São João de Pirabas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
A seção Lendas não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Município de São João de Pirabas
"Pirabas"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 10 de maio
Fundação Não disponível
Gentílico pirabense
Prefeito(a) Cláudio Barroso
(2009–2012)
Localização
Localização de São João de Pirabas
Localização de São João de Pirabas no Pará
São João de Pirabas está localizado em: Brasil
São João de Pirabas
Localização de São João de Pirabas no Brasil
00° 46' 08" S 47° 10' 26" O00° 46' 08" S 47° 10' 26" O
Unidade federativa  Pará
Mesorregião Nordeste Paraense IBGE/2008[1]
Microrregião Salgado IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Salinópolis, Capanema
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 701,896 km² [2]
População 20 644 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 29,41 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,539 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 58 188,911 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 955,10 IBGE/2008[5]
Página oficial

São João de Pirabas é uma cidade e um município do estado do Pará, Brasil. Localiza-se na microrregião de Salgado, mesorregião do Nordeste Paraense. O município tem 17 861 habitantes (2003) e 709 km². Foi criado em 1989.

História[editar | editar código-fonte]

Atribui-se a origem do povoado de São João de Pirabas, segundo a crônicas históricas, ao assentamento de duas famílias identificadas pelos sobrenomes de Florêncio, Matos Muniz e a do português Barbado por volta da segunda metade do século XIX.

O nome do município se deve a existência de uma espécie de peixe conhecido pelo nome de piaba ou pirabas, que é bastante abundante nas águas doces dos seus rios e o "São João" é resultado da grande devoção na qual os habitantes tinham pelo santo do mesmo nome.

Theodoro Braga e Palmaz Muniz, nos seus relatos históricos sobre S. J. Pirabas, registram que em 06 de junho de 1895, através da Lei nº 342, foi reconhecido como povoado do município de Salinópolis, entretanto somente em 16 de janeiro de 1896, por força do Decreto nº 166, a lei foi promulgada. De acordo com os mesmo historiadores citados acima S. J. de Pirabas conseguiu sua elevação a categoria de município de Salinópolis no ano de 1901, o que ficou referendado pela Lei nº 697 de 22 de outubro do mesmo ano. Sob essa categoria S. J. de Pirabas passou a existir como distrito de Salinópolis, caracterizando-se por ser um ponto terminal de navegação a vapor pela Amazon River Company na Região do Salgado, o que resultou em um grande crescimento urbano.

Quando em 1930 o município de Salinópolis foi extinto, toda a sua área patrimonial foi anexada ao município de Maracanã até o ano de 1933, quando mediante a promulgação do DEcreto Estadual nº 1002 de 30 de junho, Salinópolis voltou a ser conduzida a categoria de município.

Em 11 de fevereiro de 1962, S. J. de Pirabas deixou de pertencer ao município de Salinópolis, pois a partir da criação do município de Primavera as sua área patrimonial passou a pertencer ao novo município. Somente em 1988, mediante a aprovação da Lei nº 5453 de 10 de maio, São João de Pirabas consegui ser reconhecida como município, adquirindo desde então autonomia política e administrativa.

Lendas[editar | editar código-fonte]

São João de Pirabas é um berço de lendas através do do povo que possui uma farta imaginação. Algumas lendas como: a do Rei Sabá, das pedras que caem do céu, do lobisomem, da Princomar (empresa de pescado) e a da Porca.

Rei Sabá[editar | editar código-fonte]

De acordo com que é contado pelos mais antigos, Rei Sabá chegou em um navio negreiro e que naufragou em uma praia da região (atual praia do Rei Sabá) e lá ele ficou com seus filhos e sua esposa (a mais famosas dos filhos de Rei Sabá é Mariana) entretanto de lá ele não saiu então sentou-se de costas para o mar e lá virou pedra. Essa é uma das histórias contadas. A pedra existe é em formato de um homem sentado e lá ele recebe oferendas dos que acreditam em seus milagres. As oferendas (geralmente) são bebidas alcoólicas, balas (bombons). Em janeiro a praia fica lotada de pessoas de todas as partes do Brasil para vários rituais de umbanda. Em Pirabas se encontra o Rei Sabá e no Maranhão se encontra a espada dele.

Pedras que caem do céu[editar | editar código-fonte]

Houve uma época em Pirabas em que misteriosas pedras começaram a cair, pedras maiores que dois tijolos juntos, bastante pesadas e de cor branca. As pedras começavam a cair "A tardinha" e só paravam ao amanhecer. Foram semanas de buscas intensas de moradores e policiais, "muitos diziam que eram crianças mas eu estive lá, e pedras caiam de cima de casas de dois andares, não era possível que fossem crianças". Bem essa é uma história recente aconteceu em 2006. Ao final de toda essa história as pessoas disseram que tudo aconteceu porque alguém leu o livro de São Cipriano (o livro da capa preta), um livro de feitiçarias e magia negra.

Lobisomem[editar | editar código-fonte]

Diferente das lendas europeias e estadunidenses o Lobisomem de Pirabas geralmente atacava galinhas e cachorros de rua, muitas pessoas dizem ter o visto de madrugada, até hoje não se sabe se foi verdade ou mentira.

Lenda da Princomar[editar | editar código-fonte]

A Princomar é uma empresa de pescado que existe na cidade e exatamente no local onde hoje existe essa fábrica foi um antigo cemitério. De acordo com os funcionários do local, a noite principalmente ouve-se gemidos e pode-se ver pessoas estranhas perambulando pela fábrica e pela rua próxima a ela. Jornalistas já foram até lá passar uma noite e não conseguiram avistar nenhum fantasma ou visagem, como é chamado em Pirabas.

A porca[editar | editar código-fonte]

Essa foi uma das lendas mais levadas a sério na cidade, a Porca é como se fosse um lobisomem entretanto apesar de ser uma Porca grande, trata-se de um homem que segundo os moradores de São joão de Pirabas, se transformaria na Porca ao invès de lobo. De acordo com a população a Porca aparecia a noite e também comia galinhas e animas de rua. Muitas pessoas afirmam ter visto ou ouvido a Porca. Ela deixou de existir quando a pedido da população que outrora vivia amedrontada, a intervenção da polícia local, que fora a procura do animal para matá-lo, conseguira dar um tiro certeiro no braço da Porca e no dia seguinte um homem da comunidade apareceu com um braço ferido no mesmo local, sendo preso na delegacia. Essa lenda também foi atribuída ao livro de São Cipriano (o livro da capa preta), pois descobriram que tal homem o possuía a tempos.

São João de Pirabas tem muito a mostrar e contar para o Brasil.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 22 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.