SS Normandie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
SS Normandie

O SS Normandie foi um transatlântico francês que por cinco anos ostentou o título de "o maior navio do mundo", além de ter recebido o Blue Riband em 1935 e 1937[1] [2] .

Construído no início da década de 1930, foi lançado ao mar em outubro de 1932 e sua viagem inaugural ocorreu em 29 de maio de 1935.

Desenhado pelo arquiteto naval Vladimir Yourkevitch, o Normandie foi construido para ser "o rei dos transatlânticos", sendo o primeiro a ultrapassar 60 mil toneladas (total de 82.800 toneladas) destribuidos em 308 metros de comprimento e com capacidade para 3.317 pessoas, incluindo passageiros e tripulantes, além de ser o maior turbo-elétrico existente até então.

No carnaval de 1939, o Normandie passou pela cidade do Rio de Janeiro[3] numa das suas últimas viagens, pois em agosto de 1939 o SS Normandie ficou retido em Nova York devida ao início da Segunda Guerra Mundial. Em 1940, já sob a responsabilidade da Marinha dos Estados Unidos e rebatizado para USS Lafayette (AP-53), o antigo Normandie, um dos mais luxuosos transatlânticos[4] , iniciou o processo de transformação para navio transporte (de tropas) e em 6 de fevereiro de 1942, após uma fagulha de um maçarico, iniciou-se um grande incêndio no navio. Após a extinção das chamas e a grande quantidade de água utilizada para esse fim, o Lafayette adernou e tombou entre os pontões em que se encontrava. Em setembro de 1943 houve uma tentativa de reparo, sendo reflutuado, porém, o alto custo em sua reforma e conversão para um porta-aviões, fizeram que o USS Lafayette fosse considerado saldo de guerra e assim, iniciado seu desmanche em 1946 e concluído em outubro de 1947.

O USS Lafayette em chamas
O USS Lafayette em 1942

Referências

  1. S. S. Normandie Cruiser Ship NautiCurso. Visitado em 05/09/2012.
  2. Normandie (II) 1935-1946 Transatlantique. Visitado em 05/09/2012.
  3. Normandie ArtDecoBrasil. Visitado em 05/09/2012.
  4. Art Deco Relics of the Normandie The New York Times (junho de 2005). Visitado em 05/09/2012.