São Luiz Gonzaga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São Luiz Gonzaga
Bandeira de São Luiz Gonzaga
Brasão de São Luiz Gonzaga
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 3 de junho de 1880
Fundação 1687 (327 anos)
Gentílico são-luisense
CEP 97800-000
Prefeito(a) Junaro Rambo Figueiredo (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de São Luiz Gonzaga
Localização de São Luiz Gonzaga no Rio Grande do Sul
São Luiz Gonzaga está localizado em: Brasil
São Luiz Gonzaga
Localização de São Luiz Gonzaga no Brasil
28° 24' 28" S 54° 57' 39" O28° 24' 28" S 54° 57' 39" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Santo Ângelo IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Roque Gonzales, Rolador, Caibaté, São Miguel das Missões, Bossoroca, Santo Antônio das Missões, São Nicolau e Dezesseis de Novembro
Distância até a capital 505 km
Características geográficas
Área 1 297,922 km² [2]
População 34 558 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 26,63 hab./km²
Altitude 231 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,8 muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 456 352,408 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 12 970,45 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.saoluizrs.com.br

São Luiz Gonzaga[nota 1] é um município brasileiro da região das Missões, noroeste do estado do Rio Grande do Sul .

História[editar | editar código-fonte]

São Luís das Missões, mais tarde chamada de São Luiz Gonzaga, foi fundada em 1687 pelo padre Miguel Fernandes, em região localizada a noroeste do atual Estado do Rio Grande do Sul, no chamado território das Missões, estas criadas em decorrência da ação dos jesuítas destinada à catequese dos índios guaranis, habitantes daquela área.

As missões jesuíticas se desenvolveram por largo território que atingia Argentina e Paraguai, além do Brasil, criando uma florescente civilização de construtores, escultores, entalhadores, pintores, músicos e outros artesãos, os quais deixaram marcas que hoje perduram nas ruínas da denominada República Guarani. Das trinta reduções jesuíticas existentes, sete se fixaram à margem esquerda do Rio Uruguai depois de 1687, dando origem aos Sete Povos das Missões, em cujos territórios hoje se situam os atuais municípios de São Luiz Gonzaga, São Borja, São João Batista, São Nicolau, São Miguel das Missões e Santo Ângelo. Sobreviveram até 1756, quando guaranis e jesuítas foram expulsos por tropas portuguesas e espanholas por força da nova divisão do território entre as duas nações estabelecida pelo Tratado de Madri de 1750.

Com a expulsão e morte da população indígena local pelos invasores, apesar da heroica resistência liderada pelo chefe guarani Sepé Tiaraju, a região passou por uma fase de abandono e estagnação até o século XIX, quando iniciou o desenvolvimento da atividade agrícola e pecuária, alcançando um momento de progresso que culminou com a emancipação política em 1880.

José Gomes Pinheiro Machado, ao retornar dos seus estudos de Direito em São Paulo, em 1878, se estabeleceu na cidade com banca de advocacia e passou a desenvolver a pecuária na Fazenda Piraju, de propriedade da sua família, muito trabalhando durante a sua carreira política pelo progresso do município.

Dedicando-se apaixonadamente à causa republicana, fundou em São Luiz o primeiro Clube Republicano Riograndense.[6] Mais tarde, já como senador da República pelo Estado do Rio Grande do Sul, no alvorecer do século XX, procurou criar para a região a infraestrutura para o progresso, através da construção da estrada de ferro, da ponte sobre o Rio Piratini, da criação da escola agrícola e de outras iniciativas.

Com a chegada de importante unidade do Exército Brasileiro, o 3º Regimento de Cavalaria, em 1905, novos fatores de progresso daí se desenvolveram.

O município, por estar situado na região das Missões, é valorizado pelo turismo, que oferece muitos pontos de interesse para os visitantes a partir da história local. Além disso, é lugar de belas paisagens, cortadas por diversos arroios e rios, como o Piratini, o Ijuí e o Ximbocu.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Pertence à Mesorregião do Noroeste Rio-Grandense e à Microrregião de Santo Ângelo, sendo um dos Sete Povos das Missões. Um dado interessante relacionado a geografia é o de que São Luiz Gonzaga desde o ano de 1991 está perdendo população, ao contrario do que ocorre no Rio Grande do Sul e Brasil. No ano de 1991, segundo o IBGE, São Luiz Gonzaga tinha 41.671, e agora como constatado no censo de 2007, tens 34.487.

Economia[editar | editar código-fonte]

A agricultura e a pecuária continuam a ocupar uma posição importante na economia da região. Entre os produtos agrícolas destacam-se o trigo, a soja, a laranja, a tangerina e a uva. A extração da madeira ocupa a primeira posição na silvicultura. Na pecuária, o rebanho bovino é predominante, com alguma atenção para a suinocultura. A principal indústria é a de transformação, seguida da construção civil, que vem se desenvolvendo progressivamente. O comércio tem fortes tradições locais e o setor de serviços vem se adequando às necessidades da população.

Educação e cultura[editar | editar código-fonte]

O município é bem suprido por escolas do ensino fundamental e médio, já possuindo dois estabelecimentos de ensino superior. Terra de história e tradições, desenvolveu uma mentalidade voltada para o estudo e a pesquisa histórica, bem como a pesquisa arqueológica nos inúmeros sítios missioneiros.

O Instituto Histórico e Geográfico do município tornou-se uma instituição respeitada e atuante na cultura da região. O Museu Arquelógico de São Luiz Gonzaga, possui um importante acervo, produto dessas pesquisas e estudos, enquanto o Museu Municipal Senador Pinheiro Machado preserva a memória da rica história do local e de seu povo.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Dentre os vários pontos turísticos, podemos destacar:

Igreja matriz católica

Em estilo gótico, a qual em seu interior abriga várias esculturas religiosas, em excelente estado, do período das reduções(1687-1756) feitas pelos índios guaranis.

Ruínas de São Lourenço Mártir

Remanescentes da antiga redução jesuítica, fundada em 1690.

Gruta Nossa Senhora de Lourdes

Construída fruto de promessa feita pelas senhoras da comunidade, juntamente com o Monsenhor Stanislau Wolski, referente ao não confronto entre as forças governamentais e as tropas rebeldes liberadas por Luiz Carlos Prestes (que permaneceu em São Luiz por dois meses); as orações foram atendidas e a promessa cumprida. Hoje a Gruta Nossa Senhora de Lourdes além de ser um local de profundas orações é um local turístico e histórico. Visitação obrigatória para todo aquele que queira estudar sobre a marcha revolucionária da Coluna Prestes.

Monumento ao Payador Jayme Caetano Braun - (lê-se:Pajador)

Payador é aquele que faz versos de improviso, décimas, ao som de milonga. Escultura de seis metros de altura e nove toneladas, que representa o poeta e pajador que mais soube entender a alma do homem simples do sul: o Gaúcho. Uma homenagem de todos admiradores do mestre do improviso, que através de doações voluntárias patrocinaram toda a obra.

Estátua de Sepé Tiaraju São-luizense e Missioneiro

Homenagem ao símbolo maior da resistência guarani diante ao desumano tratado de Madrid. Em sua figura ele representa a defesa do homem de bem que tem como único caminho resistir. O título da obra: A cruz acima da lança. Como a dizer que a paz era seu principal objetivo, mas a lança estava presente.

Notas

  1. Nota ortográfica: Segundo as normas ortográficas vigentes da língua portuguesa, este topônimo deveria ser grafado como São Luís Gonzaga. O nome é em homenagem ao santo padroeiro da cidade, São Luís Gonzaga.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Senador Pinheiro Machado - dados biográficos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]