Royal Aircraft Factory S.E.2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido (desde maio de 2014). Ajude e colabore com a tradução.
O S.E.2a em sua forma final,
na Royal Aircraft Factory, Farnborough.

O Royal Aircraft Factory S.E.2 (de Scout Experimental 2) foi um dos primeiros aviões de reconhecimento monoposto britanico. Projetado e construído na Royal Aircraft Factory em 1913 como B.S.1, o protótipo foi reconstruído várias vezes antes de entrar em serviço no Royal Flying Corps sobre a Frente Ocidental nos primeiros meses da Primeira Guerra Mundial.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O B.S.1' em sua configuração original.

O projeto teve início na Royal Aircraft Factory em 1912, liderado por Geoffrey de Havilland, como um avião de reconhecimento leve e rápido de um só lugar, o primeiro avião do Mundo projetado especificamente para esta finalidade.[1]

O desenho era de um pequeno biplano em configuração de tração, e foi designado B.S.1 (de Blériot Scout) em homenagem à Louis Blériot, um pioneiro no uso da configuração de tração em aviões. Ele tinha uma fuselagem monocoque de madeira com seção circular, e asas interligadas por longarinas. O controle lateral era obtido com o arqueamento das asas, inicialmente o avião era equipado com um pequeno leme sem lâmina fixa, e um profundor em peça única. Ele era equipado com um motor Gnome giratório de 14 cilindros dispostos em duas fileiras de 100 hp.[2] [3]

De Havilland não estava satisfeito com o controle fornecido pelo pequeno leme e desenhou um substituto maior, mas em 27 de Março de 1913, antes que o novo leme fosse instalado, ele caiu com o B.S.1 quebrando o maxilar e danificando muito o avião.[3] [4]

O S.E.2' em sua configuração intermediária.

Depois desse acidente, o avião foi reconstruído, usando um motor Gnome de uma única fileira de cilindros, 80 hp e novas superfícies de cauda, com lâminas triangulares acima e abaixo da fuselagem, um leme maior e profundores convencionais divididos.[5] Esse modelo reconstruído foi designado inicialmente B.S.2, mas logo foi redesignado como S.E.2 (de Scout Experimental).[3] Ele voou pela primeira vez nessa nova configuração por de Havilland em Outubeo de 1913.[5]

Em Abril de 1914, o S.E.2 foi novamente reconstruído, dessa vez sob a supervisão de Henry Folland, pois de Havilland havia deixado a Royal Aircraft Factory para se tornar projetista chefe da Airco[5] (o B.S.1/S.E.2 foi o último desenho que de Havilland produziu para a Royal Aircraft Factory).[1]

O primeiro voo dessa nova reconstrução ocorreu em 3 de Outubro de 1914.[5] Essa versão modificada é frequentemente referenciada como S.E.2a - essa designação não foi usada naquela época, e provavelmente, não é oficial.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Jackson 1987, p.42.
  2. Bruce 1982, p.464.
  3. a b c Mason 1992, p. 14.
  4. Bruce 1982, p. 465.
  5. a b c d Bruce 1982, p.466.
  6. Hare 1990, p. 274.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bruce, J.M. British Aeroplanes 1914-18. London: Putnam, 1957.
  • Bruce, J.M. The Aeroplanes of the Royal Flying Corps (Military Wing). London: Putnam, 1982. ISBN 0-370-30084-X.
  • Hare, Paul R. The Royal Aircraft Factory. London:Putnam, 1990. ISBN 0-85177-843-7.
  • Jackson, A.J. De Havilland Aircraft since 1909. London: Putnam, Third edition, 1987. ISBN 0-85177-802-X.
  • Mason, Francis K. The British Fighter since 1912. Annapolis, USA: Naval Institute Press, 1992. ISBN 1-55750-082-7.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Royal Aircraft Factory S.E.2