Ruby Tuesday

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Ruby Tuesday"
Single de The Rolling Stones
Lançamento 1967
Formato(s) single (Lado B)
Gênero(s) rock, pop
Duração 5:46
Gravadora(s) Decca/ABKCO
Composição Jagger&Richards
Produção Andrew Loog Oldham
Cronologia de singles de The Rolling Stones
Último
Último
Have You Seen Your Mother, Baby, Standing in the Shadow?
(1966)
We Love You/Dandelion
(1967)
Próximo
Próximo

Ruby Tuesday é uma canção de Mick Jagger e Keith Richards lançada pelos Rolling Stones em janeiro de 1967. O single, em compacto junto com Let's Spend the Night Togheter, atingiu o primeiro lugar nas paradas norte-americanas e terceiro na britânica.

História[editar | editar código-fonte]

Em meados de 1966, Brian Jones e sua namorada Anita Pallenberg haviam começado a ter suas primeiras experiências com LSD. Keith Richards, amigo de Brian, passou a também usa-lo, sob influência de Brian, que além de fundador da banda, aquela altura era o líder dos Rolling Stones, e principal mentor. Keith, Brian, Anita e diversos outros amigos como Tara Browne (Herdeiro da fortuna Guiness, uma das maiores da Inglaterra) passaram a consumir ácido diariamente, e diversas vezes ao dia. Keith Richards se mudou para o apartamento de Brian e Anita (Que viria a terminar com Brian e se tornar sua mulher, alguns anos depois), e o LSD passou a fazer parte de sua rotina.

Desta forma, Brian e Keith passaram a improvisar melhor, e a compor canções incríveis. Brian explicava: "É como se todo tipo de canções maravilhosas ficasse girando dentro da minha cabeça e eu não tivesse como soltá-las, o ácido libera todas elas. Eu nem sequer sei que estou compondo, enquanto viajo. No dia seguinte, descubro que escrevi as coisas mais surpreendentes". Em um desses dias, Brian compôs uma melodia inteira no piano (Instrumento que tocava desde criança, e aprendeu com sua mãe, que dava aulas de piano na igreja). Em meio a tantas melodias e canções que fazia, nem deu tanta importância. Keith, porém, ficou maravilhado com a melodia, e compôs uma letra para a mesma. O próprio tem duas versões próprias sobre a letra que escreveu: Em uma diz que a fez pensando numa groupie que conheceu.[1] Em outra, diz que a fez para Linda Keith, sua namorada na época.[2] A letra se refere a uma mulher de aparente espírito livre, como cantado por Jagger: "Who could hang a name on you?/When you change with every new day/Still I'm gonna miss you."

Richards e Jones apresentaram a canção pronta para Mick Jagger. É um fato incomum na longa carreira dos Stones, já que a maioria das canções são da autoria de Mick e Keith. Porém, em 1966, Jagger não estava tão ligado quanto Brian e Keith, visto que ainda não usava nenhuma droga. Mick Jagger diz que ela tem uma bela letra e melodia e que adora cantá-la, apesar de não ter participado de sua criação.(*)[3]

Gravada com dois baixos tocados por Bill Wyman e Richards, flauta doce tocada por Brian Jones e piano por Jack Nitzsche, a canção é considerada pela revista Rolling Stone como a 303ª das 500 melhores de todos os tempos.[4]

Referências

  1. Greenfield, Robert (19 August 1971), "The Rolling Stone Interview: Keith Richards", Rolling Stone (Rolling Stone) 
  2. McPherson, Ian. Track Talk: Ruby Tuesday. Visitado em 2008-03-17.
  3. Wenner, Jann S. (14 December 1995). Jagger Remembers. Visitado em 2008-03-18.
  4. MetroLyrics

Nota[editar | editar código-fonte]

(*)Todas as músicas dos Rolling Stones compostas em conjunto ou individualmente por Mick Jagger e Keith Richards, são creditadas à dupla, assim como ocorria com John Lennon e Paul McCartney, nos Beatles. A canção acabou sendo creditada à Jagger/Richards, mesmo Mick não tendo participado da composição. Alguns anos depois, tal situação aconteceria novamente, de forma inversa. O guitarrista Mick Taylor (Substituto de Brian Jones) escreveu em parceria com Mick Jagger a canção Time Waits for no One, sem a participação de Keith Richards. Porém, a canção também foi creditada à Jagger/Richards

Ligações externas[editar | editar código-fonte]