Rudi Dutschke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alfred Willi Rudolf Dutschke
Nascimento 7 de março de 1940
Brandeburgo,  Alemanha
Morte 24 de dezembro de 1979
Århus,  Dinamarca
Nacionalidade Alemã
Cônjuge Gretchen Klotz
Filho(s) 3
Ocupação Sociólogo, político e líder estudantil

Alfred Willi Rudolf Dutschke (7 de março de 1940 - 24 de dezembro de 1979) foi o mais expressivo líder do movimento estudantil que surgiu na Alemanha no final do anos 60. Inspirado pelas idéias marxistas, lutou fortemente contra a guerra do Vietnã, o autoritarismo e pela revolução feminista.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Após a morte do ativista universitário Benno Ohnesorg, baleado à queima roupa por um policial alemão durante uma manifestação em 1967, Dutschke centrou seus protestos no autoritarismo. Além disso, participou da campanha que exigia a desapropriação dos bens de Axel Springer.

Em 11 de abril de 1968, foi gravemente ferido por um tiro na cabeça, disparado por um Josef Bachmann da extrema direita que discordava de seus ideais. Debilitado pelo acontecimento foi estudar em Cambridge em 1970, mas foi expulso da Inglaterra por continuar difundindo os seus ideais. Dois anos depois, retornou a Berlim.

Em 24 de dezembro de 1979, sofreu um ataque epiléptico, enquanto tomava banho, que o levou a morte por afogamento.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Publicou em 1974, uma obra sobre sua análise do filósofo marxista húngaro Georg Lukács. Em seu livro, Dutschke descreveu como sonhava com uma Alemanha socialista, sem a interferência de Moscou, Pequim ou Berlim Oriental.

Referencias[editar | editar código-fonte]

  1. Dietrich Schwanitz, "Frankfurter Schule und Studentenbewegung", Frankfurter Allgemeine Zeitung, 29 June 1998.
Commons
O Commons possui multimídias sobre Rudi Dutschke