Rudolph Ahrons

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fachada principal do antigo prédio dos Correios e Telégrafos

Rudolph (Rodolfo, Rudolfo) Ahrons ( Porto Alegre, 1869 — Porto Alegre, 6 de junho de 1947) foi um dos mais importantes engenheiros construtores da primeira metade do século XX em Porto Alegre.

Fez estudos preparatórios no Instituto Brasileiro, sob orientação de Apolinário Porto Alegre, sendo aprovado em 1885. Diplomou-se também em Agrimensura pela Escola Militar em 1887, trabalhando nesta atividade por dois anos. A seguir rumou para Berlim, onde estudou Engenharia Civil na Escola Politécnica, diplomando-se em 1895.[1] De volta à capital gaúcha, fundou uma importante firma de construção, engenharia e arquitetura, que viria a ser responsável por uma revolução na paisagem da cidade.

Inicialmente construiu poucos prédios, até 1908. Já na fase de 1908 a 1915, construiu dezenas de prédios, período em que também se dedicou a outros negócios, como a Serraria Garibaldi, a Cia. Aliança do Sul e o aterro do cais do porto.[2]

Dentre seus projetos mais notáveis estão os prédios do Banco Pelotense (depois o Banco Iochpe, e hoje uma agência do BANRISUL), da prefeitura de Cruz Alta,[2] do Palecete Chaves[2] da Delegacia Fiscal, dos Correios e Telégrafos, do Banco Nacional do Comércio de Cachoeira do Sul, da Faculdade de Medicina e da Faculdade de Direito da UFRGS.

Além disso foi responsável pelo projeto do porto de Porto Alegre e do seu correspondente aterro, das ruas Sete de Setembro até a avenida Mauá.

Em seu escritório trabalharam os arquitetos Theodor Wiederspahn e Hermann Otto Menschen. Devido à crise econômica e ao início da Primeira Guerra Mundial, Ahrons fechou seu escritório de engenharia no final de 1915. Passou então a presidir a Companhia Aliança do Sul de seguros.

Lecionou Construção Civil e Hidráulica na Faculdade de Engenharia ao longo de 14 anos. Foi também autor de um importante estudo sobre o potencial hidráulico do rio Jacuí, e diretor técnico da VARIG.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • FRANCO, Sérgio da Costa. Guia Histórico de Porto Alegre. Porto Alegre: Editora da UFRGS/Prefeitura Municipal, 1988.
  • WEIMER, Günter. A arquitetura de Porto Alegre e a imigração alemã. In: Os Alemães no Sul do Brasil. Editora da ULBRA, Canoas, 2004.
  • PESSAVENTO, Sandra Jathay. De como os alemães tornaram-se gaúchos pelos caminhos da modernização. In: Os Alemães no Sul do Brasil. Editora da ULBRA, Canoas, 2004.
  1. WEIMER, Günter. Theo Wiederspahn, Arquiteto. EDIPUCRS, Porto Alegre, 2009.
  2. a b c DOBERSTEIN, Arnoldo Walter. Estatuários, catolicismo e gauchismo. EDIPUCRS, 2002, ISBN 8574302619, ISBN 9788574302614, 372 pp.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.