombo. Em seu primeiro ano, Roy teve médias de 5.1 pontos e 3.5 rebotes por jogo, sendo o segundo jogador que mais bloqueou arremessos adversários (40); no seu segundo ano universitário, ele anotou 11.6 pontos (segundo melhor pontuador do time) e coletou 6.9 rebotes por jogo (líder do time), além de bloquear 54 arremessos adversários.[5] Em seu terceiro ano, Hibbert marcou 12.9 pontos, coletou 6.9 rebotes e bloqueou 2.4 arremessos por jogo. No seu quarto e último ano, sem a presença de Jeff Green, o pivô liderou os "Hoyas" em pontos (13.4), rebotes (6.4) e bloqueios (2.2) por jogo e foi incluído no segundo time do Consensus All-American antes de se declarar elegível para o draft da NBA.[6]

Carreira na NBA[editar | editar código-fonte]

Hibbert enfrentando Joakim Noah em partida contra o Chicago Bulls.

Hibbert foi escolhido pelo Toronto Raptors com a 17ª escolha geral no draft de 2008, mas na mesma noite foi envolvido em uma troca com o Indiana Pacers.[7] Em sua primeira temporada na liga, o pivô disputou 70 partidas, tendo iniciado 42 delas como titular; ele teve uma média de 14.4 minutos por jogo, apresentando médias de 7.1 pontos, 3.5 rebotes e 1.1 toco por confronto.[8] Sob o comando de Jim O'Brien, os Pacers apresentaram campanhas derrotadas e não foram aos playoffs durante as duas primeiras temporadas de Hibbert em Indianápolis.

No decorrer da temporada de 2010-11, O'Brien foi substituído pelo seu então auxiliar Frank Vogel no comando do Pacers. Sob a égide do novo treinador, Hibbert viu seu tempo de quadra aumentar para 27.7 minutos por jogo; seu desempenho também melhorou, uma vez que ele passou a marcar 12.7 pontos, coletar 7.5 rebotes e bloquear 1.8 arremessos adversários por confronto. Os Pacers finalizaram a temporada regular com uma série de 37—45 (20—18 sob o comando de Vogel), mas foram eliminados pelo Chicago Bulls na primeira rodada dos playoffs por 4 a 1; Hibbert iniciou todos os cinco confrontos da série como titular, tendo médias de 10.4 pontos, 6.8 rebotes e 1.8 bloqueio por jogo.[8]

A temporada de 2011-12 marcou o "estouro" de Hibbert na NBA: das 66 partidas que o Pacers disputou, o pivô esteve presente em 65 delas, iniciando todas como titular, e emplacando suas melhores médias da carreira em pontos e rebotes por jogo (12.8 e 8.8, respectivamente); ele também apresentou uma média de 2.0 bloqueios por jogo,[8] quinta melhor marca da liga, o que lhe rendeu a sua primeira indicação para o Jogo das Estrelas.[9] Hibbert foi, juntamente com Paul George, o segundo melhor pontuador dos Pacers na temporada, liderando a equipe em rebotes e bloqueios por jogo.[10] Com uma série de 42—24, os Pacers avançaram aos playoffs e desbancaram o Orlando Magic por 4 a 1 na primeira rodada, antes de caírem nas semifinais de conferência diante do Miami Heat, por 4 a 2; as médias de Hibbert durante os playoffs atingiram um duplo-duplo, com o pivô anotando 11.7 pontos, coletando 11.2 rebotes e bloqueando 3.1 arremessos adversários por jogo;[10] seus números em rebotes e bloqueios foram os segundos melhores entre todos os atletas daqueles playoffs.[11]

Após o fim da temporada de 2011-12, Hibbert tornou-se um agente livre restrito (onde qualquer outra franquia pode apresentar uma proposta de contrato ao jogador, mas a franquia atual tem o direito de cobrir a oferta e manter o atleta). O Portland Trail Blazers ofereceu um contrato de 58 milhões de dólares por quatro anos ao pivô, um contrato máximo;[12] os Pacers cobriram a oferta dos Blazers e renovaram o contrato de Hibbert,[13] que já era considerado um dos melhores pivôs da liga pela mídia especializada.[14] [15]

De contrato renovado, Hibbert apresentou médias de 11.9 pontos, 8.3 rebotes e 2.6 bloqueios por jogo durante a temporada de 2012-13,[8] contribuindo para que os Pacers emplacassem uma série de 49 vitórias e 32 derrotas, a terceira melhor campanha da Conferência Leste.[16] Durante os playoffs, o pivô elevou seu jogo ofensivo a outro patamar, anotando 17.0 pontos por jogo (segundo melhor pontuador do time);[17] os Pacers chegaram até as finais de conferência onde, novamente, caíram diante do Miami Heat, desta vez em uma acirrada série que só foi decidida no sétimo jogo. Durante a série decisiva, Hibbert anotou 22.1 pontos e coletou 10.4 pontos por jogo.[18] Mesmo com a derrota diante dos eventuais campeões, o sistema defensivo do Indiana Pacers passou a ser enaltecido como um dos mais fortes da liga e até mesmo da história, com Hibbert sendo apontado como o "âncora" dessa defesa.[19] [20] [21]

Habilidades[editar | editar código-fonte]

Hibbert é reconhecido, principalmente, pelas suas habilidades na defesa do garrafão, sendo enaltecido como um dos principais jogadores defensivos da NBA.[22] Jogadores adversários convertem menos da metade de seus arremessos quando são defendidos pelo pivô, cuja capacidade defensiva tem forçado jogadores como LeBron James a buscarem formas de contornar a sua marcação.[2] Medindo 2.18 metros, a capacidade de intimadação de Hibbert não força apenas seus adversários a alterarem seus arremessos e decisões próximas à cesta, mas também obriga equipes adversárias a mudarem sua forma de jogo, buscando arremessos mais distantes do garrafão.[23] A principal "ferramenta" defensiva do pivô é a regra da verticalidade, pela qual um jogador pode se elevar com os braços para o alto e absorver contato de adversários sem que uma falta seja assinalada.[2] [24]

Hibbert não se destaca ofensivamente,[25] fato assumido tanto pelo jogador quanto pelo seu treinador, Frank Vogel,[26] mas é um consistente contribuidor do outro lado da quadra, anotando uma média de 11.3 pontos por jogo em sua carreira e convertendo 47.1% de suas tentativas de arremesso.[8]

Referências

  1. Perfil no site oficial da ESPN
  2. a b c d e Lee Jenkins (12 de fevereiro de 2014). How Pacers' Hibbert emerged to anchor NBA's best defense (em inglês) "Sports Illustrated". Visitado em 13 de março de 2014.
  3. Kelly Scaletta (27 de dezembro de 2013). Secrets to Roy Hibbert's Elite Defense (em inglês) Bleacher Report. Visitado em 13 de março de 2014.
  4. a b c Lenn Robbins (11 de março de 2007). Biggest Big Man (em inglês) New York Post. Visitado em 20 de março de 2014.
  5. a b Biografia no site da Universidade de Georgetown
  6. Estatísticas de Hibbert em Georgetown em Sports-Reference.com.
  7. Biografia no site oficial da NBA
  8. a b c d e Estatísticas no Basketball-Reference.com
  9. Temporada da NBA de 2011-12 em Basketball-Reference.com
  10. a b 2011-12 Indiana Pacers Roster and Stats em Basketball-Reference.com
  11. 2012 NBA Playoffs Leaders em Basketball-Reference.com
  12. Blazers offer Roy Hibbert deal (em inglês) ESPN.com (2 de julho de 2012). Visitado em 15 de março de 2014.
  13. Pacers to keep Roy Hibbert (em inglês) ESPN.com (7 de julho de 2012). Visitado em 15 de março de 2014.
  14. Austin Burton (26 de outubro de 2012). The Top 20 Centers In The NBA Today - 9: Roy Hibbert (em inglês) Dime Magazine. Visitado em 15 de março de 2014.
  15. Geoff Estes (3 de fevereiro de 2012). The Top 15 Centers In The NBA Right Now - 5: Roy Hibbert (em inglês) Bleacher Report. Visitado em 15 de março de 2014.
  16. Temporada da NBA de 2012-13 em Basketball-Reference.com
  17. 2012-13 Indiana Pacers Roster and Stats em Basketball-Reference.com
  18. Roy Hibbert 2012-13 Game Log em Basketball-Reference.com
  19. Rob Mahoney (10 de dezembro de 2013). The Fundamentals: How the best defense in the NBA got even better this season (em inglês) Site da Sports Illustrated. Visitado em 15 de março de 2014.
  20. Kevin Pelton (2 de dezembro de 2013). Is Pacers' D the best in history? (em inglês) ESPN.com. Visitado em 15 de março de 2014.
  21. Jacob Frankel (25 de fevereiro de 2013). How Has Indiana Crafted The Best Defense In The League? (em inglês) hoopchalk.com. Visitado em 15 de março de 2014.
  22. Tim Sartori (7 de fevereiro de 2014). Roy Hibbert: The League's Best Defender (em inglês) 8points9seconds.com. Visitado em 19 de março de 2014.
  23. Manny Randhawa (9 de novembro de 2013). With His Hunger on Defense, There’s No Good Game Plan Against Roy Hibbert (em inglês) Site oficial do Indiana Pacers. Visitado em 19 de março de 2014.
  24. Mike Prada (16 de dezembro de 2013). Has Roy Hibbert become too good for the rule of verticality? (em inglês) SBNation.com. Visitado em 19 de março de 2014.
  25. Joe Tacosik (3 de fevereiro de 2014). Why Is Roy Hibbert So Frustrating on Offense? (em inglês) Yahoo! Sports. Visitado em 19 de março de 2014.
  26. Candace Buckner (7 de março de 2014). Roy Hibbert says he needs to improve his offensive game (em inglês) IndyStar.com. Visitado em 19 de março de 2014.