Sítio arqueológico de Dolní Věstonice

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vênus de Dolní Vestonice

O sítio arqueológico de Dolní Věstonice encontra-se nas cercanias da aldeia tcheca de Dolní Věstonice, na Morávia.[1] [2]

Em 1924, o arqueólogo checo Karel Absolon iniciou uma exploração sistemática nas cercanias de Dolní Vestonice, pois havia notícias de vestígios arqueológicos já desde o século XIX.

O resultado foi a localização de um dos sítios arqueológicos mais extraordinários do Paleolítico Superior.

As escavações do local começaram pouco depois, deparando o achado de uma típica vênus paleolítica, a Vênus de Dolní Věstonice (a mais famosa deste sítio).

Tão importante é o local que várias gerações de arqueólogos levam trabalhando nele com algumas interrupções, sob as sucessivas direções de Karel Absolon, primeiro, Bohuslav Klíma, depois, e Petr Škrdla, atualmente (com uma equipa interdisciplinar de diversas universidades do mundo).

Por enquanto três grandes zonas de habitação do Paleolítico Superior foram descobertas dentro das camadas de loess.

A primeira delas tinha cinco moradias com o seu respectivo lar e um enorme ossário que continha resíduos de um centenar de mamutes.

Nos limites deste acampamento foi exumada um túmulo da época, que pertenceu a uma mulher de cerca de quarenta anos, deitada em posição fetal sobre o seu lado direito, coberta por ocre e com duas escápulas de mamute em cima.

Outro túmulo foi localizado em 1986, esta vez tríplice, de adolescentes, dois rapazes e uma garota, com uns 27 mil anos de antiguidade.

A garota parece ter morto por causas não naturais, e o rapaz levava um colar de dentes de lobo.

A segunda zona de habitação era uma choupana com cerca de seis metros de diâmetro, estava protegida dos frios ventos periglaciares por um pequeno muro de alvenaria.

O solo da cabana fora amassado e, a um lado, uma zona mais elevada tinha sido construída com terra pisada.

No centro, uma espécie de forno com altas paredes de barro, de modo que ficava semienterrado, continha numerosos objetos de arte plástica: figuras de animais e pessoas feitas em barro e cozidas.

As datações por radiocarbono indicam que o sítio foi habitado há cerca de 26 mil a 28 mil anos.

Outras esculturas[editar | editar código-fonte]

No mesmo lugar de Dolní Věstonice apareceram esculturas de marfim, entre elas vários rostos de grande realismo.[3] e um boneco masculino articulado.

Referências

  1. WikiMapia.org (fotos de satélite do sítio arqueológico).
  2. WikiMapia.org (fotos de satélite do sítio arqueológico).
  3. Tal é a sua perfeição que durante muito tempo foram recusadas e consideradas falsificações; porém, uma análise de espetrometria de massas realizada pelo Centro de Tecnologia Espacial, da Universidade Estadual do Kansas (Estados Unidos), determinou a sua autenticidade e a sua antiguidade de cerca de 26 mil anos

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • JELINEK, J.: Pictorial Encyclopedia of the Evolution of Man. Praga: Hamlyn, 1975.
  • National Geographic Magazine. The National Geographic Society, outubro de 1988.
  • SHREEVE, James: The Neandertal Enigma: Solving the Mystery of Modern Human Origins. Nova York: William Morrow and Company, 1995.
  • TEDLOCK, Barbara: The woman in the shaman’s body; reclaiming the feminine in religion and medicine. Nova York: Bantam Dell, 2005.