Sailor Moon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sailor Galaxia)
Ir para: navegação, pesquisa
Sailor Moon
美少女戦士セーラームーン
(Bishōjo Senshi Sērāmūn)
A primeira capa do mangá de Sailor Moon, publicado em 6 de julho de 1992 pela Kodansha no Japão.
Gênero Magical girl, romance, drama, ação e aventura
Inadequado para menores de 10 anos i DEJUS (Brasil)
Mangá
Autor Naoko Takeuchi
Editora(s) Kodansha
Editora(s)
lusófonas(s)
Editora JBC
Revista Nakayoshi
Run Run
Público-alvo Shōjo
Data de publicação Fevereiro de 1992 – Março de 1997
Volumes 18 (edição original)
12 (edição ao redor do mundo)
Anime
Direção Junichi Sato
Estúdio Toei Animation
Exibição original 7 de março de 1992 – 7 de fevereiro de 1993
Emissoras de TV TV Asahi
Nº de episódios 46
Anime
Pretty Soldier Sailor Moon R[1] [2]
Direção Kunihiko Ikuhara
Estúdio Toei Animation
Exibição original 6 de março de 1993 – 12 de março de 1994
Emissoras de TV TV Asahi
Nº de episódios 43
Anime
Pretty Soldier Sailor Moon S[3] [4]
Direção Kunihiko Ikuhara
Estúdio Toei Animation
Exibição original 19 de março de 1994 – 25 de fevereiro de 1995
Emissoras de TV TV Asahi
Nº de episódios 38
Anime
Pretty Soldier Sailor Moon SuperS[5] [6]
Direção Kunihiko Ikuhara
Estúdio Toei Animation
Exibição original 4 de março de 1995 – 2 de março de 1996
Emissoras de TV TV Asahi
Nº de episódios 39
Anime
Pretty Soldier Sailor Moon: Sailor Stars[7] [8]
Direção Takuya Igarashi
Estúdio Toei Animation
Exibição original 9 de março de 1996 – 8 de fevereiro de 1997
Emissoras de TV TV Asahi
Nº de episódios 34
Anime
Pretty Guardian Sailor Moon Crystal
Direção Munehisa Sakai
Estúdio Toei Animation
Exibição original 5 de julho de 2014 – presente
Nº de episódios 26
Filmes

Projeto Animangá  · Portal Animangá

Sailor Moon, conhecido no Japão como Pretty Soldier Sailormoon[9] [10] [11] ou Bishōjo Senshi Sērā Mūn[12] (美少女戦士セーラームーン, lit. "Graciosa Guerreira Marinheira da Lua" ou "Linda Guerreira Sailor Moon"?), é uma série de mangá escrita e ilustrada por Naoko Takeuchi. Fred Patten credita a série pela popularização do termo magical girl,[13] [14] enquanto Paul Gravett fala que a série revitalizou esse gênero.[15] Sailor Moon redefiniu o termo, pois apresenta garotas normais, que se transformam e ganham poderes mágicos para combater o mal. Mais tarde, isso se tornou um dos padrões principais do gênero magical girl.[16]

A história gira em torno de defensores renascidos de um reino que está ameaçado pelas forças do mal. As personagens principais –as Sailor Senshi– são adolescentes que podem se transformar em heroínas chamadas por Moon ou planetas. O uso de "Sailor" se dá por conta do popular uniforme escolar das garotas do Japão, o sērā fuku (roupa de marinheiro), no qual Takeuchi os modelou para serem o uniforme das Sailor Senshi.[17] Os elementos de fantasia da série são fortemente simbólicos e, muitas vezes, baseados na mitologia.[18]

Antes de escrever Sailor Moon, Takeuchi tinha escrito Codename: Sailor V, que focava apenas uma Sailor Senshi. Então, ela teve a ideia de criar uma série sobre garotas de outro espaço e seu diretor sugeriu que elas vestissem sailor fuku.[17] Quando Sailor V foi proposto para ser adaptado em um anime pela Toei, o conceito da série foi mudado por Takeuchi: Sailor V se tornou apenas uma membro de uma equipe.[19] [20] O resultado da série de mangá foi uma mistura do gênero magical girl e de Super Sentai, o qual Takeuchi admirava,[21] fazendo Sailor Moon ser a primeira série a combinar os dois.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Sailor Moon conta a história de Usagi Tsukino, uma garota normal e inocente de 14 anos –pelo menos, é isso que ela pensa– que um dia encontra Luna, uma gata falante que revela a indentidade de Usagi como "Sailor Moon", uma guerreira mágica destinada a salvar a terra das forças do mal. Luna, então, dá a ela tarefas, como a de encontrar a Princesa da Lua e a de proteger a terra de diversos antagonistas, começando com o Reino das Trevas, que há um tempo destruiu o Reino da Lua. Antes da série começar, o inimigo atacou o Reino da Lua, o que obrigou a Rainha a mandar a Princesa da Lua, suas guardiãs, seus assessores e seu verdadeiro amor para o futuro para renascerem. Junto com suas guardiãs—a inteligente Sailor Mercúrio, a vidente Sailor Marte, a moleca Sailor Júpiter e a alegre Sailor Vênus—a Princesa da Lua lutra contra o mal e, com o tempo, encontra-se com o Tuxedo Mask, o seu verdadeiro amor.

Ao decorrer da série, Usagi e suas amigas aprendem mais sobre seus poderes e das forças do mal que enfrentam. O passado dos personagens é um algo misterioso até mesmo para eles e grande parte da série inicial é dedicada a redescobrir suas verdadeiras identidades e origens. Luna, que orienta e aconselha as Sailor Senshi, não sabe tudo sobre suas histórias. Eventualmente, as Senshi descobrem que Usagi é a verdadeira Princesa da Lua e que sua a mãe a renasceu como um Sailor Senshi para protegê-la. Assim, Usagi descobre a verdade sobre seu passado, seu destinado amor verdadeiro e as possibilidades do futuro do Sistema Solar.

Mais tarde, os protagonistas se encontram com a Chibiusa, a filha de Sailor e Tuxedo Mask, além de outras quatro Sailor Senshi—a poderosa Sailor Urano, a elegante Sailor Netuno, a distante Sailor Plutão e a solitária Sailor Saturno. Depois do Reino das Trevas, as Senshi lutam contra outros vilões, incluindo o Black Moon Clan, o Death Busters, o Dead Moon Circus e o Shadow Galactica.

Produção[editar | editar código-fonte]

Antes do mangá de Sailor Moon, Takeuchi publicou Codename: Sailor V, que era focado na Sailor Vênus. Ela teve a ideia após querer criar uma série fofa sobre garotas de outro espaço e sua editora lhe pediu para colocá-las em trajes de sailor fuku.[17] Quando Sailor V foi proposto a ser adaptado para um anime, o conceito foi modificado e Sailor V virou apenas uma membro de uma equipe.[22] [23] A série de mangá resultante virou uma fusão do popular gênero mahō shōjo e da série Super Sentai, a qual Takeuchi era fã.[21] A série inclui astronomia,[17] astrologia, mitologia grega,[18] mitologia romana, geologia, quatro elementos,[24] adolescentes fashions[18] [25] e estudantes engraçadas.[25]

Inicialmente, Takeuchi e seus editores tinham previsto apenas um arco da história,[26] sendo assim, o enredo seria desenvolvido um ano antes da publicação.[27] Porém, ao concluirem isso, eles pediram a Takeuchi para continuar a série. Ela, então, lançou mais quatro arcos da história,[26] muitas vezes publicados simultaneamente com outras cinco séries de animes correspondentes. A série em anime poderia atrasar o mangá por um mês ou dois.[27] Como resultado disso, "o anime segue o enredo do mangá bem de perto".[28] Takeuchi afirmou que, devido a equipe de produção do anime ser composta em grande parte por homens, ela sente que o anime tem "uma leve perspectiva masculina".[28]

A intenção de Takeuchi era que todos os personagens principais da série morerressem no final, mas seu editor não a deixou fazer isso, dizendo: "Isto é um mangá shōjo!". Quando a adaptação em anime foi criada, todos os protagonistas de fato morerram, embora eles revivessem mais tarde, e, dessa forma, Takeuchi perdeu um pouco de rancor que ela tinha por não ter sido autorizada a fazer isso na sua versão.[29]

Mídia[editar | editar código-fonte]

Mangá[editar | editar código-fonte]

Escrito e ilustrado por Naoko Takeuchi, Sailor Moon contém 52 capítulos, conhecidos como Atos, e dez histórias paralelas. Foi lançada como uma série na revista mensal de mangá Nakayoshi da Kodansha entre fevereiro de 1992 e março de 1997;[30] as histórias paralelas apareceram simultanamente em outra revista de mangá da mesma editora, na chamada RunRun.[30] Kodansha publicou todos os capítulos e as histórias paralelas em forma de livro. A primeira edição de colecionador do mangá foi publicada entre 1992 e 1997[31] [32] e consiste em 18 volumes com todos os capítulos e histórias paralelas em ordem de lançamento. Até o final de 1995, os treze volumes de Sailor Moon tinham vendido um milhão de cópias cada e o Japão exportou o mangá para mais de 23 países, incluindo China, México, Austrália, a maior parte da Europa e América do Norte.[33]

A segunda edição de colecionador, chamada de shinsōban ou edição "renovação", começou em 2003, durante a exibição da série live-action.[34] O mangá foi renomeado para Pretty Guardian Sailor Moon e contou com uma nova arte de capa.[35] Os diálogos e ilustrações foram revisados, e os esboços dos novos personagens foram incluídos (entre eles, os personagens exclusivos da série live-action).[carece de fontes?] A série contou com 12 volumes principais e dois volumes de contos separados.[36] [37]

A terceira edição de colecionador, chamada de kanzenban ou edição "completa", começou em novembro de 2013, para comemorar o 20º aniversário do mangá, sendo planejado lançar dois volumes por mês. A obra de arte interior foi remasterizada digitalmente, enquanto foram criadas novas obras de artes para a capa e todas as páginas coloridas impressas na serialização original foram incluídas nessa edição. Os livros foram ampliados do tamanho típico do mangá japonês para A5.[38] [39] Na terceira edição, os contos serão republicados em dois volumes, com a ordem das histórias reformuladas, e Codename: Sailor V também estará incluído.[39]

Anime[editar | editar código-fonte]

Pretty Soldier Sailor Moon[editar | editar código-fonte]

Um anime baseado no mangá foi produzido pela Toei Animation. A série, também intitulada Pretty Soldier Sailor Moon,[40] [41] foi ao ar no Japão entre 7 de março de 1992 e 8 de fevereiro de 1997. A série possui 200 episódios e é uma das mais longas histórias de anime do gênero magical girl.[carece de fontes?] Sailor Moon desencadeou uma campanha de merchandising altamente bem sucedida de mais de 5.000 itens,[18] distribuídos em todo mundo e traduzido para vários idiomas. Sailor Moon se tornou uma das mais famosas propriedades de anime do mundo.[42] [43] Devido ao ressurgimento de sua populariedade no Japão, a série foi retransmitida em 1 de setembro de 2009. A retransmissão da série também ocorreu no outono de 2010 na Itália, a qual foi autorizada por Naoko Takeuchi, que até mesmo fez uma nova arte para o retorno.[44]

Sailor Moon é composto por cinco arcos separados. Os títulos da série são Sailor Moon, Sailor Moon R, Sailor Moon S, Sailor Moon SuperS e Sailor Moon Sailor Stars. Cada série correspondendo a aproxidamente um dos cinco grandes arcos da história do mangá, seguindo o mesmo enredo geral e incluindo grande parte dos mesmos personagens.[27] Foram criados cinco curtas de animação, além de 3 filmes lançados nos cinemas: Sailor Moon R: The Movie, Sailor Moon S: The Movie e Sailor Moon SuperS: The Movie.[45] [46] [47]

O anime foi dirigido por Junichi Satō, Kunihiko Ikuhara e Takuya Igarashi. O design dos personagens foi feito por Kazuko Tadano, Ikuko Itoh e Katsumi Tamegai, que também eram diretores de animação. Além deles, Masahiro Andō, Hisashi Kagawa e Hideyuki Motohashi também estavam inclusos na equipe de diretores de animação.[48]

Pretty Guardian Sailor Moon Crystal[editar | editar código-fonte]

Em 6 de julho de 2012, no evento de celebração do 20º aniversário de Sailor Moon, Naoko Takeuchi, Kodansha e o grupo Momoiro Clover Z anunciaram que uma nova adaptação em anime estava sendo produzida e estava programada para começar a ser transmitida no verão de 2013, em um lançamento mundial simultâneo,[49] [50] com a banda tocando a abertura e o encerramento da série ao vivo.[51] No entanto, em abril de 2013, foi anunciado que o lançamento do novo anime tinha sido adiado.[52]

Mais tarde, em 4 de agosto de 2013, foi anunciado que o novo anime seria transmitido no inverno.[51] Em 9 de janeiro de 2014, foi anunciado que o novo anime iria estrear em julho.[53] Em 13 de março de 2014, o site oficial da série foi atualizado com uma contagem regressiva (iniciada em 14 de março) a respeito de um anúncio especial que seria revelado em 21 de março de 2014.[54] No mesmo dia, uma imagem mostrando a nova arte visual, a sinopse e o elenco do novo anime foi divulgado no site da Toei, revelando o nome para o anime, Pretty Guardian Sailor Moon Crystal (美少女戦士セーラームーンCrystal, Bishōjo Senshi Sērāmūn Kurisutaru?). A série é animada pela Toei Animation e dirigida por Munehisa Sakai.[55] No 20º Aniversário do Projeto Special Stage em 27 de abril de 2014, foi anunciado que o anime iria estrear em 5 de julho de 2014, com episódios inéditos no primeiro e terceiro sábado do mês.[56]

Enquanto Kotono Mitsuishi reprisa seu papel como Usagi Tsukino, um novo elenco de atrizes de voz foram escolhidas para as quatro Sailor Senshi. A dubladora da Ami Mizuno é Hisako Kanemoto, Rei Hino é dublada por Rina Sato, Makoto Kino por Ami Koshimizu e Minako Aino é dublada por Shizuka Ito.[57] Em 30 de abril, foi revelado que o novo anime terá 26 episódios.[58] O primeiro trailer foi divulgado no dia 5 de junho de 2014, revelando que Ryō Hirohashi dublaria a gata Luna e Kenji Nojima, Tuxedo Mask.[59]

Art books[editar | editar código-fonte]

Foram lançados art books especiais pela Kodansha para cada um dos cinco arcos da história, sendo chamados de Original Picture Collection. Os books contém uma arte da capa, material promocional e um outro trabalho feito por Takeuchi. Diversos desenhos contém comentários da autora, entre eles sobre a forma de que ela desenvolveu suas ideias, como ela criou cada imagem, se ela gosta daquele desenho, além de inserir sua opinião sobre a adaptação em anime de sua história.[60] [61] [62] [63]

Outra picture collection, intitulada Volume Infinity, foi lançada em uma edição limitada após o fim da série em 1997. Este artbook inclui desenhos de Takeuchi, além dos de seus amigos, sua equipe e dos dubladores que trabalharam no anime. Em 1999, foi publicado o Materials Collection pela Kodansha; ele contém esboços e notas de desenvolvimento de quase todos os personagens do mangá, bem como de alguns personagens que nunca apareceram. Cada desenho é rodeado de notas escritas por Takeuchi sobre as peças de roupas e a mentalidade de seus personagem, além de seus sentimentos particulares sobre eles. Ele também inclui os prazos para serem feitos os arcos da história e para o lançamento dos produtos e materiais relacionados ao anime e mangá. No final, está a curta Parallel Sailor Moon, que é uma homenagem ao ano do coelho.[64]

Musicais[editar | editar código-fonte]

Os musicais, geralmente referidos como SeraMyu, foram uma série de produções teatrais compostas por 800 perfomances, em cerca de 29 teatros, entre 1993 e 2005. A história apresentada no show é inspirada no anime, assim como uma grande do material original. A música da série foi lançada em cerca de 20 álbuns "memoriais".[65] A populariedade dos musicais foi citada como uma das razões da produção da série live-action Pretty Guardian Sailor Moon.[66]

O musical ocorria duas vezes por ano, no inverno e no verão. No verão, os musicais eram apresentados apenas no Teatro Sunshine na área de Ikebukuro em Tóquio; no entanto, no inverno, eles saíam em turnê e se apresentavam em outras cidades do Japão, incluindo Osaka, Fukuoka,[67] Nagoya, Shizuoka, Kanazawa, Sendai,[68] Saga, Oita, Yamagata e Fukushima.[69]

O susposto final da série, The New Legend of Kaguya Island (Revised Edition) (新・かぐや島伝説 <改訂版>, Shin Kaguyashima Densetsu (Kaiteban)?), foi apresentada em janeiro de 2005. Depois desse show, a Bandai oficialmente colocou o espetáculo em hiatus.[70]

Em 1 de junho de 2013, foi anunciado o retorno dos musicais de Sailor Moon em setembro do mesmo ano.[71] Em 3 de julho de 2013, foi revelado que o novo espetáculo se chamaria La Reconquista e que aconteceria entre os dias 13 e 23 de setembro no Teatro AiiA de Tóquio. O elenco também foi divulgado nesse dia. O musical foi escrito e digirido por Hiramitsu Takuya, e contou com as músicas de Toshihiko Sahashi.

Um novo musical, intitulado Petite Étrangère, será apresentado entre 21 a 31 de agosto de 2014 em Tóquio e de 5 a 7 de setembro em Osaka.[72] Os ingressos começaram a ser vendidos em 3 de junho,[73] revelando o novo elenco e que Hiramitsu Takuya novamente é responsável pelo roteiro e direção, e Toshihiko Sahashi pelas músicas.[74] [75] Um comercial do espetáculo começou a ser divulgado a partir de 5 de julho.[76]

Figuras trocáveis[editar | editar código-fonte]

No começo de 2014, a Megahouse lançou figuras trocáveis de Sailor Moon, consistindo em doze estatuetas, duas para cada Senshi e duas para Tuxedo Mask.[77]

Série live-action[editar | editar código-fonte]

Foi exibida uma versão tokusatsu de Sailor Moon pela Tokyo Broadcasting System e Chubu-Nippon Broadcasting entre 4 de outubro de 2003 e 25 de setembro de 2004. A série, intitulada Pretty Guardian Sailor Moon (abreviada para "PGSM"), usou um título inteiramente em inglês pela primeira vez na franquia Sailor Moon. Ela é composta por 49 episódios.[78] [79]

O enredo da série é mais próximo ao do mangá do que ao do anime no começo, mas, ao decorrer dos episódios, a história é bastante diferente dos dois, com personagens originais e novidades ao decorrer do trama.[66] [80]

Além dos episódios principais, foram lançados dois diretamente em vídeo depois do fim da série. O primeiro, intiulado "Special Act", mostra o que acontece quatro anos depois do fim da história principal; enquanto o segundo, "Act Zero", mostra as origens de Sailor V e Tuxedo Mask.[81]

Jogos[editar | editar código-fonte]

Mais de 20 jogos de Sailor Moon para console e arcade foram lançados no Japão, todos baseados no anime. A Bandai e e uma companhia japonesa chamada Angel foram responsáveis pela maioria deles, sendo alguns produzidos pela Banpresto. Os primeiros lançamentos foram jogos em estilo beat 'em up, enquanto que os posteriores foram jogos de quebra-cabeça e jogos de luta. Another Story foi baseado no RPG eletrônico.[82]

O único jogo de Sailor Moon produzido fora do Japão, VR New Media's The 3D Adventures of Sailor Moon, foi lançado na América do Norte em 1997.[83]

Um jogo foi lançado na primavera de 2011 para Nintendo DS, chamado Sailor Moon: La Luna Splende.[84]

Adaptações ocidentais[editar | editar código-fonte]

As adaptações ocidentais fizeram com que a série Sailor Moon se tornasse o primeiro anime shōjo de maior sucesso na América.[85] A adaptação para o inglês de Sailor Moon foi produzida como uma tentativa de capitalizar o sucesso da série Power Rangers.[25] [86] Depois de uma guerra de ofertas feitas pela empresa Toon Makers,[87] a DIC Entertainment —que pertencia a The Walt Disney Company na época[88] — adquiriu os direitos para as duas primeiras temporadas da franquia de Sailor Moon,[89] em que foram cortados seis episódios (cinco da primeira temporada e um da segunda temporada), além dos dois últimos episódios da primeira temporada serem transformados em um especial.[carece de fontes?] Os cortes foram feitos para colocarem mais intervalos comerciais, para censurarem cenas inadequadas para o público infantil e, também, para inserir segmentos "educacionais" chamados de "Sailor Says" ao final de cada episódio.[carece de fontes?] A segunda temporada, chamada de Sailor Moon R no Japão, foi adaptada apenas como Sailor Moon, tendo o "R" removido do logo.

As adaptações americanas para Sailor Moon S e Sailor Moon Super S foram produzidas pela Optimum Productions e Cloverway, ficando bem próximas a versão original, uma vez que os episódios não foram pulados nem fundidos. No entanto, algumas mudaças foram feitas, como ao apresentar Sailor Urano e Sailor Netuno como primas.[90]

A Toei nunca licenciou a quinta e última temporada, Sailor Stars, para uma versão americana. Porém, no Brasil, ela foi exibida pelo Cartoon Network em 2002. A série Sailor Moon foi oficialmente tirada do ar de todos os países de língua inglesa em 2004, devido a licenças não renovadas.[91]

A editora Mixx (mais tarde, Tokyopop) traduziu o mangá de Sailor Moon para o inglês em 1997. Ele inicialmente foi lançado como uma série na MixxZine, só que, depois, foi retirado da revista e transformado em uma história em quadrinhos mensal para terminar o primeiro dos três arcos da história. Ao mesmo tempo, o quarto e quinto atos começaram a serem impressos em uma revista secundária chamada Smile.[92] A série, mais tarde, foi impressa em três partes —Sailor Moon, Sailor Moon SuperS e Sailor Moon: StarS— sendo composta por 18 volumes, lançados entre 1 de dezembro de 1998 e 18 de setembro de 2001.[93] [94] A tradução da Tokyopop foi oficialmente cancelada em 2 de maio de 2005, pois a licença expirou,[95] sendo mais tarde adquirida pela Kodansha Comics USA em associação com a Random House. A Kodansha Comics USA publicou a série principal em doze volumes simultâneos, entre setembro de 2011 e julho de 2013;[96] [97] [98] a série Codename: Sailor V foi publicada em dois volumes, o primeiro lançado em 10 de dezembro de 2013[99] e o segundo, em 26 de novembro.[100]

Em 2014, a Viz Media adquiriu o direito de todas as cinco temporadas do anime clássico, além dos filmes e especiais.[101] Com uma nova dublagem, a série será transmitida online pelos sites Hulu e Neon Alley a partir de 19 de maio e também será lançada em Blu-ray.[102] [103]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Anime[editar | editar código-fonte]

Em 1996, devido ao grande sucesso de Os Cavaleiros do Zodíaco, a Rede Manchete adquiriu os direitos das primeiras temporadas de três séries animadas japonesas, Shurato, Samurai Warriors e Sailor Moon,[104] [105] a partir da distribuidora Alien International.[106] Em 29 de Abril, a animação estreou na rede carioca de televisão[nota 1] com dublagem feita nos estúdios da Gota Mágica, que já havia trabalhado com a Rede Manchete.[107] A dublagem, que foi feita em cima da versão da América Latina, dirigida por Gilberto Baroli, se tornou bastante aclamada pelos fãs.[108] Sailor Moon começou a gerar muitas reprises e os fãs questionaram a Rede Manchete sobre a exibição de Sailor Moon R, que se mostrou interessada na próxima fase do anime, devido aos bons índices de audiência que a série havia gerado. No entanto, a linha de brinquedos importada pela Samtoy no Brasil[109] acabou não vendendo como esperado.[105] A Alien International tentou vender mais 80 episódios de Sailor Moon para a Rede Manchete, referentes as duas próximas fases do anime, algo que acabou não acontecendo.[110] A Manchete exibiu a animação até o final de 1996, quando recebeu reclamações de fãs sobre cortes que havia feito para diminuir a exibição do anime.[111]

Em 2000, a Cloverway Inc. trouxe Sailor Moon R para o Brasil, vendendo a segunda temporada do anime para o Cartoon Network, que escolheu a BKS para trabalhar com a dublagem dos novos episódios de Sailor Moon.[105] Todo o elenco original escalado pela Gota Mágica foi substituído, devido ao fato de que o distribuidor pediu um novo trabalho para a segunda temporada, ignorando a dublagem antiga.[112] Isso gerou uma grande revolta dos fãs, que rejeitaram a "nova dublagem" do anime. No entanto, Sailor Moon ainda conseguiu 7 pontos de audiência durante seus primeiros meses.[113] [114] No ano de 2001, as fases Sailor Moon S e Sailor Moon SuperS também foram exibidas normalmente, no horário das 16h00 pelo canal pago.[115] [116] Em 7 de março de 2002, o Cartoon Network estreou Sailor Moon Sailor Stars, a última temporada do anime.[117] A extinta empresa de licenciamento Dá Licença começou a fazer negociações envolvendo Sailor Moon na TV aberta, na tentativa de lançar produtos para o anime.[118] O contrato foi fechado com a Rede Record, que adquiriu Sailor Moon R. No dia 3 de setembro de 2001, o anime estreia no programa Eliana & Alegria [119] e Eliana gravou uma música para cantar durante os blocos. Embora houvesse uma boa audiência e diversos contratos publicitários fechados, a emissora paulista decidiu retirar a segunda temporada de Sailor Moon pouco menos de um mês de exibição, sem motivos justificados.[120] O anime continuou sendo exibido no programa Desenho Mania aos sábados e domingos, até que o contrato com a Dá Licença acabou.[121]

Em 2011, o anime voltou a ser licenciado no Brasil e os fãs criaram uma campanha para a redublagem completa do anime, pois as fitas das dublagens originais haviam sido danificadas com o tempo. Em uma enquete, os fãs escolheram suas vozes favoritas para os personagens, a partir das duas dublagens de Sailor Moon, e o resultado foi entregue a Toei Animation.[122] No entanto, Naoko Takeuchi proibiu a redublagem do anime, por questões culturais.[123]

Mangá[editar | editar código-fonte]

A Editora JBC lançou no dia 31 de março de 2014 (em lojas especializadas) e no dia 3 de abril de 2014 (nas bancas)[124] a primeira edição do mangá de Sailor Moon, depois de 20 anos da publicação do mangá no Japão.[125] [126] O evento de lançamento do mangá ocorreu em 29 de março, em São Paulo, na livraria Saraiva do Shopping Center Norte, em um grande evento que reuniu diversos fãs.[127] [128]

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Anime[editar | editar código-fonte]

Portugal foi um dos primeiros países a transmitir o anime Sailor Moon, que foi chamado de Navegante da Lua no país. A exibição começou em 1997, no canal SIC, durante o programa matinal infantil Buéréré. Devido ao enorme sucesso, a série começou a ser transmitida na TVI em 2000, no programa infantil Batatoon. Dois anos seguintes, passa a ser transmitida no Canal Panda, porém apenas as temporadas S, SuperS e Stars. Apenas em 2011 o canal passou a transmitir todas as temporadas.[129] [130] [131] [132]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Inúmeras pessoas escreveram e compuseram para Sailor Moon, até mesmo Naoko Takeuchi, a criadora da série. Takanori Arisawa, que ganhou o "Golden Disk Grand Prize" da Columbia Records por seu trabalho na trilha sonora da primeira temporada em 1993, compôs e arranjou as partituras de fundo da série, incluindo os spinoffs, jogos e filmes. Em 1998, 2000 e 2001, ele ganhou o JASRAC International Award, por ter a maioria dos direitos autorais internacionais, devido, principalmente, a grande popularidade da música de Sailor Moon em outras nações.[133]

O tema de abertura da série é "Moonlight Densetsu" (ムーンライト伝説, Mūnraito Densetsu?, lit. "Lenda da Luz da Lua"), composto por Tetsuya Komoro e escrito por Kanako Oda. Foi uma das músicas mais populares da série. "Moonlight Densetsu" é cantada por DALI e é usada como abertura das duas primeiras temporadas do anime.[134] [135] Mais tarde, foi cantada por Moon Lips para a terceira e quarta temporada.[136] [137] A última temporada, Sailor Stars, passou a utilizar "Sailor Star Song" como o tema de abertura, o qual foi escrito por Shōki Araki e composto por Naoko Takeuchi. Ele é cantado por Kae Hanazawa.[138] "Moonlight Densetsu" fez sua apariação final como música de encerramento no último episódio da série.[48]

A dublagem em inglês utilizou a melodia de "Moonlight Densetsu", porém com a letra bastante diferente. Na época, era incomum músicas de anime serem traduzidas e esse foi um dos primeiros temas reescritos em inglês, desde Star Blazers.[139] O tema em inglês foi descrito como "vazio, mas cativante".[140] O tema em japonês é uma canção de amor baseada na relação entre Usagi e Mamoru; o primeiro verso, traduzido para o português, é:[141]

Me desculpe por não ser sincera
Nos meus sonhos, eu posso dizer
Meus pensamentos estão para entrar em curto-circuito
Quero vê-lo agora mesmo

A adaptação em inglês transmite que a música é um hino de super-herói. A tradução do seu primeiro verso é:[142]

Combate o mal na luz da lua
Ganha o amor à luz do dia
Nunca foge de uma luta
Ela é Sailor Moon

Moonlight Densetsu foi lançado como um CD single em março de 1992 e foi um "hit explosivo".[143] "Moonlight Densetsu" ganhou o primeiro lugar na categoria Música no 15º e 16º Anime Grand Prix da Animage.[144] [145] No 17º Grand Prix, a música ficou na sétima colocação, enquanto "Moon Revenge", de Sailor Moon R: The Movie, ficou na oitava.[146] "Rashiku Ikimasho", o segundo encerramento de SuperS, ficou como 18º colocado em 1996.[147] Em 1997, "Sailor Star Song", a nova abertura de Sailor Stars, ficou na posição 11ª e "Moonlight Densetsu", na 16ª.[148]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O mangá ganhou o Prêmio de Mangá Kōdansha em 1993 na categoria shōjo.[149]

Originalmente, foi planejado que o anime Sailor Moon ficasse no ar durante seis meses. Porém, devido a sua popularidade, continuou a ser exibido e só teve seu fim após cinco anos.[150] No Japão, ele ia ao ar todo sábado à noite, em horário nobre,[18] [151] conseguindo uma audiência em torno de 11-12%.[18] [152] Os comentaristas detectaram que a adaptação em anime de Sailor Moon possuia "um tom mais shōnen", atingindo um público mais amplo do que no mangá, que é mais voltado para garotas adolescentes.[153] A franquia da série se tornou uma das mais sucedidas que o Japão já teve, chegando a US$ 1,5 bilhão nos três primeiros anos. Dez anos após o fim da série, Sailor Moon continuou entre os trinta melhores animes no TOP 100 da TV Asahi, em 2005 e 2006.[42] [43] O anime ganhou o Anime Grand Prix da Animage em 1993.[144] As vendas das bonecas de Sailor Moon ultrapassaram as da Licca-chan na década de 1990; Mattel atribuiu isso à mistura "ação-fashion" do enredo de Sailor Moon. Os acessórios da boneca incluiam itens de moda e as armas da Senshi.[25]

Sailor Moon também se tornou popular internacionalmente. A Espanha e França foram os primeiros países fora do Japão a exibirem o anime, começando a transmissão em dezembro de 1993.[45] Mais tarde, outros países exibiram a série, incluindo a Austrália, Coréia do Sul, Filipinas, Polónia, Itália, Peru, Brasil, Suécia e Hong Kong.[154] Em 2001, o mangá de Sailor Moon foi o mais vendido da Tokyopop.[155]

Os críticos elogiam o anime pelo seu retrato de amizades fortes,[156] além do grande número de personagens "muito diferentes" que têm dimensões e aspectos únicos ao decorrer da história[157] e a capacidade de alcançar um público amplo.[158] O escritor Nicolas Penedo atribui o sucesso de Sailor Moon pela fusão do gênero shōjo de magical girl com as lutas em equipe de Super Sentai.[153] De acordo com Martha Cornog e Timothy Perper, a série se tornou popular por causa da sua "ação intesamente mostrada através de cenas de lutas, resgastes" e pela sua "ênfase nos sentimentos e relacionamentos", incluindo o "romance sexy" entre Usagi e Mamoru.[159] O romance entre os dois é visto como se os amantes "se tornassem mais do que a soma de suas partes", prometendo ficar juntos para sempre.[160] Por outro lado, muitos consideram Sailor Moon bastante exagerado[80] e melodramático. A crítica aponta o uso de roteiro previsível, os monstros do dia,[161] além de segmentos de vídeos que são utilizados em outras produções.[162]

Drazen nota que Sailor Moon tem dois tipos de vilões: o mostro do dia e o que "reflete os sentimentos humanos". Embora isso seja comum nos animes e mangás, é "praticamente desconhecido no ocidente".[163] Apesar da série aparentar ter uma grande fã base ocidental, a versão dublada da série teve uma baixa audiência nos Estados Unidos, quando foi inicialmente transmitida em syndication, além das vendas de DVD terem sido baixas no Reino Unido.[164] Anne Allison atribui a falta de popularidade nos Estados Unidos devido, principalmente, ao pobre marketing (a série foi inicialmente transmitida em horários que não correspondiam ao público-alvo - sendo exibida nos dias de semana, às 9 da manhã e 2 da tarde). Os executivos apontam que isso ocorreu por falta de mercado.[25] Helen McCarthy e Jonathan Clements foram mais longe, chamando a dublagem de "indiferente" e sugeriram que Sailor Moon foi colocado no ar quando os interesses locais eram outros.[165]

No livro Manga: The Complete Guide de 2007, Jason Thompson deu ao mangá 3/4 estrelas. Ele gostou da mistura dos estilos shōnen e shōjo, afirmando que as cenas de combate pareciam fortemente influenciadas por Saint Seiya. Porém, embora tenha achado a série engraçada e interessante, comentou que a trama repetida prejudica a série, sendo que nem o aumento da qualidade da arte poderia compensar isso; mesmo assim, ele ainda firma que o mangá é um "entretenimento doce eficaz".[85]

Ao comparar o mangá ao anime, Sylvian Durand observa que a obra de arte do mangá é linda, mas que a narrativa é mais comprida e instável, enquanto o anime apresenta melhor o desenvolvimento dos personagens. Durand sentiu que a tragédia é maior no mangá, já que conta a história do Milênio de Prata com mais detalhes. Além disso, diz que o anime deixa por fora muitas informações, para ser mais fácil de ser compreendido. Porém, ela julga o anime mais "coerente", com um equilíbrio de comédia e trágedia melhor, enquanto o mangá é "mais trágico" e focado no romance de Usagi e Mamoru.[166]

Entre 11 de setembro e 17 de setembro de 2007, o primeiro volume do mangá de Sailor Moon foi a obra mais vendida de acordo com o The New York Times, enquanto o primeiro volume de Codename: Sailor V foi o segundo.[167] [168] A primeira tiragem do primeiro volume foi vendida após quatro semanas.[169]

Legado[editar | editar código-fonte]

O anime e o mangá são citados como responsáveis por revigorar o gênero magical girl ao adicionar heroínas dinâmicas e cenas de ação. Depois de seu sucesso, muitas séries do mesmo tema surgiram, como Guerreiras Mágicas de Rayearth, Wedding Peach, Nurse Angel Ririka SOS, Shoujo Kakumei Utena, Fushigi Yûgi, Pretty Cure e The Vision of Escaflowne.[170] [171] Sailor Moon foi chamada como "o maior avanço" de um anime até 1995, quando estreou na YTV[154] e foi "o auge do anime shōjo".[172] Matt Thorn notou que logo após Sailor Moon, o mangá shōjo se tornou destaque nas livrarias.[173] Ele credita esse fato como o o início de um movimento de garotas para ampliar o gênero de mangá shōjo.[85] [174] [175] Gilles Poitras define que uma "geração" de fãs de anime foi introduzida inicialmente pelo anime de Sailor Moon na década de 1990, notando que todos eram muito jovens e também na maior parte meninas.[171]

Fred Patten deu créditos a Takeuchi por popularizar o conceito de uma equipe Super Sentai dentro do gênero magical girl[13] [14] e Paul Gravett credita a série por "revitalizar" o gênero magical girl em si.[15] A série é creditada por trazer mudanças ao gênero de magical girl, fazendo com que a heroína tenha que usar seus poderes para lutar contra o mal e não simplesmente para se divertir, como as séries anteriores tinham feito.[16]

No Ocidente, as pessoas por vezes associam Sailor Moon aos movimentos feministas ou ao movimento "Girl Power",[174] principalmente em relação ao jeito "carismático e independente" das personagens, que foram "interpretadas na França como uma forma inequívoca da posição feminista".[153] Sailor Moon é considerada responsável por diversos atos feministas, devido a personalidade forte das Sailor Senshi e por elas terem uma função que é tradicionalmente masculina.[176] Embora as Sailor Senshi sejam fortes e lutadoras independentes que combatem o mal (o que geralmente é um estereótipo masculino), elas também são femininas, pois, através da transformação para Sailor Senshi, ou seja, de adolescentes para magical girls, é enfatizado suas jóias, maquiagem e roupas.[18] As mais notáveis características das Sailor Senshi (e na maioria das personagens femininas dos mangás) são as garotas com corpos magros, pernas extremamente longas e, em particular, os olhos redondos.[18] Os olhos são comumente conhecidos como a fonte primordial da emoção dos personagens — personagens sensíveis têm os olhos maiores do que os insensíveis.[176] Personagens masculinos geralmente têm olhos menores e não contêm um brilho como nos olhos das personagens femininas.[176] O papel estereotipado da mulher na cultura japonesa é de ser romântica e muito amorosa;[18] por tanto, a prevalência de qualidades femininas, como os grande olhos das personagens nos mangás, é claramente apresentada em Sailor Moon. Assim, Sailor Moon enfatiza um tipo de modelo feminista, combinando ações tradicionalmente masculinas com o afeto e sexualidade feminina, através das Sailor Senshi.[176] Por causa disso, seus personagens são descritos como "estereótipos maliciosos" e são apontados como menos feministas.[177]

Sailor Moon também é comparado a Power Rangers,[18] [156] Buffy the Vampire Slayer[178] [179] [180] e Sabrina, the Teenage Witch.[181]

James Welker acredita que o cenário futurista de Sailor Moon ajuda a tornar o lesbianismo "natural" e pacífico. Yukari Fujimoto observa que, embora existam algumas "cenas lésbicas" em Sailor Moon, o anime tornou-se um assunto popular para paródias de yuri. Ela atribui isso ao trabalho "alegre" do anime, embora ela observe que "a posição dos heterossexuais é fervorosamente garantida".[182]

Em países de língua inglesa, Sailor Moon desenvolveu um culto entre os fãs de anime e vários estudantes universitários do sexo masculino[18] e Drazen considera que a Internet foi um novo meio que os fãs utilizaram para se comunicarem e que isso desempenhou um papel importante na popularidade da série.[178] Os fãs podiam usar a Internet para conversarem sobre Sailor Moon, para organizarem campanhas para fazer com que o anime fosse transmitido novamente nos EUA e para compartilharem informações sobre episódios que não tinham ido ao ar ainda ou para escrever fanfic.[177] [183] Em 2004, um estudo sugeriu que havia 3.335.000 sites sobre Sailor Moon, em comparação com 491.000 para Mickey Mouse.[184] A revista NEO sugeriu que parte do fascínio por Sailor Moon era que os fãs se comunicam, via Internet, sobre as diferenças entre a dublagem do país e a versão original.[185] O grupo de fãs de Sailor Moon foram descritos em 1997 como sendo "pequenos e dispersos".[186] Em um estudo realizado nos Estados Unidos, as crianças prestavam bastante atenção nas cenas de luta em Sailor Moon. Porém, quando questionadas se o anime era violento, apenas duas diriam que sim, enquanto as outras dez diriam que os episódios eram "suaves" e "fofos".[187]

Ressurgimento internacional[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a Toei ofereceu os 200 episódios renovados de Sailor Moon na MIPTV.[188] No mesmo ano, Toei começou a licenciar os episódios de Sailor Moon para os países que não os tinham transmitido ainda, como Israel, que colocou a série no ar em janeiro de 2011. Na Polónia, em dezembro de 2011, Sailor Moon começou a ser exibido pela terceira vez.[189]

Em 2009, a Funimation Entertainment anunciou que estava pensando na possibilidade de redublar a série Sailor Moon e fez uma pesquisa para saber qual deveria seu próximo projeto. A redublagem de Sailor Moon foi incluída nele. Os resultados da pesquisa não foram divulgados ao público.[190]

Em 2011, a Kodansha USA anunciou que iria publicar o mangá de Sailor Moon em inglês, junto com a série Codename: Sailor V, ambos sendo lançados em 13 de setembro de 2011.[191] O mangá continuou a ser publicado a cada dois meses[192] [193] [194] tendo os volumes seguintes lançados em 15 de novembro de 2011.[192] [195] [196]

Em 2012, Takeuchi, Kodansha e Momoiro Clover Z anunciaram que um novo anime de Sailor Moon estava sendo produzido e que estava programa para estrear no verão de 2013, em um lançamento mundial simultâneio em comemoração do seu 20º aniversário.[49] No entanto, a estreia foi adiada e a nova série estreou em 5 de julho de 2014.[53] [197]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Programação da Rede Manchete publicada no jornal O Estado de São Paulo em 29 de abril de 1996.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. 美少女戦士セーラームーンR DVD‐COLLECTION Vol.1 Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  2. 美少女戦士セーラームーンR DVD‐COLLECTION Vol.2(完) Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  3. 美少女戦士セーラームーンS DVD‐COLLECTION Vol.1 Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  4. 美少女戦士セーラームーンS DVD‐COLLECTION Vol.2(完) Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  5. 美少女戦士セーラームーンSuperS DVD‐COLLECTION Vol.1 Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  6. 美少女戦士セーラームーンSuperS DVD‐COLLECTION Vol.2(完) Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  7. 美少女戦士セーラームーンセーラースターズ DVD‐COLLECTION Vol.1 Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  8. 美少女戦士セーラームーンセーラースターズ DVD‐COLLECTION Vol.2(完) Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  9. Takeuchi, Naoko. Pretty Soldier Sailor Moon Volume I Original Picture Collection. [S.l.]: Kodansha, Agosto de 1994. ISBN 4-06-324507-1.
  10. Bishoujo Senshi Sailor Moon SuperS: Piano Fantasia Sailormusic.net (21-09-1995). Visitado em 09-09-2013.
  11. TV Series Theme Song Collection [Memorial Song Box Disc 1] Sailormusic.net. Visitado em 09-09-2013.
  12. 美少女戦士セーラームーン 完全版 第3巻、第4巻が発売開始 (em japonês) sailormoon-official.com. Visitado em 10-01-2014.
  13. a b Atsukamashii Onna - Taking One for the Team: A Look at Sentai Shows (vol V/iss 11/November 2002) Sequential Tart. Visitado em 10-09-2013.
  14. a b Watching Anime, Reading Manga: 25 Years of Essays and Reviews by Fred Patten page 50
  15. a b Paul Gravett (2004) Manga: Sixty Years of Japanese Comics (Harper Design, ISBN 1-85669-391-0) pag. 78
  16. a b Ross, Christina. Sailor Moon THEM Anime Reviews 4.0. Visitado em 16-02-2007.
  17. a b c d Takeuchi, Naoko. Sailor Moon Shinsouban Volume 2. [S.l.]: Kodansha, Setembro de 2003. ISBN 4-06-334777-X.
  18. a b c d e f g h i j k Grigsby, Mary. Sailormoon: Manga (Comics) and Anime (Cartoon) Superheroine Meets Barbie: Global Entertainment Commodity Comes to the United States (PDF). Cópia arquivada em 17 de junho de 2012.
  19. Takeuchi, Naoko. Codename wa Sailor V Book 1. [S.l.]: Kodansha, 18 de dezembro de 1993. ISBN 4-06-322801-0.
  20. Takeuchi, Naoko. Codename wa Sailor V Shinsouban Book 1. [S.l.]: Kodansha, September 29, 2004. ISBN 4-06-334929-2.
  21. a b Public Interview with Takeuchi Naoko Ex.org. Visitado em 10-09-2013. Cópia arquivada em 2009-02-21.
  22. Takeuchi, Naoko. Codename wa Sailor V. [S.l.]: Kodansha, 18 de dezembro de 1993. vol. 1. ISBN 4-06-322801-0.
  23. Takeuchi, Naoko. Codename wa Sailor V Shinsouban Book 1. [S.l.]: Kodansha, 29 de setembro de 2004. ISBN 4-06-334929-2.
  24. Drazen, Patrick. Anime Explosion! The What? Why? & Wow! Of Japanese Animation. Berkeley, California: Stone Bridge Press, October 2002. p. 286. OCLC 50898281. ISBN 1-880656-72-8.
  25. a b c d e Allison, Anne. (2000). "A Challenge to Hollywood? Japanese Character Goods Hit the US". Japanese Studies 20 (1): 67–88. Routledge. DOI:10.1080/10371390050009075.
  26. a b Takeuchi, Naoko. Materials Collection. [S.l.]: Kodansha, Outubro de 1999. ISBN 4-06-324521-7.
  27. a b c Schodt, Frederik. Dreamland Japan: Writings on Modern Manga. Berkeley, CA: Stone Bridge Press, 1996. p. 93. ISBN 978-1-880656-23-5.
  28. a b Alverson, Brigid (27-05-2011). Sailor Moon 101: Pretty, Powerful, And Pure Of Heart MTV. Visitado em 27-12-2011.
  29. Takeuchi, Naoko. Bishōjo Senshi Sailormoon Shinsouban Volume 3. [S.l.]: Kodansha, 23 de outubro de 2003. ISBN 4-06-334783-4.
  30. a b Takeuchi, Naoko. Pretty Guardian Sailor Moon: Short Stories. New York: Kodansha Comics USA, 2013. 196–200 pp. vol. 2. ISBN 978-1-612-62010-7.
  31. 美少女戦士セーラームーン (1) (em japonês) Kodansha. Visitado em 23 de junho de 2009.
  32. 美少女戦士セーラームーン (18) (em japonês) Kodansha. Visitado em 23 de junho de 2009.
  33. Schodt, Frederik. Dreamland Japan: Writings on Modern Manga. Berkeley, CA: Stone Bridge Press, 1996. p. 95. ISBN 978-1-880656-23-5.
  34. 美少女戦士セーラームーン 新装版(1) (em japonês) Kodansha. Visitado em 23 de junho de 2009.
  35. 美少女戦士セーラームーン新装版(1):美少女戦士セーラームーン20周年プロジェクト公式サイト Sailormoon-official.com (16-11-2013). Visitado em 03-07-2014.
  36. 美少女戦士セーラームーン新装版 ショートストーリーズ(1) Kodansha Comics. Visitado em 6 de julho de 2014.
  37. 美少女戦士セーラームーン新装版 ショートストーリーズ(2) Kodansha Comics. Visitado em 6 de julho de 2014.
  38. Brad Stephenson (13-01-2012). 3rd Gen Japanese Sailor Moon Manga Shopping Guide moonkitty.net. Visitado em 09-12-2013.
  39. a b by Elly (10-10-2013). Sailor Moon Kanzenban + iPad Mini + Smart Phone Cases Miss Dream. Visitado em 09-12-2013.
  40. 美少女戦士セーラームーン DVD‐COLLECTION Vol.1 Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  41. 美少女戦士セーラームーン DVD‐COLLECTION Vol.2(完) Toei Video. Visitado em 6 de julho de 2014.
  42. a b TV Asahi Top 100 Anime Part 2 Anime News Network (2005-09-23). Visitado em 18-01-2007.
  43. a b Japan's Favorite TV Anime Anime News Network (13-10-2006). Visitado em 18-01-2007.
  44. 『美少女戦士セーラームーン』が9月に一挙放送! 月野うさぎ役・三石琴乃さんの合同記者会見レポート! ANIMAX. Visitado em 22-08-2009. Cópia arquivada em 2011-09-12.
  45. a b セーラームーンのあゆみ 1993年 (em japonês) Sailormoon. Channel. Visitado em 21-07-2009.[ligação inativa]
  46. セーラームーンのあゆみ 1994年 (em japonês) Sailormoon. Channel. Visitado em 2009-07-21. Cópia arquivada em 25-04-2009.
  47. セーラームーンのあゆみ 1995年 (em japonês) Sailormoon. Channel. Visitado em 21-07-2009. Cópia arquivada em 2011-03-13.
  48. a b Sailor Moon staff information Usagi.org. Visitado em 10-09-2013.
  49. a b Sailor Moon Manga Gets New Anime in Summer 2013 Anime News Network (6 de julho de 2012). Visitado em 7 de julho de 2012.
  50. Zahed, Ramin (6 de julho de 2012). New 'Sailor Moon' Reboot Arrives in 2013 Animation Magazine. Visitado em 9 de julho de 2012.
  51. a b New Sailor Moon Anime to Stream Worldwide This Winter Anime News Network (2013-08-04). Visitado em 11-09-2013.
  52. New Sailor Moon Anime Delayed - News Anime News Network (06-09-2013). Visitado em 10-09-2013.
  53. a b New Sailor Moon Anime by Toei to Premiere in July - News Anime News Network (09-01-2014). Visitado em 14-01-2014.
  54. Sailor Moon Website's Animation Page Opens a Countdown - News Anime News Network. Visitado em 14-03-2014.
  55. 2014's New Sailor Moon Crystal Anime's 1st Image, Story Intro Posted Online - News Anime News Network. Visitado em 14-03-2014.
  56. Kotono Mitsuishi Leads New Sailor Moon Crystal Anime Cast Anime News Network. Visitado em 28-04-2014.
  57. New Sailor Moon anime’s character artwork and voice cast revealed – Guess who’s back! RocketNews24. Visitado em 28-04-2014.
  58. Sailor Moon Crystal Anime Confirmed for 26 Episodes - News Anime News Network (30-04-2014). Visitado em 09-05-2014.
  59. Sailor Moon Crystal Gets a Trailer Paste Magazine (07-06-2014). Visitado em 08-06-2014.
  60. Takeuchi, Naoko. Pretty Soldier Sailor Moon Volume II Original Picture Collection. [S.l.]: Kodansha, Agosto de 1994. ISBN 4-06-324508-X.
  61. Takeuchi, Naoko. Pretty Soldier Sailor Moon Volume III Original Picture Collection. [S.l.]: Kodansha, Setembro de 1996. ISBN 4-06-324518-7.
  62. Takeuchi, Naoko. Pretty Soldier Sailor Moon Volume IV Original Picture Collection. [S.l.]: Kodansha, Setembro de 1996. ISBN ISBN 4-06-324519-5.
  63. Takeuchi, Naoko. Pretty Soldier Sailor Moon Volume V Original Picture Collection. [S.l.]: Kodansha, Agosto de 1997. ISBN 4-06-324522-5.
  64. Takeuchi, Naoko. Pretty Soldier Sailor Moon Materials Collection. [S.l.]: Kodansha, Setembro de 1999. ISBN 4-06-324521-7.
  65. セーラームーン ビデオ・DVDコーナー (em japonês) Sailormoon. Channel.. Visitado em 19-07-2009.[ligação inativa]
  66. a b Font, Dillon (Maio de 2004). Sailor Soldiers, Saban Style Animefringe. Visitado em 20-07-2009.
  67. これまでの公演の紹介 93サマースペシャルミュージカル 美少女戦士セーラームーン 外伝 ダーク・キングダム復活篇 (em japonês) Sailormoon. Channel. Visitado em 21-07-2009.[ligação inativa]
  68. これまでの公演の紹介 94サマースペシャルミュージカル美少女戦士セーラームーンSうさぎ・愛の戦士への道 (em japonês) Sailormoon. Channel. Visitado em 21-07-2009.[ligação inativa]
  69. 95スプリングスペシャルミュージカル 美少女戦士セーラームーンS 変身・スーパー戦士への道(改訂版) (em japonês) Sailormoon. Channel. Visitado em 21-07-2009.[ligação inativa]
  70. Lobão, David Denis (May 24, 2007). Musicais do OhaYO! – Parte 2 (em português) Universo Online. Visitado em 24-07-2009.
  71. Osabu Twitter (em japonês). Visitado em 02-06-2013.
  72. Informações do musical Petite Étrangère
  73. A tweet from the official Sailor Moon Twitter account that confirms the sale date (em japonês). Visitado em 10-07-2014.
  74. V Chibi Moon, Pluto, Prince Demande, More Cast For 2nd Sailor Moon Musical. Visitado em 10-07-2014.
  75. Elenco do espetáculo
  76. VIDEO: CM for "Pretty Guardian Sailor Moon -Petite Étrangère-" Musical - Crunchyroll. Visitado em 10-07-2014.
  77. Sailor Moon Chibi Trading Figures Scheduled for Early 2014 Crunchyroll (10-10-2013). Visitado em 15-10-2013.
  78. Sailormoon. Channel - History of Sailor Moon. Visitado em 10-03-2009. Cópia arquivada em 2007-08-06.
  79. Sailormoon. Channel - Sailor Moon Live Action TV Corner. Visitado em 10-03-2009. Cópia arquivada em 17-06-2007.
  80. a b Mays, Jonathon (6 de abril de 2004). Pretty Guardian Sailor Moon - Review Anime News Network. Visitado em 20-07-2009.
  81. 実写板DVD(TVシリーズ) (em japonês) Sailormoon. Channel. Visitado em 23-07-2009. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2009.
  82. http://www.gamefaqs.com/search/index.html?game=sailor+moon&platform=0
  83. The 3D Adventures of Sailor Moon for PC GameFAQs. Visitado em 10-09-2013.
  84. New Sailor Moon DS Game to Ship in Spring in Italy - Interest Anime News Network (16-09-2011). Visitado em 20-09-2011.
  85. a b c Thompson, Jason. Manga: The Complete Guide. New York: Ballantine Books & Del Rey Books, 2007. p. 309. ISBN 978-0-345-48590-8.
  86. http://news.google.com/newspapers?id=VHEVAAAAIBAJ&sjid=C-sDAAAAIBAJ&pg=6716,7966764&dq=sailor+moon+power+rangers
  87. Arnold, Adam "OMEGA" (Junho de 2001). Sailor Moon à la Saban: Debunked - An Interview with Rocky Solotoff (Q&A) Animefringe. Visitado em 22-06-2008.
  88. DIC Entertainment Corporate DiC Entertainment. Visitado em 2008-06-22. Cópia arquivada em 19-12-2007.
  89. http://news.google.com/newspapers?id=COcyAAAAIBAJ&sjid=vgcGAAAAIBAJ&pg=1971,3417888&dq=sailor+moon&hl=en
  90. Sebert, Paul. "Kissing cousins may bring controversy Cartoon Network juggles controversial topics contained in the "Sailor Moon S" series", The Daily Athenaeum Interactive, 2000-06-28. Página visitada em 21-02-2007.
  91. AnimeNation Anime News Blog » Blog Archive » Ask John: What’s the Current Status of Sailor Moon in America? Animenation.net (12-02-2005). Visitado em 10-09-2013.
  92. Mixx Controversies: Analysis Features Anime News Network (2008-08-14). Visitado em 24-01-2007.
  93. Sailor Moon Volume 1 Mixx Entertainment. Visitado em July 23, 2008. Cópia arquivada em November 7, 2004.
  94. Sailor Moon StarS Volume 3 Mixx Entertainment. Visitado em 23 de julho de 2008. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2004.
  95. Tokyopop Out of Print (2007-10-13). Visitado em 2009-09-10. Cópia arquivada em 13-10-2007.
  96. Sailor Moon 1 by Naoko Takeuchi - Book Random House (2011-09-13). Visitado em 2011-11-13.
  97. Sailor Moon 1 by Naoko Takeuchi - Book Random House. Visitado em 2013-09-11.
  98. Codename Sailor V 1 by Naoko Takeuchi - Book Random House. Visitado em 11-09-2013.
  99. Sailor Moon Short Stories 1 by Naoko Takeuchi - Book Random House. Visitado em 11-09-2013.
  100. Sailor Moon Short Stories 2 by Naoko Takeuchi - Book Random House. Visitado em 11-09-2013.
  101. http://www.viz.com/sailormoon
  102. Viz Licenses Original Sailor Moon Anime Franchise
  103. Hulu to Stream Anime Classic ‘Sailor Moon’
  104. Lembra do jogo da Sailor Moon no SNES? POP. Visitado em 23-04-2014.
  105. a b c Sailor Moon (Classic, R, S, Super S, Stars) JBox. Visitado em 23-04-2014.
  106. Confira as novidades deste ano Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  107. Sailor Moon chega ao Brasil depois de 12 anos Mundo Bla. Visitado em 23-04-2014.
  108. Gilberto Baroli - Vilão de Plantão Henshin!. Visitado em 23-04-2014.
  109. Cinco estudantes boas de briga Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  110. SBT e Manchete compram novos desenhos animados japoneses Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  111. CARTAS Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  112. Daniela Piquet - a nova Serena é a Sakura! Henshin!. Visitado em 23-04-2014.
  113. Anime News in Brazil Sakura. Visitado em 23-04-2014.
  114. Sailor Moon com força total! ohaYO!. Visitado em 23-04-2014.
  115. PROGRAMAÇÃO DE TV Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  116. PROGRAMAÇÃO DE TV Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  117. Última temporada de Sailor Moon estréia no Cartoon Network Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  118. TV brasileira se rende a desenho nipônico Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  119. Sailor Moon R estréia no Eliana e Alegria (em português) iG (28 de agosto de 2001). Visitado em 5 de janeiro de 2013.
  120. Entrevista: Luiz Angelotti JBox. Visitado em 23-04-2014.
  121. PROGRAMAÇÃO DE TV Folha de S. Paulo. Visitado em 23-04-2014.
  122. Fãs criam campanha para a redublagem de Sailor Moon InfoAnimation. Visitado em 23-04-2014.
  123. Sailor Moon S: Toei Animation proíbe redublagem da série ANMTV. Visitado em 23-04-2014.
  124. [1].
  125. Após mais de 20 anos, mangá de "Sailor Moon" ganha edição brasileira iG. Visitado em 23-04-2014.
  126. Sailor Moon finalmente chega ao Brasil!
  127. Lancamentos da JBC e festa de lançamento de Sailor Moon O POVO online. Visitado em 23-04-2014.
  128. Sailor Moon chega no final de março com evento em SP
  129. http://www.eusoudotempo.com/eu-sou-do-tempos-das-navegantes-da-lua/
  130. http://www.pekenada.com/navegantes-da-lua/boa-tarde-sic-22122010-video_ac89795f3.html
  131. http://www.cmjornal.xl.pt/tv_media/detalhe/e-pro-menino-e-pra-menina.html
  132. http://canalpanda.pt/series/navegantes-da-lua
  133. Takanori Arisawa Profile(E) Arizm.com. Visitado em 13-10-2008.
  134. / セーラームーン Toei-anim.co.jp. Visitado em 13-10-2008.
  135. / セーラームーン R Toei-anim.co.jp. Visitado em 13-10-2008.
  136. / セーラームーン S Toei-anim.co.jp. Visitado em 2008-10-13.
  137. / セーラームーン Supers Toei-anim.co.jp. Visitado em 13-10-2008.
  138. / 美少女戦士セーラームーン セーラースターズ Toei-anim.co.jp. Visitado em 13-10-2008.
  139. Ledoux, Trish; Ranney, Doug; Patten, Fred (e. d.). The Complete Anime Guide: Japanese Animation Video Directory & Resource Guide. [S.l.]: Tiger Mountain Press, 1996. p. 38. ISBN 978-0-9649542-3-6.
  140. Whoosh! In the News: Babes in toyland; Xena versus Sailor Moon Whoosh.org. Visitado em 27-10-2008.
  141. "Crybaby Usagi's Magnificent Transformation". Sailor Moon. Primeira temporada. Episódio 1. 7 de março de 1992. Toei. Asahi. Tradução presente no DVD lançado pela A.D. Vision.
  142. "A Moon Star is Born". Sailor Moon (dublagem em inglês). Primeira temporada. Episódio 1. 11 de setembro de 1995. DiC. YTV.
  143. セーラームーンのあゆみ 1992年 (em japonês) Sailormoon. Channel.or.jp. Visitado em 2009-07-21. channel.or. jp/ayumi/1992.html Cópia arquivada em 28-05-2009.
  144. a b 第15回アニメグランプリ [1993年5月号] (em japonês) Animage.jp. Visitado em 19-07-2009.
  145. 第16回アニメグランプリ [1994年5月号] (em japonês) Animage.jp. Visitado em 19-07-2009.
  146. 第17回アニメグランプリ [1995年5月号] (em japonês) Animage.jp. Visitado em 19-07-2009.
  147. 第18回アニメグランプリ [1996年5月号] (em japonês) Animage.jp. Visitado em 19-07-2009.
  148. 第19回アニメグランプリ [1997年6月号] (em japonês) Animage.jp. Visitado em 19-07-2009.
  149. Joel Hahn. Kodansha Manga Awards Comic Book Awards Almanac. Visitado em 21-08-2007. Cópia arquivada em 2007-10-21.
  150. Animazement Sailor Moon Voice Actors 2005 (May 2005). Visitado em 18-01-2007. Cópia arquivada em 22-10-2006.
  151. http://www.akadot.com/story.php?id=31[ligação inativa]
  152. Bishoujo Senshi Sailor Moon TV episode guide Usagi.org (22-12-1994). Visitado em 10-09-2013.
  153. a b c Penedo, Nicolas. In: Nicolas Finet. Dicomanga: le dictionnaire encyclopédique de la bande dessinée japonaise (em <código de língua não-reconhecido>). Paris: Fleurus, 2008. p. 464. ISBN 978-2-215-07931-6.
  154. a b Drazen, Patrick. Anime Explosion! The What? Why? & Wow! Of Japanese Animation. Berkeley, California: Stone Bridge Press, October 2002. 10–11 pp. OCLC 50898281. ISBN 1-880656-72-8.
  155. ICv2 News - Sailor Moon Graphic Novels Top Bookstore Sales - Demonstrates Shoujo's Potential ICv2 (14 de agosto de 2001). Visitado em 22-06-2008.
  156. a b Allison, Anne. In: Timothy J. Craig. Japan Pop!: Inside the World of Japanese Popular Culture. [S.l.]: M. E. Sharpe, Junho de 2000. 259–278 pp. ISBN 978-0-7656-0561-0.
  157. Allison, Anne; Gary Cross. Millennial Monsters: Japanese Toys and the Global Imagination. [S.l.]: University of California Press, 2006. 156–157 pp. ISBN 978-0-520-24565-5.
  158. Poitras, Gilles (2000-12-01) Anime Essentials: Every Thing a Fan Needs to Know Stone Bridge Press, ISBN 1-880656-53-1 p.44
  159. Cornog, Martha; and Perper, Timothy (March 2005) Non-Western Sexuality Comes to the U. S.: A Crash Course in Manga and Anime for Sexologists Contemporary Sexuality vol 39 issue 3 page 4
  160. Platonic Eros, Ottonian Numinous and Spiritual Longing in Otaku Culture (PDF). Visitado em 30-12-2011.
  161. Bertschy, Zac (08-10-2003). Sailor Moon DVD - Review Anime News Network. Visitado em 17-02-2007.
  162. Merrill, Dave (2006-01-17). Sailor Moon Super S TV Series Complete Collection Anime Jump. Visitado em 2007-02-17. Cópia arquivada em 10 de maio de 2006.
  163. Drazen, Patrick. Anime Explosion! The What? Why? & Wow! Of Japanese Animation. Berkeley, California: Stone Bridge Press, October 2002. p. 284. OCLC 50898281. ISBN 1-880656-72-8.
  164. Cox, Gemma. (Primavera de 2006). "Anime Archive: Sailor Moon - The Most Popular Unsuccessful Series Ever?". NEO (18). Uncooked Media.
  165. Clements, Jonathan; Helen McCarthy. The Anime Encyclopedia: A Guide to Japanese Animation Since 1917. 1ª. ed. Berkeley, California: Stone Bridge Press, 2001-09-01. p. 338. OCLC 47255331. ISBN 1-880656-64-7.
  166. Durand, Sylvain. (Março–Abril de 1996). "Sailor Moon: Manga vs Animation". Protoculture Addicts (39).
  167. Taylor, Ihsan. "Best Sellers - The New York Times", Nytimes.com. Página visitada em 10-09-2013.
  168. New York Times Manga Best Seller List, September 11–17 Anime News Network (23 de setembro de 2011). Visitado em 29 de setembro de 2011.
  169. Kodansha: Sailor Moon 1 Reprinted after 50,000 Sell Out - News Anime News Network (14-10-2011). Visitado em 13-11-2011.
  170. Thompson, Jason. Manga: The Complete Guide. [S.l.: s.n.]. p. 199.
  171. a b Poitras, Gilles (2000-12-01) Anime Essentials: Every Thing a Fan Needs to Know Stone Bridge Press, ISBN 1-880656-53-1 pp.31-32
  172. Sevakis, Justin (1 de janeiro de 1999). Anime and Teen Culture... Uh-oh. Anime News Network. Visitado em 19-07-2009.
  173. Alverson, Brigid (17 de fevereiro de 2009). Matt Thorn Returns to Translation Publishers Weekly PWxyz, LLC. Visitado em 27 de dezembro de 2011.
  174. a b Yang, Sandy. "Girl Power Make Up—The Beginning of Shōjo in the US", Akadot, Digital Manga, Inc., 25-10-2000. Página visitada em 23-06-2008.
  175. Deppey, Dirk (2005). "She's Got Her Own Thing Now". The Comics Journal (269).
  176. a b c d Newsom, Victoria. . "". “Young Females as Super Heroes: Superheroines in the Animated Sailor Moon. ” Femspec, No. 5.2 (2004): 57-81. Web. Retrieved 20 de outubro de 2011.
  177. a b The Toronto Star Archive Pqasb.pqarchiver.com (27-07-1996). Visitado em 10-09-2013.
  178. a b Drazen, Patrick. Anime Explosion! The What? Why? & Wow! Of Japanese Animation. Berkeley, California: Stone Bridge Press, October 2002. p. 281. OCLC 50898281. ISBN 1-880656-72-8.
  179. Animerica: Animerica Feature: Separated at Birth? Buffy vs. Sailor Moon Animerica (2004-04-07). Visitado em 2010-10-28. Cópia arquivada em 2004-04-07.
  180. Animerica: Animerica Feature: Separated at Birth? Buffy vs. Sailor Moon Animerica (2004-04-07). Visitado em 28-10-2010. Cópia arquivada em 07-07-2004.
  181. Yoshida, Kaori. (2002). "Evolution of Female Heroes: Carnival Mode of Gender Representation in Anime". Western Washington University.
  182. Welker, James (2006) "Drawing Out Lesbians: Blurred Representations of Lesbian Desire in Shōjo Manga" in Subhash Chandra e. d., Lesbian Voices: Canada and the World: Theory, Literature, Cinema New Delhi: Allied Publishers Pvt. Ltd ISBN 81-8424-075-9 p.177, 180.
  183. JON MATSUMOTO (19-06-1996). Fans Sending an SOS for 'Sailor' - Los Angeles Times Articles.latimes.com. Visitado em 10-09-2013.
  184. We're Playing Their Toons washingtonpost.com (06-12-2004). Visitado em 10-09-2013.
  185. Cox, Gemma. Neo Magazine - Article Neomag.co.uk. Visitado em 05-08-2009. Cópia arquivada em 2008-01-01.
  186. Updike, Edith (1997). The Novice Who Tamed The Web Business Week. Visitado em 19-07-2009.
  187. Allison, Anne (2001). "Cyborg Violence: Bursting Borders and Bodies with Queer Machines" (PDF). Cultural Anthropology 16 (2): 237–265. DOI:10.1525/can.2001.16.2.237.
  188. Toei Shopping 'Sailor Moon' Anime ICv2. Visitado em 28-10-2010.
  189. "Czarodziejka z Księżyca" powraca do polskiej telewizji.
  190. Worldwide 'Sailor Moon' Revival ICv2 (03-02-2010). Visitado em 28-02-2010.
  191. Kodansha USA Announces the Return of Sailor Moon Press release (18-03-2011). Visitado em 18-03-2011.
  192. a b Takeuchi, Naoko (09-09-2009). Sailor Moon, Vol. 2 (9781935429753): Naoko Takeuchi: Books Amazon.com. Visitado em 16-09-2011.
  193. Takeuchi, Naoko (09-09-2009). Sailor Moon, Vol. 3 (9781935429760): Naoko Takeuchi: Books Amazon.com. Visitado em 16-09-2011.
  194. Takeuchi, Naoko (09-09-2009). Sailor Moon, Vol. 4 (9781612620008): Naoko Takeuchi: Books Amazon.com. Visitado em 16-09-2011.
  195. Kodansha Comics USA | Release Dates Kodanshacomics.com. Visitado em 2011-09-16.
  196. Takeuchi, Naoko (09-09-2009). Codename: Sailor V, Vol. 2 (9781935429784): Naoko Takeuchi: Books Amazon.com. Visitado em 16-09-2011.
  197. Sailor Moon Crystal tem estreia mundial dia 05 de julho Zero Hora (30-06-2014). Visitado em 07-07-2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sailor Moon
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Sailor Moon