São João da Madeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
São João da Madeira
Brasão de São João da Madeira Bandeira de São João da Madeira
Brasão Bandeira
Vista aérea parcial do centro.jpg
Vista aérea parcial do centro
Localização de São João da Madeira
Gentílico Sanjoanense
Área 7,94 km2
População 21 713 hab. (2011)
Densidade populacional 2 734,63 hab./km2
N.º de freguesias 1
Presidente da
Câmara Municipal
Ricardo Figueiredo (PSD)
Fundação do município 11 de Outubro de 1926
Região (NUTS II) Norte
Sub-região (NUTS III) Área Metropolitana do Porto
Distrito Aveiro
Antiga província Beira Litoral
Orago São João Baptista
Feriado municipal 11 de Outubro (emancipação concelhia)
Código postal 3700 São João da Madeira
Site oficial www.cm-sjm.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg
— Freguesia —
Brasão de {{{freguesia}}} Bandeira de {{{freguesia}}}
Brasão Bandeira
Site oficial www.fsjm.pt
Correio eletrónico freguesiasjm.juntafr@sapo.pt
Freguesias de Portugal Flag of Portugal.svg
Homenagem ao Sapateiro

São João da Madeira (SJM) é uma cidade portuguesa do Distrito de Aveiro e da Área Metropolitana do Porto com 21 713 habitantes (2011).[1] [2] Pertence à região Norte.

É sede do mais pequeno município português em área, com uma única freguesia[3] e apenas 7,94 km²,[4] correspondendo à área da cidade, o que lhe confere uma elevada densidade populacional: 2 734,63 hab/km². O município é limitado a norte e a oeste pelo município de Santa Maria da Feira, e a este e sul por Oliveira de Azeméis. O seu forte desenvolvimento, na segunda metade do século XX, levou à expansão da sua área urbana para fora dos limites do seu pequeno concelho.

Tornou-se município autónomo da vizinha Oliveira de Azeméis em 11 de Outubro de 1926, tendo sido elevado ao estatuto de cidade em 28 de Junho de 1984, pela lei n.º 13/84.

O lema de São João da Madeira é "Labor - Cidade do Trabalho". A cidade é conhecida, em Portugal, pela sua tradição na área industrial, particularmente em relação ao fabrico de chapéus e calçado. É reconhecida no país como a "Capital do Calçado".

Nos últimos anos, São João da Madeira tem sido distinguida como uma dos melhores municípios para se viver em Portugal, em estudos de qualidade de vida[5] [6] . Em 2010, a cidade recebeu, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa, o prémio de melhor município para se viver em Portugal, resultado obtido pelo estudo do Instituto de Tecnologia Comportamental, publicado no semanário Sol (jornal)[7] [8] .

São João da Madeira destacou-se ainda recentemente ao introduzir, em 2011, o turismo industrial em Portugal[9] [10] , e ao tornar-se, em 2012, o 1º município do país com cobertura quase integral wireless [11] [12] [13] .

Demografia[editar | editar código-fonte]

População da localidade de São João da Madeira (1527 – 2001)
1527 1687 1798 1864 1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
200 605 1 296 2 221 3 115 3 954 4 407 5 481 7 424 9 266 11 921 14 105 16 444 18 483 21 102 21 713

História[editar | editar código-fonte]

As origens de São João da Madeira remontam a um período prévio ao da formação da nacionalidade, como comprovam duas cartas de venda, em pergaminho, datadas de 1088, onde é referida a "uilla de Sancto Ioanne que dicent Mateira".[14] O topónimo "Madeira" parece ter a ver, segundo os historiadores, com a abundância arborícola da região. Estes dois manuscritos podem-se encontrar no arquivo da cidade, situado nos Paços da Cultura.

Empresa Industrial de Chapelaria Lda.
Unhas Negras

Durante muitos séculos, São João da Madeira passou despercebida no contexto nacional. Em meados do século XIX, contudo, opera-se uma mudança dramática na história local. A pequena aldeia de São João da Madeira acabaria por se tornar num dos maiores focos da Revolução Industrial em Portugal, transformando-se, num intervalo reduzido de anos, num dos maiores pólos industriais do país. A produção de chapéus é a primeira actividade industrial que se fixa. A primeira fábrica implanta-se em 1802 (J. Gomes de Pinho). António José de Oliveira Júnior, um ex-operário, foi um dos maiores impulsionadores da indústria na localidade, fundando, em 1892, a primeira fábrica de fabrico de chapéus de pêlo, e, em 1914, aquela que se tornaria um dos maiores símbolos de São João da Madeira - a Empresa Industrial de Chapelaria Lda. (na imagem). Totalmente mecanizada, quando começou a laborar era a maior fábrica da Península Ibérica.[15] Acompanhou a história da indústria de chapelaria em Portugal e hoje, o que resta do edifício aloja o Museu da Chapelaria. Oliveira Júnior viria a ser reconhecido na altura pelo próprio Governo, que lhe concedeu o diploma de Mérito Industrial e Agrícola,[16] e é figura grata na sua cidade, que ergueu um busto em sua honra e ofereceu o seu nome a uma das principais ruas da cidade. Em 1908, a inauguração da linha ferroviária - linha do Vouga - em São João da Madeira, pelo rei Manuel II de Portugal, contribuiu para potenciar ainda mais a onda de empreendedorismo.

No primeiro quarto do século XX, com o crescente progresso e instalação de indústrias, a explosão demográfica e social foi de tal ordem que, num intervalo curto de tempo, a aldeia de São João da Madeira ultrapassou em população a sua sede de concelho, Oliveira de Azeméis, bem como a da histórica Vila da Feira. Num período de quatro anos, São João da Madeira adquiriu o estatuto de vila (1922) e a sua autonomia administrativa (1926), por desmembramento do concelho de Oliveira de Azeméis. No decreto nº 12.456, o Governo considerava São João da Madeira o "centro industrial mais importante do distrito de Aveiro", cujo desenvolvimento económico e social estava a ser "prejudicado, sufocado pela sua inferior categoria administrativa". A independência administrativa foi fruto de uma lenta estratificação histórica local, tendo desempenhado um papel relevante nesta conjuntura a imprensa local (O Regional), nascida de "um grupo de rapazes com sangue a estuar nas veias e ansiosos pelo progresso constante de São João da Madeira", grupo de notáveis sanjoanenses que constituíram o "Grupo Patriótico Sanjoanense", liderados pelo padre jesuíta e historiador português Serafim Leite.[17] Já com a sua autonomia administrativa, em plena Segunda Guerra Mundial, a indústria do feltro sobe em flecha em Portugal.[18] Nos anos 1940, a produção de pêlos e feltros é centralizada em S. João da Madeira, com a criação, em 1943, da Cortadoria Nacional do Pêlo, a única fábrica do país que trabalha os pêlos,[19] nacionalizada em 1945. Em 1946, dos 1775 operários da indústria de chapelaria em Portugal, 1212 trabalhavam em São João da Madeira.[15] A indústria de chapelaria era um importante ramo da actividade industrial em Portugal, e São João da Madeira era a sua sede[20] .

A actividade na região foi imortalizada pelo escritor João da Silva Correia, no seu romance "Unhas Negras".[21] Esta expressão pejorativa designava os operários da indústria dos chapéus que, em virtude do árduo trabalho em caldeiras de vapores designadas de fulas, ficavam com as unhas deterioradas e tingidas de preto. O termo acabaria por se generalizar, servindo para designar, durante muito tempo, todos os habitantes de São João da Madeira. A palavra Labor, no escudo da cidade, pretende significar precisamente que foi à custa do trabalho dos seus "Unhas Negras" que a cidade se desenvolveu e emancipou.[22] A actividade da chapelaria viria, no entanto, a decair nas décadas seguintes, com o desuso deste utensílio têxtil por parte da população. Paralelamente, a indústria do calçado foi crescendo, acabando por se tornar a principal actividade económica da cidade e tornando São João da Madeira conhecida como a "Capital do Calçado".

Em 16 de Setembro de 2012, a freguesia vizinha de Milheirós de Poiares (concelho de Santa Maria da Feira) aprovou, em referendo popular com 79,9% dos votos a favor (taxa de participação de 54%), a integração no concelho de São João da Madeira,[23] transferência que não foi efectivada na reorganização administrativa de 2013.[3]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Enquadramento do concelho e freguesia de São João da Madeira.

A cidade de São João da Madeira encontra-se no extremo norte do distrito de Aveiro e região da Beira Litoral. Faz fronteira a norte com a freguesia de Milheirós de Poiares e a oeste com a freguesia Arrifana, ambas do concelho de Santa Maria da Feira, e a sul com a Vila de Cucujães, a sudeste com São Roque e a este com Macieira de Sarnes, todas do concelho de Oliveira de Azeméis.

Está a 18 km da Costa Marítima, a 32 km do Porto, 40 km de Aveiro e 275 km da capital Lisboa.

São João da Madeira assenta sobre o dorso maciço de uma airosa colina, entre os 50 e os 300 metros de altitude. A cidade é atravessada no seu maior eixo, norte-sul, pelo rio Ul.

O clima de S. João da Madeira é marítimo. De Inverno os índices de pluviosidade são altos e os Verões curtos e secos.

Economia[editar | editar código-fonte]

Zona Industrial nº 1 - Travessas e, no canto inferior direito, Pavilhão Desportivo das Travessas
Centro Empresarial e Tecnológico
Centro Comercial Oitava Avenida

A sua economia baseia-se grandemente nos sectores dos serviços e da indústria. Em termos de emprego, 62% dos trabalhadores da cidade trabalham no sector secundário e 38% no sector terciário.[24] Em 2007, São João da Madeira tinha 3660 empresas.[25] As micro e pequenas e médias empresas dominam o panorama do emprego em S. João da Madeira, com quase 74% dos trabalhadores. A cidade tem forte tradição na área industrial, designadamente na área do calçado. É detentora da marca "Capital do Calçado" (designação registada no Instituto Nacional do Registo de Marcas),[26] contendo inúmeras fábricas de calçado e de componentes para calçado, bem como o Centro Tecnológico do Calçado (CTC) e o Centro de Formação Profissional da Indústria do Calçado (CFPIC). A cidade é ainda a maior produtora nacional de chapéus,[27] e a terceira a nível mundial. Dos cerca de 2 milhões de feltros produzidos anualmente em todo o mundo, 400 mil são feitos em São João da Madeira, todos de uma única fábrica, a Fepsa.[28] A qualidade dos feltros produzidos em São João da Madeira é reconhecida mundialmente, abastecendo marcas de alta costura como a Hermès, produzindo para personalidades públicas internacionais[29] e indústria cinematográfica.[30] Em São João da Madeira, encontra-se também a única fábrica de lápis da Península Ibérica, a Viarco. Outras actividades do sector secundário da cidade incluem indústrias de componentes para automóveis, indústrias têxtil, colchões, colas, fundição e tubos[31] . O sector secundário está organizado, segundo o PDM da cidade, em quatro zonas industriais: Travessas, Orreiro, Devesa-Velha e Oliva.[32] Em 2008 foi inaugurado pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, o Centro Empresarial e Tecnológico,[33] um moderno edifício projectado pelo arquitecto Filipe Oliveira Dias, funcionando como incubadora de empresas ligadas à alta tecnologia, pretendendo dinamizar e diversificar o tecido empresarial e industrial da cidade e região. Trata-se do primeiro de dez edifícios a edificar na zona, num futuro parque tecnológico de 80 mil metros quadrados[34] . Encontra-se já em construção o segundo edifício do parque tecnológico - o Núcleo de Investigação e Desenvolvimento - orçado em mais de 6 milhões de euros[35] . Em 2009, foi ainda criada na cidade uma Rede de Inovação e Competitividade, assinando protocolo diversas organizações empresariais e de ensino da região, num projecto que ascende a 4 milhões de euros e que ambiciona potenciar o desenvolvimento ligado ao conhecimento e inovação tecnológica[36] .

No sector terciário, São João da Madeira destaca-se pela sua estrutura comercial e oferta de serviços qualificados em matéria de comércio, de serviços às empresas e de formação. Estes factores, associados à centralidade da cidade no eixo urbano da região, consolidam-na como o centro de serviços preferencial [37] [38] . Juntamente com Santa Maria da Feira, São João da Madeira contribui para o policentrismo da Grande Área Metropolitana do Porto a sul.[39] São João da Madeira é também um importante centro bancário e financeiro. Em 2007, existiam 1288 trabalhadores bancários sindicalizados em S. João da Madeira no Sindicato dos Bancários do Norte (SBN), quase tantos como os existentes na capital de distrito, Aveiro (1391 registados)[40] .

Serviços e pontos comerciais[editar | editar código-fonte]

São João da Madeira é um importante centro estratégico regional na oferta comercial e de serviços. A Avenida Dr. Renato Araújo, uma das artérias principais da cidade, com mais de dois quilómetros de extensão tem vindo a afirmar-se o principal centro económico-financeiro da cidade. A contígua zona pedonal, em redor da praça central, outrora o centro nevrálgico da cidade, continua a ser, ainda assim, um dos locais mais movimentados. É na ampla zona pedonal que se encontra o primeiro centro comercial de São João da Madeira, localizado no edifício Parque América (São João da Madeira)[41] , o mais alto da cidade com 17 andares, bem como uma grande concentração de cafés e bares nocturnos. O Oitava Avenida (São João da Madeira) é o maior centro comercial da região com 30.000 m², 133 lojas, 21 restaurantes e 5 salas de cinema.[42] O traçado do edifício é moderno e arrojado, tendo sido distinguido em vários prémios nacionais e internacionais: galardoado nos prémios do ICSC (International Council of Shopping Centers) de 2009 com o prémio de mérito na categoria de "Centros de Média Dimensão",[43] e nos prémios "Óscares do Imobiliário" de 2008 na categoria "Eurohypo"[44] .

Transportes[editar | editar código-fonte]

São João da Madeira é atravessada pela variante IC2, antiga N1, que estabelece a ligação com os principais eixos rodoviários. A auto-estrada A32 - São João da Madeira - Carvalhos liga a cidade directamente a Gaia e ao Porto[45] . A cidade dista ainda apenas 7 km da principal via do país (A1) e 10 km da A29, através da N223.

A circulação automóvel dentro de São João da Madeira está facilitada pelo moderno urbanismo da cidade. Existe um sistema muito abrangente de avenidas e ruas com duas faixas rodoviárias em cada sentido, proporcionando uma distribuição equilibrada do tráfego. As intersecções das ruas e avenidas são realizadas, na maioria dos casos, por rotundas, e os semáforos foram completamente abolidos em toda a cidade.

São João da Madeira chega também a ser conhecida como a "cidade das rotundas" devido ao facto de, embora ser o menor concelho do país, ter mais de 120 rotundas. Todos os anos, em época natalícia, várias escolas e associações competem entre si ao enfeitarem rotundas (a cada participante é atribuída uma rotunda) com árvores de natal e outros objectos para celebrar a chegada do Natal.[46] Esta competição é conhecida em todo o conselho e fora este, havendo até uma votação para as melhores rotundas enfeitadas, em que os melhores classificados recebem um prémio.

Em termos de transportes públicos, São João da Madeira possui uma rede urbana de autocarros, os TUS. Estes incluem duas carreiras dedicadas (linhas azul e verde) complementadas pelo actual sistema de transportes interurbanos explorado pela empresa Transdev. A cidade é sede regional de uma densa rede de autocarros inter-urbanos, com ligações directas e frequentes para o Porto (1 a 3 por hora), Ovar, Santa Maria da Feira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca.

São João da Madeira também é atravessada pela ferrovia, fazendo parte da ligação Espinho-Aveiro, (linha do Vouga), mas trata-se de uma linha praticamente obsoleta nos dias actuais, tendo-se mantido praticamente inalterada desde a sua abertura há um século atrás. Encontra-se em pré-estudo uma eventual ligação ferroviária de São João da Madeira, Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis ao centro da Área Metropolitana do Porto é a única região sem acesso ferroviário viável ao Porto), mas até ao presente não surgiu nada de concreto.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Paços da Cultura e Capela de Santo António

Um dos eventos culturais mais marcantes de São João da Madeira é o evento "Poesia à Mesa"[47] que, anualmente e durante uma semana, leva a poesia às ruas da cidade, escolas, bares, restaurantes, biblioteca e outros espaços públicos. Cada evento é dedicado a um conjunto de poetas e todos os anos comparecem na cidade várias personalidades públicas reconhecidas para declamar poesia, entre as quais, já estiveram presentes Ruy de Carvalho (edição de 2009) e Maria Barroso (edição de 2010).

São João da Madeira organiza anualmente, desde 2008, aquele que já é o maior evento de ilustração realizado em Portugal, o "Encontro Nacional de Ilustração" que, na sua última edição, contou com o apoio do Ministério da Cultura e da fundação Calouste Gulbenkian [48] [49] .

A cidade organiza ainda dois importantes prémios literários, o Grande Prémio Sophia de Mello Breyner Andresen,[50] em colaboração com a Associação Portuguesa de Escritores, de periodicidade bienal e com o objectivo de galardoar uma obra que reúna a totalidade dos livros de poesia de autor português; e o "Prémio João da Silva Correia",[51] divido em "poesia" e "prosa", atribuído a escritores com ligação à cidade.

Desde 2008, a cidade acolhe o festival anual "Curta",[52] uma Mostra Nacional de Curtas Metragens.

A cidade tem ainda protocolo com a fundação Serralves,[53] com estatuto de membro fundador da instituição portuense, resultando num intercâmbio cultural a vários níveis.[54]

Museus[editar | editar código-fonte]

Museu da Chapelaria e Monumento "Unhas Negras"
Museu da Chapelaria[editar | editar código-fonte]

Único na Península Ibérica,[55] o Museu da Chapelaria é um dos maiores símbolos culturais de São João da Madeira no presente, contendo valioso espólio das inúmeras fábricas de chapéus instaladas em São João da Madeira nos inícios/meados do século XX, e que contribuíram para a história da cidade. Contém também uma zona de exposições temporárias, recebendo ocasionalmente material de outros museus de chapéus. Foi inaugurado em 2005 pelo Presidente da República Jorge Sampaio.[56]

Projectos futuros[editar | editar código-fonte]

Desde há vários anos que a Câmara Municipal e o Clube de Empresários de São João da Madeira criam bases para o projecto do Museu do Calçado[57] . O Núcleo Museológico da Metalurgia[58] está projectado no âmbito da futura reconversão da extinta Oliva, outrora uma das principais empresas metalúrgicas nacionais, chegando a empregar milhares de trabalhadores. A empresa Viarco, a única fábrica de lápis do país, também não esconde o desejo de reconverter o edifício e alojar o Museu do Lápis[59] .

Salas de espectáculos[editar | editar código-fonte]

  • Casa da Criatividade[60] Da autoria do arquitecto Filipe Oliveira Dias, é uma sala de espetáculos única no país, pelo facto de ser modificável adaptando-se ao tipo de espetáculo pretendido. O seu funcionamento baseia-se no movimento, totalmente motorizado, de estrados elevatórios com cadeiras pré-instaladas que alteram a conformação da sala para um dos 6 esquemas desejados em menos de 1 hora. Tem capacidade máxima de cerca de 500 lugares sentados ou 550 em pé. É dirigida artisticamente pelo produtor musical Fernando Pinho e foi inaugurada em Junho de 2013 com a estreia em Portugal do premiado musical "O Despertar da Primavera" (Spring Awakening).
  • Auditório dos Paços da Cultura com capacidade de 200 lugares, tem recebido eventos ligados ao teatro, música, poesia e cinema.

Galerias de Arte[editar | editar código-fonte]

  • Oliva Creative Factory[61] Em 2009, a Câmara Municipal de São João da Madeira adquiriu parte das instalações da antiga metalúrgica Oliva, um dos símbolos industriais da cidade. Para este local, foi recentemente aprovado financiamento para um projecto de 9,2 milhões de euros[62] [63] que, em conjunto com a Casa das Artes e da Creatividade (já em construção), pretende revolucionar culturalmente a cidade nos próximos anos. Irá ser instalado no espaço um Centro de Arte Contemporânea, para o qual a autarquia já dispõe de uma colecção privada, recentemente doada, de mais de 1000 obras de autores reconhecidos como Júlio Pomar, Paula Rego, Maria Helena Vieira da Silva e Árpád Szenes.[64] O projecto centra-se numa área vocacionada para o acolhimento de empresas ligadas à criatividade e tecnologia, bem como espaço para residência, formação e exposição de artistas. O emblemático edifício da torre irá englobar ainda dois núcleos museológicos dedicados à metalurgia e calçado, bem como showrooms e estúdios de moda, joalharia, design, decoração de interiores, restauro e música.[58] Este é um projecto que ultrapassa as dimensões do concelho, resultado de parceria com várias entidades, incluindo a Universidade de Aveiro, a Universidade Católica, a Fundação de Serralves e a Fundação Ricardo Espírito Santo Silva e pretendendo ser o palco, para além da exposição fixa, de uma exposição nacional anual de arte contemporânea.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Cidade de desenvolvimento recente, aparentemente sem potencial para o turismo, São João da Madeira destacou-se, em 2011, ao introduzir o Turismo Industrial em Portugal. Os "Circuitos pelo Património Industrial" possibilitam a visita a algumas das mais emblemáticas empresas e instituições do concelho nas áreas do calçado, chapéus, lápis e passamanarias. O centro de boas vindas está localizado no edifício da Torre da Oliva e no sítio da internet é possível escolher e reservar entre várias hipóteses de circuitos[65] . O projecto do turismo industrial de S. João da Madeira é promovido pelo Turismo de Portugal[9] e pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal [66] .

Festividades[editar | editar código-fonte]

  • Festa de S. João da Ponte, 23 e 24 de Junho. É a maior festividade da cidade, em honra do seu santo padroeiro. Durante uma semana a Avenida da Liberdade encerra, de noite, ao trânsito e culmina com o habitual fogo-de-artifício.
  • Festa de Nossa Senhora dos Milagres, na semana do último domingo de Maio, no parque com o mesmo nome.
  • A cidade no Jardim, uma festividade de popularidade crescente que se realiza desde 2003, no Jardim Municipal, participando todas as instituições e colectividades da cidade.

Equipamentos[editar | editar código-fonte]

Desenvolvendo-se a partir das margens do rio que atravessa toda a cidade, o parque do rio Ul foi concebido por Sidónio Pardal e é um dos maiores parques urbanos do país
Câmara Municipal e vista parcial do Jardim Municipal
Parque Urbano do Rio Ul - Vista Parcial
Biblioteca Dr. Renato Araújo

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Parques e Lazer[editar | editar código-fonte]

  • Parque Urbano do Rio Ul,[69] do arquitecto Sidónio Pardal, que também concebeu o Parque da Cidade do Porto, é um moderno espaço que se projecta ao longo do rio Ul, com dimensão de cerca de 300 mil metros quadrados (cerca de 30 campos de futebol), que o torna um dos maiores parques urbanos do país. Conta com uma praia fluvial e edifício de apoio, a "Casa da Natureza", com balneários, bar de apoio e um centro de interpretação ambiental[70] .
  • Parque de Nossa Senhora dos Milagres, é o parque mais antigo da cidade, inaugurado em 1938[71] . Desenvolve-se numa colina da cidade, em volta da capela de Nossa Senhora dos Milagres e possui café de apoio, parque infantil, circuito de manutenção e ciclovia.
  • Parque Ferreira de Castro, recentemente reabilitado, conta com um campo sintético de futebol com iluminação nocturna, parques infantil e geriátrico, acesso gratuito à Internet via wireless, e café de apoio.
  • Jardim Municipal, em frente ao imponente edifício da Câmara Municipal, ladeia toda a extensão da Avenida da Liberdade.
  • Praça Barbezieux, conta com um dos mais modernos parques radicais do país, e com o monumento à mulher sanjoanense.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Centro de Saúde de São João da Madeira

Justiça[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Nos 8 quilómetros quadrados do seu território, a cidade de São João da Madeira conta com 9 escolas do primeiro ciclo com jardins de infância, uma escola EB2/3, três escolas secundárias, e oferta privada desde o período pré-escolar ao secundário, incluindo cursos profissionais com equivalência ao ensino superior. Uma considerável percentagem dos alunos das escolas de São João da Madeira são dos concelhos vizinhos. A quase globalidade do parque escolar da cidade recebeu recentemente intervenções de reabilitação, tornando-o num dos mais modernos do país. Outros locais de domínio público ligados à educação incluem a Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo, uma Academia de Música, um Instituto de Línguas e um Centro de Arte.

Recentemente aderiu à Associação Internacional de Cidades Educadoras.

Desporto[editar | editar código-fonte]

Complexo desportivo com piscinas e campos de ténis
Recinto para prática desportiva em Parque Ferreira de Castro

Nos últimos anos, o centro de São João da Madeira tem acolhido vários finais de etapa da Volta a Portugal em Bicicleta,[72] caracterizados pela concentração de bastante público.[73]

O Pavilhão das Travessas[74] é um moderno pavilhão inaugurado em 1995, e é um dos maiores recintos desportivos cobertos do país,[75] com 4000 metros quadrados. Tem recebido importantes provas nacionais e internacionais, como o Campeonato do Mundo de Andebol de 2003.

O Complexo Desportivo Paulo Pinto[76] conta com três piscinas (incluindo uma de saltos e uma olímpica), quatro courts de ténis, dois campos de futebol e voleibol de praia e um pavilhão. Recentemente, a Câmara Municipal de São João da Madeira estabeleceu protocolo com a Federação Portuguesa de Basquetebol criando o Centro Nacional de Treino Paulo Pinto,[77] proporcionando formação desportiva a jovens basquetebolistas de todo o País que revelem especiais aptidões para a prática da modalidade. Os jovens jogadores residem em casas cedidas pela Câmara Municipal, estudam nas escolas secundárias da cidade e desenvolvem toda a sua actividade desportiva no Complexo Desportivo Paulo Pinto.

O Centro de Formação Desportiva[78] é um moderno espaço, inaugurado em 2007, conta com três campos de futebol de relva sintética e edifício de apoio, dotado de equipamento ao nível do que foi instalado em estádios construídos para o Euro 2004, proporcionando excelentes condições para a prática desportiva de centenas de jovens jogadores.

A cidade conta ainda com um dos mais modernos parques de desportos radicais do país, inaugurado em 2009 e assinalado com uma das provas do Campeonato Nacional de BMX freestyle (BMX series).[79]

São João da Madeira tem em projecto um Centro de Alto Rendimento Desportivo,[80] o primeiro do género na Grande Área Metropolitana do Porto. Trata-se de um projecto de 17 milhões de euros[81] e é uma das várias apostas ambiciosas da cidade para os próximos anos.

Contudo, o futebol, tal como em quase todas as cidades portuguesas, é o desporto rei. A Associação Desportiva Sanjoanense é o clube principal, tendo já estado por várias vezes na 1ª e 2ª Liga. O clube conta com centenas de jovens que praticam futebol tendo, inclusive, equipas que militam nos campeonatos nacionais de camadas jovens. O seu estádio é o Estádio Conde Dias Garcia que tem capacidade para 15000 pessoas, sendo um dos maiores do distrito de Aveiro.

A associação estamos juntos (AEJ) fundada em 1986 foi o primeiro clube sanjoanense a ter uma atleta olímpica, que esteve presente em Londres, 2012 (Ana Rodrigues) treinada por Luis Ferreira no complexo desportivo Paulo Pinto.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Rádios[editar | editar código-fonte]

  • Rádio Regional - 88.1
  • Informédia - 106.3

Jornais[editar | editar código-fonte]

  • O Regional - Actualmente, o segundo jornal regional mais lido do distrito de Aveiro. Fundado em 1922, contribuiu para a emancipação municipal de São João da Madeira de 1926.
  • Labor

Internet gratuita[editar | editar código-fonte]

Em 16 de Junho de 2012, São João da Madeira tornou-se o primeiro concelho português a oferecer Internet sem fios sem custos para o utilizador[82] . A iniciativa é financiada por fundos comunitários (80%) e pela autarquia (20%).

Património[editar | editar código-fonte]

Capela de Nossa Senhora dos Milagres e parque envolvente

Notáveis sanjoanenses[editar | editar código-fonte]

Notas e Referências

  1. INE. Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Norte. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2012. p. 120. ISBN 978-989-25-0186-4. ISSN 0872-6493. Visitado em 27/07/2013.
  2. INE (2012). Quadros de apuramento por freguesia (XLSX-ZIP) Censos 2011 (resultados definitivos) Instituto Nacional de Estatística. Visitado em 27/07/2013. "Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_NORTE""
  3. a b Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  4. Instituto Geográfico Português (2013). Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013 (XLS-ZIP) Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013 Direção-Geral do Território. Visitado em 28/11/2013.
  5. S. João da Madeira é a cidade com maior qualidade de vida no norte - Estudo UBI, 2009
  6. São João da Madeira 3º melhor classificado - estudo semanário Sol 2008
  7. S. João da Madeira consegue o primeiro lugar em estudo sobre qualidade de vida
  8. S. João da Madeira é o melhor município para se viver
  9. a b [1]
  10. [2]
  11. [3]
  12. [4]
  13. [5]
  14. Síntese histórica de São João da Madeira
  15. a b Lima A., Ribeiro J, Indústria de Chapelaria em S. João da Madeira, S.João da Madeira, 1987
  16. Empresa Industrial de Chapelaria
  17. História de São João da Madeira
  18. Mesa Redonda pág.116
  19. Indústria da Chapelaria em São João da Madeira
  20. O Estado, o patronato e a indústria portuguesa (1922-1957)
  21. Unhas Negras
  22. Heráldica
  23. [6]
  24. Plano Estratégico do Desenvolvimento Local
  25. Notícia O Regional
  26. São João da Madeira - Capital do Calçado
  27. A indústria da chapelaria em São João da Madeira
  28. A FEPSA é líder mundial de feltros
  29. Johnny Depp com chapéu de feltro português
  30. "Inimigos Públicos" com chapéus de feltro portugueses
  31. Empresas de São João da Madeira
  32. Zonas Industriais de São João da Madeira, pág.13
  33. Presidente da República presente na inauguração do CET
  34. Primeiro parque tecnológico da região já funciona na cidade
  35. Investimento de seis milhões de euros em Núcleo de Investigação e Desenvolvimento
  36. Sanjonet
  37. Plano Estratégico de Desenvolvimento Local, pág 31
  38. PLANO REGIONAL DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO DA REGIÃO DO NORTE pág.45
  39. PLANO REGIONAL DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO DA REGIÃO DO NORTE pág.27
  40. Em S. João da Madeira há 1288 trabalhadores bancários sindicalizados
  41. Centro Comercial Parque América
  42. 8ª avenida
  43. 8ª Avenida distinguido nos "ICSC Awards" 2009
  44. Revista Imobiliária - Óscares do Imobiliário
  45. A32 - São João da Madeira - Carvalhos
  46. http://www.oregional.pt/pt/newspaper//local/cidade-tem-33-rotundas-decoradas.html
  47. Poesia à Mesa
  48. [7]
  49. [8]
  50. Grande Prémio Sophia de Mello Brreyner Andresen
  51. Prémio Literário João da Silva Correia
  52. Curta 2
  53. Câmara de S. João da Madeira torna-se membro fundador da Fundação de Serralves
  54. Fundação de Serralves traz exposição até ao espaço público sanjoanense
  55. Museu da Chapelaria
  56. Boletim Municipal
  57. Clube de Empresários de São João da Madeira
  58. a b Oliva vai ser transformada em fábrica de criação
  59. Viarco - História
  60. Casa das Artes e da Creatividade de São João da Madeira
  61. Oliva Creative Factory
  62. [9]
  63. [10]
  64. Centro de Arte Contemporâneo de São João da Madeira
  65. [11]
  66. [12]
  67. Escola Nacional de Estudos e Formação de Inspecção do Trabalho
  68. Escola Nacional de Bombeiros de São João da Madeira
  69. Parque Urbano do Rio Ul
  70. Parque Urbano do Rio Ul começa a ganhar forma e a conquistar os sanjoanenses
  71. http://www.fsjm.pt/parquensm.asp
  72. Final de etapa da Volta a Portugal em Bicicleta
  73. Cycloweb
  74. Pavilhão das Travessas
  75. Desporto para todos
  76. Complexo Desportivo Paulo Pinto
  77. Centro Nacional de Treino Paulo Pinto
  78. Centro de Formação Desportiva
  79. BMX series
  80. São João da Madeira aposta em Centro de Alto Rendimento Desportivo
  81. Centro de Alto Rendimento Desportivo é o projecto mais caro para São João da Madeira
  82. Sara Dias Oliveira. Em S. João da Madeira, a Internet sem fios passa a ser gratuita para todos Jornal Público. Visitado em 16 de Junho de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre São João da Madeira