São Domingos de Rana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal São Domingos de Rana  
—  Freguesia  —
Igreja de São Domingos de Rana
Igreja de São Domingos de Rana
Brasão de armas de São Domingos de Rana
Brasão de armas
São Domingos de Rana está localizado em: Portugal Continental
São Domingos de Rana
Localização de São Domingos de Rana em Portugal
38° 42' 05" N 09° 20' 30" O
País  Portugal
Concelho CSC.png Cascais
 - Tipo Junta de freguesia
Área
 - Total 20,36 km²
População (2011)
 - Total 57 502
    • Densidade 2 824,3/km2 
Código postal 2785 São Domingos de Rana
Orago S. Domingos de Gusmão
Correio electrónico jfreg.sdrana@netcabo.pt
Sítio Junta de freguesia de São Domingos de Rana

São Domingos de Rana é uma freguesia portuguesa do concelho de Cascais, com 20,36 km² de área e de com a população de 57 502 habitantes (2011), sendo a freguesia mais populosa do município de Cascais e uma aldeia das mais populosas de Portugal.[carece de fontes?] Densidade por hab/km²: 2 824,3. Tem por orago São Domingos de Gusmão.

História[editar | editar código-fonte]

O povoamento da área hoje conhecida como Freguesia de São Domingos de Rana é muito antigo, tendo sido encontrados vestígios arqueológicos de vários períodos desde o Paleolítico, Neolítico/Calcolítico, Romano, Visigótico, Árabe e Medieval o que prova a uma continuidade de gerações na população residente.

Os motivos para o povoamento desta área são inúmeros sendo de destacar que sempre foi uma área rica em recursos naturais tais como aquíferos, florestas e pedra (destaca-se o mármore nesta ultima) o que levou a que se instalassem povos que se dedicavam ao cultivo primeiro cerealífero e hortofloricultura e mais tarde vinhateiro, à cerâmica e à cantaria, nomeadamente no trabalho do mármore, tendo por exemplo, esta área fornecido grande parte do mármore que se encontra no Convento de Mafra.

As primeiras referências históricas escritas que nos surgem são da Idade Média, consistindo em dois documentos, um que atesta a existência de Trajouce no século X da Era Comum e outro de 1385 que se refere a um casal em Freiria.

O primeiro censo a que temos acesso, de 1527, refere já todas as principais localidades da Freguesia que estendendo-se até Albarraque, já existiria como Paróquia. Como as Paróquias são as precursoras das Freguesias, tendo então muitas das suas funções, podemos afirmar, que a criação da Freguesia de São Domingos de Rana já era então uma realidade.

Em 1758, a então Paróquia, alargava-se até São Pedro do Estoril, fazendo a mesma parte do Concelho de Oeiras até 1838, altura em que foi reunida no Concelho de Cascais.

Nos finais do Século XIX e inícios do Século XX, bem como na I República são criadas inúmeras associações recreativas o que comprova a vitalidade populacional desta freguesia bem como o seu apoio à causa Republicana.

Está comprovado históricamente que a quando da Revolução de 5 de Outubro de 1910 houve aclamações à República na povoação de Tires, sendo que parte dos Carbonários que foram para as barricadas de Santa Apolónia, eram provenientes desta área bem como da Parede que então pertencia à Paróquia/Freguesia de São Domingos de Rana.

Durante todo o Século XX a Freguesia de São Domingos de Rana sofre um aumento populacional acentuado sendo o refugio de várias vagas de imigrantes provenientes das então Províncias do Alto e Baixo Alentejo, bem como, das diversas Beiras, esta área tendo então uma produção cerealífera intensiva e pedreiras atraiu os trabalhadores sazonais que trabalhavam alternadamente nos campos e na cantaria.

A partir da década de setenta do Século XX a ocupação do território fez-se de forma desordenada, por ausência de instrumentos de ordenamento e requalificação do território e devido a uma vaga de imigração populacional, da população portuguesa de outras regiões, para a Região de Lisboa à procura de trabalho que não existia noutros locais, daí a existência nesse período de dezenas de bairros de génese ilegal, pois foram bairros construídos sem licenças de construção ou até em terras que não eram suas, o seu reordenamento e a sua legalização têm sido conseguidas de forma lenta mas já podemos dizer que o problema já não é tão grave, encontrando-se muitos dos duzentos e muitos bairros existentes quase todos legalizados.

Nos últimos anos esta Freguesia tem tido um acelerado desenvolvimento, com uma população heterogénea caracterizada por uma elevada taxa de pessoas de meia-idade, embora com forte tendência para o seu rejuvenescimento, tendo uma rede aceitável de equipamentos sociais, tais como Biblioteca, Centro de Saúde, Complexo Desportivo, Escola Fixa de Trânsito (na Abóboda) e várias Escolas, mas lacunas gritantes como a inexistência de um Quartel de Bombeiros, sendo assistida neste caso pelos Bombeiros Voluntários de Carcavelos que se passaram a denominar de "Carcavelos - São Domingos de Rana" estando em construção um quartel na localidade da Abóboda.

O Aeródromo Municipal de Cascais (conhecido popularmente como Aeródromo de Tires) fica nesta freguesia.

Política[editar | editar código-fonte]

A freguesia de São Domingos de Rana é administrada por uma junta de freguesia, liderada por Manuel do Carmo Mendes, re-eleito nas eleições autárquicas de 2009 pelo Partido Socialista. Existe uma assembleia de freguesia, que é o órgão deliberativo, constituída por 19 membros.

O partido mais representado na Assembleia de Freguesia é o PS com 8 membros (maioria relativa), seguido da coligação Viva Cascais (PSD/CDS-PP) com 7 (um dos quais do CDS-PP), da CDU com 3, e do Bloco de Esquerda com um. Esta assembleia elegeu os 6 vogais da Junta de Freguesia: 4 do PS (incluindo tesoureiro e secretário), 2 da coligação Viva Cascais (PSD/CDS-PP) e um da CDU. O presidente da Assembleia de Freguesia é Jean Pierre Baronet da coligação Viva Cascais (PSD/CDS-PP), sendo do PSD.

Eleições de 2009
Órgão PS PSD CDU CDS-PP BE
Assembleia de Freguesia 8 6 3 1 1
Junta de Freguesia 4 2 1 0 0

Património[editar | editar código-fonte]

Povoações[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • As ruas de São Domingos de Rana, 2ª Ed., DSA Editores, 1999 (1ªEd.), ISBN 972-9893918
  • História das Freguesias e Concelhos de Portugal, Volume 4, Quidnovi - QN Edição de Conteudos, S.A., 2004, ISBN 989-554-152-X
  • Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Volume 27, p. 456, 1ª Ed., Editorial Enciclopédia & Resomnia - Editora de Livros e Publicações, Lisboa, Rio de Janeiro [s. d.]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]