Sahaba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde janeiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

No islamismo o termo sahaba (ou asahaaba; em árabe: الصحابه) refere-se aos companheiros do profeta Maomé (Muhammad). A forma singular da palavra é sahaabi, e significa "amigo", "companheiro". O termo aplica-se a todas as pessoas que tiveram contacto com Maomé, mesmo que tenha sido brevemente ou que apenas o tenham visto sem nunca terem falado diretamente com ele.

Cada companheiro é considerado como uma pessoa de grande estatura espiritual e moral devido ao fato de ter usufruído direta ou indiretamente da presença do profeta Maomé. Isto não significa que todos os companheiros sejam homens e mulheres isentos de culpa.

Não correspondem à figura do santo no catolicismo, embora em torno de alguns deles se tenha formado um verdadeiro culto popular, que é contestado por algumas correntes muçulmanas que o consideram como uma forma de idolatria. Também não devem ser vistos com equivalentes ao apóstolos de Jesus, visto que o profeta Maomé não concedeu a um número restrito de pessoas um estatuto especial. Em termos númericos mais de cem pessoas são consideradas como integrantes dos sahaba.

Fazem parte dos sahaba:

  • um grupo de dez companheiros mais próximos de Maomé, no qual se incluem os quatro primeiros califas (Abu Bakr, Omar, Otman e Ali);
  • os muhajirun, ou seja, aqueles que deixaram Meca para se instalarem em Medina num movimento migratório conhecido como a Hégira;
  • Os ansar, os crentes de Medina;
  • Os badriyun, os que lutaram na Batalha de Badr.
Ícone de esboço Este artigo sobre o Islamismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.