STS-32

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
STS-32
Insígnia da missão
Estatísticas da missão
Espaçonave Columbia
Lançamento 09 de Janeiro de 1990, 7:35:00 a.m. EST
39-A
Aterrissagem 20 de Janeiro de 1990, 1:35:37 a.m. PST
Órbitas 172
Duração 10 dias, 21 horas e 36 segundos
Altitude orbital 330 km
Inclinação orbital 28.5 graus
Distância percorrida 7.258.096 km
Imagem da tripulação
Sentido anti-horário de cima para a esquerda: Ivins, Low, Dunbar, Wetherbee, Brandenstein
Sentido anti-horário de cima para a esquerda: Ivins, Low, Dunbar, Wetherbee, Brandenstein
Último
Último
Próximo
Próximo

A STS-32 foi a trigésima-terceira missão a utilizar um ônibus espacial e o nono lançamento do Columbia. Ela realizou a quarta aterrissagem noturna.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Parâmetros da missão[editar | editar código-fonte]

Principais fatos[editar | editar código-fonte]

A decolagem ocorreu em 9 de Janeiro de 1990, às 7:35:00 a.m. EST. O lançamento havia sido agendado para 18 de Dezembro de 1989, adiado para completar e verificar as modificações no Pad A, que seria utilizado pela primeira vez desde Janeiro de 1986. O lançamento em 8 de Janeiro de 1990 foi cancelado devido às condições climáticas.

Os objetivos primários da missão eram o lançamento do satélite de comunicações SYNCOM IV-F5 e a recuperação da Instalação de Exposição de Longa Duração (LDEF) da NASA. O SYNCOM IV-F5 (também conhecido como LEASAT 5) foi lançado com sucesso e utilizou o primeiro e terceiro estágios do foguete Minnuteman em seu perigeu para poder atingir a órbita geosíncrona. O LDEF foi recuperado no quarto dia de vôo com a utilização do Sistema de Manipulação Remota pelo grupo.

As cargas no meio do veículo incluíam: Characterization of Neurospora Circadian Rhythms (CNCR); Crescimento de Cristais de Proteína (PCG); Aparado de Experimentos com Fluidos (FEA); American Flight Echocardiograph (AFE); Localizador de Latitude/Longitude Locator (L3); Mesoscale Lightning Experiment (MLE); câmera IMAX; e o experimento Air Force Maui Optical Site (AMOS)

A missão marcou a primeira vez em que o Pad A no complexo 39 do Kennedy Space Center foi utilizado como um local de lançamento desde a missão 61-C em 12 de Janeiro de 1986. Ele marcou também a primeira utilização da Plataforma de Lançamento Móvel No. 3 (MLP-3) no programa de ônibus espaciais.

A STS-32 foi o nono vôo do ônibus espacial Columbia, e a trigésima-terceira missão a utilizar um ônibus espacial. Ela foi a missão com uma das durações mais longas do programa de ônibus espaciais, com dez dias. Houve apenas uma missão com uma duração desta magnitude, a STS-9 em 1983, a primeira missão do Spacelab, tendo está também utilizado o Columbia.

A NASA planejou uma missão estendida para adquirir dados sobre a exposição dos membros do grupo em longos períodos sob um ambiente de microgravidade e seu efeitos, na aterrissagem do veículo. Um kit estava sendo desenvolvido para permitir a atuação dos astronautas na órbita terrestre por até 16 dias.

O comandante do grupo de cinco astronautas era Daniel Brandenstein, que também comandou a STS 51-G em 1985 e pilotou a STS-8 em 1983. Ambas as missões incluíam o uso do Sistema de Manipulação Remota construído no Canadá, que também foi utilizado para recuperar o LDEF. James Wetherbee foi o piloto da STS-32, em seu primeiro vôo em um ônibus espacial. Também em seus primeiros vôos estavam os especialistas da missão Marsha Ivins e David Low. O terceiro especialista da missão, Bonnie Dunbar (Ph.D), estava em seu segundo vôo, ele foi também especialista da missão an STS 61-A, em 1985.

Dunbar operou o braço robô para recuperar o LDEF enquanto Ivins fotografava a estrutura de vôo livre que continha 57 experimentos de ciência e tecnologia. O cilindro de doze lados, com o tamanho aproximado de um ônibus pequeno, foi então colocado no compartimento de carga do Columbia para ser então trazido de volta à Terra.

O LDEF tinha o objetivo de permanecer no espaço por aproximadamente um ano após seu lançamento, em 7 de Abril de 1984, na STS-41-C, tendo sido colocado em uma órbita terrestre quase circular, com um apogeu de 480 km e um perigeu de 475 km, As mudanças no planejamento e o acidente com a 51-L atrasaram esta recuperação.

Mais de cinco anos e seis meses depois, a LDEF era um importante repositório de dados técnicos e científicos.

A passagem do tempo da recuperação foi de importância crítica. Uma alta taxa de fluxo solar aumentou a densidade do ambiente orbital do LDEF e acelerou sua taxa de decaimento orbital. Os especialistas cuidadosamente monitoraram a estabilidade da órbita da embarcação, e anteciparam que ela poderia cair devido à atração gravitacional da Terra e ser destruída na re-entrada em Fevereiro de 1990.

A Columbia foi a primeira missão lançada do Pad A, no complexo 39, que havia sido recondicionado. O Pad A suportou as 24 primeiras missões com ônibus espacials, da STS-1 em Abril de 1981 até a STS-61-C em Janeiro de 1986. Ambos os Pad A e Pad B foram modificados através do tempo.

As modificações incluíam melhoras no sistema de egresso do grupo de emergência e na sala de mudança de carga, proteção contra congelamento dos serviços de água, a instalação de proteção contra escombros durante o carregamento do combustível, a adição de mais dispositivos de proteção contra as condições climáticas e um umbilical para prover energia, instrumentação e controles aos aquecedores das juntas dos foguetes de combustível sólido.

MLP-3, a mais velha das três estruturas de lançamento da era-Apollo, também passou por um extensivo remodelamento para ser utilizada com os ônibus espaciais. Estas modificações incluíam a remoção da torre umbilical, reconfiguração para três buracos de exaustão, e mudança nos sistemas de elétricos e mecânicos de suporte em terra. A MLP-3 suportou muitos lançamento históricos nos anos 60 e 70, incluindo o primeiro lançamento da uma Apollo com o foguete Saturn V; a primeira missão lunar tripulada, a Apollo 8; a primeira missão lunar de aterrissagem, a Apollo 11; três lançamento tripulados do Skylab; e a missão Apollo/Soyuz.

A aterrissagem ocorreu em 20 de Janeiro de 1990, às 1:35:37 a.m. PST, na Runway 22 do Edwards Air Force Base, CA. Distância de rolagem: 10,731 pés (3,271 m), tempo de rolagem: 62 segundos. Foi o mais longo vôo de um ônibus espacial documentado. O veículo retornou ao KSC em 26 de Janeiro de 1990. Peso na aterrissagem: 228,335 lb (103,571 kg).

Cargas no compartimento mediano[editar | editar código-fonte]

  • Characterization of Neurospora Circadian Rhythms (CNCR)
  • Crescimento de Cristais de Proteína (PCG)
  • Aparato de Experimento com Fluidos (FEA)
  • American Flight Echocardiograph (AFE)
  • Localizador de Latitude/Longitude (L3)
  • Mesoscale Lightning Experiment(MLE)
  • Câmera IMAX
  • Experimento Air Force Maui Optical Site (AMOS)

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre STS-32
Precedido por
STS-33
Programa de Ônibus espaciais
Sucedido por
STS-36