Rubens Correia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde outubro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Rubens Corrêa
Nascimento 23 de janeiro de 1931
Aquidauana
Morte 22 de janeiro de 1996 (64 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasil Brasileira

Rubens Alves Corrêa (Aquidauana - Mato Grosso do Sul, 23 de janeiro de 1931Rio de Janeiro, 22 de janeiro de 1996) foi um ator e diretor de teatro brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ao lado do ator Ivan de Albuquerque que depois se tornaria seu sócio, ele se formou em 1951 no Teatro Tablado, a escola fundada por Maria Clara Machado no Rio de Janeiro.

Criou sua própria companhia de teatro com Ivan em 1959, que nos anos 60 se transformou no Teatro Ipanema. Seu trabalho contém elementos próprios dos princípios ensinados por Antonin Artaud, privilegiando personagens com alta carga dramática, prevista no teatro da crueldade, fora das convenções realistas ou das comédias chamadas ligeiras.

No teatro se destacou em espetáculos como: Diário de um Louco; Marat Sade; A China é Azul; O Arquiteto e o Imperador de Assíria; O Beijo da Mulher Aranha; O Assalto; Artaud e seu último trabalho em O Futuro Dura Muito Tempo.

Escreveu a peça Mar Sem Fim em 1983 e adaptou João Ternura, da obra de Aníbal Machado em 1994.

Atuou também no cinema e na televisão, notadamente em telenovelas, como Partido Alto, Kananga do Japão, Pantanal e Guerra sem Fim. Rubens Corrêa morreu em 1996, vítima de complicações de saúde decorrentes da AIDS.

Atuação na televisão[editar | editar código-fonte]

Atuação no cinema[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.