Síndrome de Mallory-Weiss

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Síndrome de Mallory-Weiss
Lágrima de Mallory-Weiss afetando o lado do esôfago da junção gastroesofágica
Classificação e recursos externos
CID-10 K22.6
CID-9 530.7
DiseasesDB 7803
eMedicine ped/1359
MeSH D008309
Star of life caution.svg Aviso médico

A síndrome de Mallory-Weiss refere-se ao sangramento proveniente de lacerações da mucosa (laceração de Mallory - Weiss), na junção do estômago e esôfago, normalmente causada por esforço ao tossir ou vomitar.

Causas[editar | editar código-fonte]

É freqüentemente associada com alcoolismo e distúrbios alimentares e há algumas evidências que a presença de uma hérnia de hiato é uma condição predisponente.

Apresentação[editar | editar código-fonte]

A síndrome de Mallory-Weiss apresenta freqüentemente como um episódio de vômito de sangue (hematemese) depois de tentativas para vomitar ou vômitos, mas também pode ocorrer sangue escuro nas fezes melena, sendo que uma história de vômito pode estar ausente.

Na maioria dos casos, a hemorragia cede espontaneamente depois de 24-48 horas, mas tratamento cirúrgico ou endoscópico é às vezes necessário. Raramente a condição é fatal.

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

O diagnóstico definitivo é feito por endoscopia.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

O tratamento normalmente é efetivo, sendo que a hemorragia persistente é incomum. Cauterização ou injeção de epinefrina para parar a hemorragia podem ser efetuados durante o procedimento de endoscopia.

Muito raramente a embolização das artérias regionais é necessária para cessar a hemorragia.

História[editar | editar código-fonte]

A doença foi descrita primeiramente em 1929 por G. Kenneth Mallory e Soma Weiss em 15 pacientes alcoólicos.

Referências[editar | editar código-fonte]