Sítio Paleontológico Chiniquá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sítio Paleontológico
Chiniquá
Stahleckeria encontrado no local e levado à Universidade de Tübingen.
Localização São Pedro do Sul,
 Rio Grande do Sul,
Coordenadas 29° 39' 21" S 54° 25' 38" O

Sítio Paleontológico Chiniquá está situado na cidade brasileira de São Pedro do Sul, no Rio Grande do Sul. Está as margens da rodovia BR-287, a Rodovia dos Dinossauros, com uma área de aproximadamente 250 hectares. Localiza-se a 60 kilometros da cidade de Santa Maria. O sítio pertence à Formação Santa Maria. Possui fósseis do triássico da Ladiniana.

História[editar | editar código-fonte]

O Sítio Paleontológico Chiniquá foi descoberto no início do século XX, pelo pesquisador Antero de Almeida.

Historicamente Chiniquá é um dos mais importantes sítios paleontológicos brasileiros. No início, pesquisadores locais coletaram fosseis que chamaram a atenção de pesquisadores internacionais que posteriormente visitaram a região. Esses pesquisadores locais moldaram toda a pesquisa paleontológica da região e do Brasil. Por todos esses fatores históricos e contribuições, Chiniquá é hoje conhecida internacionalmente.

Em 1925, o paleontólogo alemão Dr. Bruno von Freyberg, da Universidade de Halle-Wittenberg visitou o local e acabou influenciando Vicentino Prestes de Almeida, um agrimensor que aprenderia a coletar fosseis. Vincentino nasceu em Chiniquá no ano de 1900, quando então o local era um distrito do município de Santa Maria, tornou-se autodidata no assunto e suas descobertas tiveram grande influência na vinda de von Huene para a região. Prestosuchus é um nome em homenagem a Vincentino, dado por von Huene.

Em 1927, vêm à Chiniquá o Geólogo Alex Löfgren, que é auxiliado por auxiliado por Atílio Munari.

Em 1928 chega o alemão Friedrich Von Huene, acompanhado pelo Dr. Rudolf Stahlecker. Ficaram dois meses coletando no local, na época tiveram que percorrer 70 quilômetros até Santa Maria levando toneladas de fosseis, em carretas puxadas por bois. Muitos fósseis coletados estão na Universidade de Tubinga, na Alemanha. Durante este período estiveram hospedados na casa de Abel Luiz da Silva Flores (Belo Flores).

Em 1965, Romeu Beltrão visitou Chiniquá e conversou com Gomercindo Ilha Flores e José Francisco Flores, moradores locais, que haviam auxiliado von Huene na coleta do Stahleckeria potens.

Em 1959, uma expedição formada por Llewellyn Ivor Price, Edwin Harris Colbert, Carlos de Paula Couto, Fausto Luís de Souza Cunha e Theodore coletaram fosseis em Chiniquá.

De 1976 até 1984 o padre Daniel Cargnin, foi pároco da cidade de Mata e passou a coletar fosseis na região.


Turismo Paleontológico[editar | editar código-fonte]

Italian traffic signs - icona museo.svg

Historicamente este é o segundo local onde foram encontrados fosseis no Estado do Rio Grande do Sul. Grandes pesquisadores passaram por este local e ajudaram a formar a paleontologia brasileira.

O local encontra-se abandonado, sem placas de sinalização, sem painéis contando a história do local, sem réplica dos animais ali encontrados e sem estatuas dos pesquisadores. O Sítio é conhecido internacionalmente por suas grandes contribuições e encontra-se na área rural, na beira da rodovia BR-287, com grande movimentação de veículos. Não há projeto para tornar o local em um ponto turístico.

Pesquisadores que estiveram no Sítio[editar | editar código-fonte]

Animais encontrados[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]