Sátiro Dias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Sátiro Dias
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 14 de agosto
Fundação Não disponível
Gentílico satirodiense
Prefeito(a) Pedro Raimundo Santana da Cruz
(2013–2016)
Localização
Localização de Sátiro Dias
Localização de Sátiro Dias na Bahia
Sátiro Dias está localizado em: Brasil
Sátiro Dias
Localização de Sátiro Dias no Brasil
11° 36' 00" S 38° 36' 00" O11° 36' 00" S 38° 36' 00" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Alagoinhas IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Tucano, Nova Soure, Olindina, Água Fria, Inhambupe, Biritinga e Araci.
Distância até a capital 205 km
Características geográficas
Área 974,549 km² [2]
População 18 588 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 19,07 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,527 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 77 285,088 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 115,51 IBGE/2008[5]
Página oficial

Sátiro Dias é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população estimada em 2004 era de 19.084 habitantes.

Distante 205 km de Salvador, o município de Sátiro Dias situa-se no litoral norte baiano, no nordeste da micro-região de Alagoinhas. Faz divisa, ao norte, com Tucano, Nova Soure e Olindina; ao sul, com Água Fria e Inhambupe; a leste, com Olindina e Inhambupe e a oeste com Biritinga e Araci. Seu principal acesso se dá pela BA-233, que liga a sede do município à BR-110, ao norte de Inhambupe.

História[editar | editar código-fonte]

A sede foi fundada por volta de 1884 por João da Cruz e sua família que na verdade já moravam em sua zona rural desde 1870. Sua emancipação política se deu em 14 de agosto de 1958, tendo como primeiro prefeito o sr. José Belarmino Cardoso (Ioiô Cardoso) e sendo o atual Pedro Raimundo Santana da Cruz (Pedrito Cruz).

A cidade dispõe de grande extensão territorial (ver boxe ao lado) e tem forte marca agrícola. A maior parte da população está distribuída na zona rural, em seus quase 60 povoados. A sede tem cerca de 6,5 mil habitantes. O comércio local também ajuda na movimentação da economia, além do setor de serviços, centrado na Prefeitura da cidade. A produção da farinha, do feijão e do milho é forte, além do cultivo de frutas como melancia, numa comunidade que foca na irrigação. No verão, é forte também o cultivo do caju, uma das frutas típicas do município.

A cidade de Sátiro Dias é famosa por suas festas, como: padroeira da cidade que é patronada por Nossa Senhora do Amparo e ocorre no dia 2 de fevereiro, festejos juninos, aniversário da cidade (14 de agosto), o ECA - Encontro de Conterrâneos e Amigos de Sátiro Dias (projeto idealizado por Charles Cruz, que acontece desde 2010, em Salvador, reunindo como o próprio nome sugere, conterrâneos e pessoas ligadas à cidade, incluindo também atrações musicais, apresentações e uma temática central a cada edição) e a sua vaquejada, promovida por empresários locais, como Marivaldo Alves. Ao longo de sua história foi palco para a apresentação de vários artistas nacionais como: Ivete Sangalo, Babado Novo, Bruno & Marrone, Amado Batista, Harmonia do Samba, Aviões do Forró, Edson Gomes, Raça Negra, Calcinha Preta, Mastruz com Leite, Alcymar Monteiro, Adelmário Coelho, Arreio de Ouro, Estakazero, Reginaldo Rossi, É o Tchan, Cavaleiros do Forró, Pagod'art, Pedro & Thiago, Cheiro de Amor, Banda Calypso,Patchanka, entre outros.

Sátiro Dias, como muitas outras cidades interioranas brasileiras, tem forte cena política. Entre 2006 e 2008 por exemplo viveu uma forte agitação nesse cenário, com a cassação do prefeito eleito em 2004 (Márcio Leão), que foi substituído pelo Presidente da Câmara da época José Jorge da Silva (Muriçoca) e depois tendo à frente o vereador José de Souza Batista (Zé Martins) como prefeito interino, que governou entre 2007 e 2008. Porém, este não terminou o seu mandato interino, sendo substituído pelo vereador Givaldo, que finalizou os três últimos meses desse período político (2005-2008). Nesse período (2005-2008) Sátiro Dias teve 4 nomes à frente de sua administração no total, sendo considerado este um fato curioso.

Turismo e eventos[editar | editar código-fonte]

A "Paixão de Cristo de Sátiro Dias", um dos maiores eventos teatrais da Região agreste de Alagoinhas,idealizado pelo Jovem e Artista Paulo Cruz, com elenco da própria cidade e apoio do poder público municipal e comerciantes locais, foi durante o período em que ocorreu, uma das atividades culturais que mais cresceu, e se tornou a cada ano o espetáculo mais assistido de toda a região. Porém, a partir de 2010, em virtude da falta de investimento na cultura por parte da gestão pública municipal, como o fragmentado setor de cultura, além da dispersão dos principais integrantes do grupo de teatro mais atuante da época, a Paixão de Cristo deixou de existir e não acontece há mais de 3 anos, restando portanto, as fotos e lembranças de um grande feito que marcou por cerca de seis anos o cenário cultural da cidade. Foram em média, seis edições, com apresentações no período da semana santa, geralmente à noite, depois das missas. O espetáculo era apresentado na Praça da Liberdade para um público crescente à cada edição. Além das apresentações oficiais que eram na cidade, houve apresentações itinerantes em cidades vizinhas, como Inhambupe, Aguá fria e Áporá, nos povoados de Bela Vista, Mimoso e Raso.

Na paróquia existe um coral que vem se destacando em sua forma de cantar, o Vozes da Matriz, que lançou seu primeiro cd na festa da padroeira Nossa Senhora do Amparo em 2010. Existem também espalhados pelas comunidades do município outros grupos de canto, que animam as festas religiosas e celebrações diárias, em sua maioria formado hoje por jovens e adultos. Também não se deve esquecer, ainda nesse segmento, do coral Nossa Senhora do Amparo, um dos mais antigos da cidade, que conta com representantes de pastorais, de catequistas e de membros do cenário religioso local.

Outro ponto alto da cidade na categoria de eventos é a festa de rua de Fevereiro, que geralmente tem início após o dois de fevereiro, data que finaliza a festa religiosa da padroeira da cidade e marca o início das festividades de rua, com os shows de atrações musicais e blocos de rua, como o Bandágua e o Jegue Mania, estes últimos, porém, não acontecem desde 2011.

As festividades juninas da cidade também merecem comentários: durante o mês de junho é comum a realização de comemorações nas escolas tanto da zona urbana como rural, além dos eventos de rua, como as festas noturnas com bandas de forró e alguns eventos mais tradicionais, como o famoso Casamento da Rosinha, idealizado pelo munícipe Arízio Torres e apoiado pela prefeitura, por figuras políticas e pelos comerciantes. Em junho de 2013, o setor de cultura desenvolveu a ideia da 'praça cultural', objetivando resgatar a cultura local através da realização de atividades voltadas para todos os públicos (infantil, jovens, adultos e terceira idade). A aposta dessa programação dentro dos festejos juninos é movimentar a cidade durante o período diurno, além de preservar a cultura popular, através de concurso de quadrilhas, atividades infantis formadas por brincadeiras como o quebra pote, a corrida de saco e do pau de sebo por exemplo, e do concurso da rainha e princesas do milho, de festivais de sanfoneiros etc. Algumas dessas atividades eram realizadas na cidade, mas com o tempo foram sendo deixadas de lado, restando apenas lembranças. Foi nessa linha que foi desenvolvido esse espaço dentro do tradicional "Arraiá", sendo o principal objetivo da "praça cultural" resgatar, promover e preservar esses acontecimentos locais/regionais. Não esquecendo Também do Concurso de Quadrilhas Juninas idealizado pelos Jovens Paulo Cruz e José Roberto, tendo sua primeira edição no ano de 2005 ao qual os realizadores fizeram por conta própria e lotou a quadra poliesportiva onde foi realizado o Iº Concurso de Quadrilhas de Sátiro Dias, onde ate o ano de 2011 teve a organização dos idealizadores, e com a mudança de gestão, passou a ser organizado pelo poder publico municipal tirando de vez os créditos dos idealizadores. Em 2013, já com a organização da Prefeitura Municipal só compareceram ao Concurso Três grupos de Quadrilhas,fazendo regressar a tradição.

Um outro evento de importância é o aniversário de emancipação política da cidade, que acontece no 14 de agosto, data em que o Junco foi elevado à categoria de município e passou a se chamar Sátiro Dias. Durante muito tempo essa data era comemorada com missa de ação de graças, apresentação de fanfarra e um bolo que, comumente, tinha o comprimento da idade comemorada. Essa prática foi muito forte na gestão do prefeito da época, Joaquim Neto. Depois de algum tempo, na gestão do mesmo, ela deixou de acontecer.

O Natal ganhou grande importância com a implantação do setor de cultura em 2009, ao qual o governo municipal lançou o Projeto o Alto do Natal, onde em sempre enfeitava a praça e no dia 25 de Dezembro tinha apresentações de corais da paroquia no espaço denominado espaço X, e apresentações de Dança, Musica e filmes, e a distribuição de presentes pelo papai noel a crianças carentes do município.

Na sede, existe um local conhecido como Alto do Cruzeiro, que fica na parte alta da cidade. É um ponto muito antigo e que simboliza a forte religiosidade desse povo. Durante muito tempo, era possível serem encontrados nos pés da Cruz imagens de santos, lenços, flores e velas deixados por pessoas que passavam por lá para pedirem ou agradecerem graças alcançadas.

Acontecem ainda as festas religiosas em povoados como Arraial Santana e Jurema, além das tradicionais festa da Bela Vista e do distrito de Mimoso.

Filhos ilustres/Produção Artística[editar | editar código-fonte]

O escritor Antônio Torres, que é uma figura internacionalmente conhecida e tem livros traduzidos para outras línguas, também já tendo sido indicado em 2011 à uma cadeira da Academia Brasileira de Letras. Ele nasceu em 1940, quando a cidade ainda era distrito de Inhambupe e se chamava Junco. Antônio Torres é autor dos livros Meninos, eu conto, "Essa Terra", "Balada da Infância Perdida," e "Carta ao Bispo", dentre muitos outros. É também jornalista, residindo atualmente no Rio de Janeiro.

A cidade também conta com nomes como o de Cristiana Alves, autora do livro "Sabor de uma lembrança" que foi lançado na Bienal Internacional do livro, além de "Coração à Esmo" e "Tatuagem". Cristiana é professora de língua e literatura brasileira, é mestre em crítica cultural pela UNEB e também uma forte agente cultural no eixo Sátiro Dias/Alagoinhas.

O município tem um forte potencial para a produção artística, em diversos segmentos, a exemplo da música e da literatura. Existe um notável número de jovens que tem um envolvimento direta ou indiretamente com a produção cultural, seja no âmbito da literatura, da música, da pintura e da dança.

Na música, tem-se nomes como Bispão (já falecido), e que tocou com artistas conhecidos, como Luiz Caldas. Também forrozeiros da cidade, como o Zé Beiju (também falecido), conhecido na região por tocar muito bem instrumentos como sanfona e zabumba. Existiu ainda a banda "Filhos da Mãe", que chegou a ganhar projeção nacional, aparecendo em programas de TV como o "Altas Horas", da Rede Globo. A banda se desfez depois de algum tempo.

A bem da verdade, a cidade de Sátiro Dias possui gente conhecida fora dos limites da região, filhos que nasceram e cresceram na cidade, mas que saíram e fizeram carreira em diversas áreas, a exemplo do jornalista Marcelo Torres e da juíza de Direito Norma Reis, atualmente Presidente da CONAMP (Associação Nacional dos Membros do Ministério Público).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Portal Sátiro Dias [1]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 16 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.