Série 9100 da CP

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Série 9100)
Ir para: navegação, pesquisa
Série 9100
Série 9100
Uma automotora da Série 9100, na Estação de Amarante.
Propulsão Gasóleo
Fabricante Nydqvist & Holm AB
Local de operação  Portugal
Ano da entrada em serviço 1948
Ano da saída do serviço 2002

A Série 9100 corresponde a um tipo de automotora, que foi utilizada pela operadora Caminhos de Ferro Portugueses na Linha do Tâmega, em Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes e encomenda[editar | editar código-fonte]

Após a Segunda Guerra Mundial, a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses encontrava-se com dificuldades para assegurar os serviços de passageiros, devido à quantidade e ao estado do parque de material circulante; com efeito, embora ainda existisse um número suficiente de locomotivas a vapor para as necessidades de tráfego, a maior parte das máquinas não conseguiam atingir níveis de velocidade, conforto e consumo considerados aceitáveis para os padrões da época.[1] Por outro lado, a tracção a vapor também apresentava custos de combustível consideravelmente superiores aos combustíveis alternativos, especialmente o gasóleo e a electricidade, e produzia um elevado grau de poluição, com efeitos nefastos para os passageiros e populações, especialmente nas áreas urbanas e nos túneis.[1]

Esta forma, a Companhia iniciou um plano de apetrechamento, com o objectivo de renovar o parque de material circulante, através da aquisição de material circulante; a nível inicial, priorizou-se a tracção a gasóleo, devido aos elevados custos de instalação das infra-estruturas indispensáveis à tracção eléctrica.[1]

A tracção eléctrica, já experimentada com sucesso na Linha de Cascais, era menos dispendiosa do que o gasóleo, e a energia podia ser gerada em Portugal, mas acarretava pesados custos na instalação das infra-estruturas necessárias[1] ; d No âmbito deste plano, encomendou, em 1946, por conta própria, 6 automotoras e 6 reboques de origem sueca, 12 automotoras nacionais e 60 carruagens, e, por conta do governo, mais 18 automotoras suecas, das quais 3 eram de via estreita, e 6 reboques; previa-se, em Março de 1948, que todo o material iria entrar ao serviço ainda durante esse ano.[1] O custo total da aquisição das carruagens e das automotoras atingiu um valor aproximado de 400 milhões de escudos.[1] As automotoras e os reboques de origem sueca foram fabricadas pela construtora Nydqvist & Holm AB, mais conhecida pela sigla NOHAB.[2]

Introdução ao serviço[editar | editar código-fonte]

As 3 unidades encomendadas entraram ao serviço em 19 de Maio de 1948, na Linha do Tâmega.[3] A primeira viagem foi acompanhada por vários engenheiros e funcionários superiores da Companhia, tendo sido realizada uma cerimónia na Estação de Amarante, com discursos do presidente e dos vereadores da Câmara Municipal, e animação musical pela banda dos Bombeiros Voluntários.[4]

Devido ao facto de terem sido entregues com apenas dois eixos, as automotoras revelaram vários problemas de estabilidade, que foi resolvido devido à introdução de 2 bogies de dois eixos, em esquema Bo-Bo, um em cada extremidade.[2]

Em 7 de Junho de 1998, as automotoras 9101 e 9102 colidiram junto a Fregim.[5] A 9101 foi abatida ao serviço, sendo utilizada para fornecer peças às outras duas unidades, que continuaram a circular; uma das cabines foi preservada, tendo sido colocada no Museu Nacional Ferroviário.[2]

Fim dos serviços[editar | editar código-fonte]

Foram retiradas ao serviço em 2002, sendo substituídas pelas automotoras da Série 9500.[5]

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Características de exploração
    • Ano de entrada ao serviço: 1949[2]
    • Ano de saída ao serviço: 2002[2]
    • Número de automotoras: 3[6]
  • Dados gerais
    • Bitola de Via: 1000 mm[6]
    • Tipo de composição: Unidade Simples a Diesel (motora)[6]
    • Comando em unidades múltiplas: Não tem[2]
    • Comprimento total: 15,59 metros[2]
    • Tipo de tracção: Gasóleo (diesel)[6]
  • Transmissão
    • Tipo: Hidráulica[2]
  • Motores de tracção
  • Características de funcionamento
    • Velocidade máxima: 70 km/h[2]
  • Lotação
    • Primeira classe: 8[6]
    • Segunda classe: 28[6]

Listagem de material[editar | editar código-fonte]

  • 9101: Abatida, após colisão com a 9102, em 7 de Junho de 1998[2]
  • 9102: Parqueada na Estação Ferroviária de Livração[2]
  • 9103: Parqueada na Estação Ferroviária de Livração[2]

Referências

  1. a b c d e f (1 de Abril de 1948) "Os Caminhos de Ferro Portugueses e a sua modernização". Gazeta dos Caminhos de Ferro 60 (1447): 257, 259. Visitado em 28 de Fevereiro de 2013.
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q NUNES, Rui (23 de Outubro de 2008). Automotoras Transportes XXI. Visitado em 22 de Outubro de 2010.
  3. AMARO, Jaime. (2005). "Automotoras Allan de Via Estreita - Meio Século de Existência". O Foguete 4 (13): 8, 10. Entroncamento: Associação de Amigos do Museu Nacional Ferroviário. ISSN 124550.
  4. (1 de Junho de 1948) "Linhas Portuguesas". Gazeta dos Caminhos de Ferro 60 (1451): 234. Visitado em 28 de Fevereiro de 2013.
  5. a b COSTA, Sérgio (Julho de 2002). Nohab Série 9100: O Fim da Linha 1 pp. De Comboio. Visitado em 22 de Outubro de 2010.
  6. a b c d e f CP withdrawn locomotives (em Inglês) Railfaneurope (16 de Julho de 2010). Visitado em 22 de Outubro de 2010.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Série 9100 da CP

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.