Sakya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde novembro de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Portal A Wikipédia possui o
Portal do Budismo

Sakya (em tibetano ས་སྐྱ་, Wylie Sa skya), "terra pálida") é uma das quatro linhagens do budismo tibetano, as outras sendo Nyingma, Kagyu e Gelug. A escola Sakya é uma das escolas do período da nova tradução, também conhecidas como escolas Sarma.

Origens[editar | editar código-fonte]

O nome Sakya deriva da peculiar paisagem cinza dos Montes Pompori no sul do Tibete próximo à região de Shigatse, onde o Monastério Sakya, o primeiro mosteiro desta tradição, foi construído por Khon Konchog Gyalpo (1034-1102) em 1073.

Um antepassado de Konchog Gyalpo, Khon Dorje Rinchen, havia sido um discípulo de Guru Rinpoche no século IX. Desde então o clã Khon vinha preservando os ensinamentos da linhagem Nyingma, na qual Konchog Gyalpo fora treinado desde a infância.

Porém, depois de presenciar os rituais e cerimônias sagrados da escola Nyingma sendo usados como uma forma de entretenimento barato, Konchog foi aconselhado por seu irmão mais velho a buscar instrução nos tantras do período da segunda tradução, de tal maneira que ele se tornou aluno de Drogmi Lotsawa.

A tradição foi fundada pelos "Cinco Patriarcas de Sakya" (Sa-skya gong-ma Inga):

Buton Rinchen Drub (1290-1364) foi um importante erudito e autor, bem como um dos mais celebrados historiadores do Tibete. Outros notáveis eruditos da tradição Sakya são os chamados "Seis Ornamentos do Tibete":

  • Yaktuk Sangyey Pal
  • Rongton Sheja Kunrig (1367-1449)
  • Ngorchen Kunga Zangpo (1382-1456)
  • Zongpa Kunga Namgyel
  • Gorampa Sonam Senge (1429-1489)
  • Shakya Chogden (1428-1507)

Domínio feudal sobre o Tibete[editar | editar código-fonte]

Em 1264, o domínio feudal sobre o Tibete foi dado a Chogyal Phagpa pelo imperador mongol Kublai Khan. Lamas Sakyapa continuaram a servir como vice-reis do Tibete em nome dos imperadores mongois por quase 75 anos depois do falecimento de Chogyal Phagpa (1280), até que o imperador da China subjugou os mongois.

O clã Khon nos dias atuais[editar | editar código-fonte]

O clã Khon se divide em dois ramos, o Drolma Phodrang e o Phuntsog Phodrang. O membro do clã a ocupar o posto de Sakya Trizin é apontado por um dos ramos de cada vez, que têm se revezado desde o início do século XIX.

O atual líder da escola Sakya é o 41º Sakya Trizin, Ngawang Kunga Tegchen Palbar Samphel Wanggi Gyalpo. Nascido em 1945, em Tsedong, hoje reside em Rajpur, Índia, com sua consorte, Dagmo Tashi Lhakyi, e seus dois filhos: Ratna Vajra Rimpoche e Gyana Vajra Rinpoche. Ratna Vajra Rimpoche, sendo o filho mais velho, é o sucessor na liderança do Drolma Phodrang e tomou como esposa Dagmo Kalden Dunkyi.

O atual líder do Phuntsog Phodrang é Jigdal Dagchen Sakya Rimpoche. Dagchen Rimpoche vive com sua família em Seattle, nos Estados Unidos.

Ensinamentos[editar | editar código-fonte]

Sachen, o primeiro dos cinco patriarcas, recebeu diversas doutrinas tântricas de vários tradutores tibetanos, também chamados Lotsawas, que haviam visitado a Índia, os principais sendo Drogmi Lotsawa, Bari Lotsawa e Mal Lotsawa. De Drogmi vem o ensinamento supremo dos Sakyapas, o sistema do Lamdre (lam 'bras) ou "O Caminho e seu Fruto”, revelados pelo mahasiddha Virupa, também conhecido pelo nome de Birwapa e baseado no Tantra de Hevajra.

O coração dos ensinamentos do Lamdre está nas instruções-chave do mahasiddha Virupa sobre como interpertar os sutras e tantras como um sistema coeso, a partir do ponto de vista do Hevajra Tantra. Estas instruções estão contidas num texto chamado "Os Versos Vajra".

Na época do Sakya Trizin Dagchen Lodro Gyaltsen (1444-1495), os ensinamentos do Lamdre passaram a ser divididos entre a explicação para grande plateias (Tsogshed) e a explicação para discípulos (Lobshed).

Os ensinamentos do Lamdre, durante muito tempo, foram transmitidos apenas oralmente, só passando a serem registrados na forma de textos por Sachen Kung Nyingpo. Conforme a tradição oral passou a ser escrita, o principal texto a conter os aspectos da teoria e prática dos sutras foi chamado de “As Três Visões”. Já os aspectos teóricos dos tantras ficaram contidos em “Os Três Contínuos”.

O aspecto público do Lamdre (Tsogshed) inclui:

  • instruções sobre "As Três Visões"
  • O empoderamento da causa de Hevajra, que autoriza os discípulos a receberem
  • instruções sobre "Os Três Contínuos"
  • instruções sobre as práticas de meditação iniciais do Lamdre, conhecidas como Os Quatro Inquebráveis, que dizem respeito às práticas do estágio da geração, Kyerim.

Já o Lamdre voltado para os discípulos (Lobshed) inclui:

  • o empoderamento do caminho de Hevajra, que autoriza os discipulos a receberem treinamento nas práticas do estágio da completude, Dzogrim, que são;
  • instruções em Tummo, a prática do calor interno;
  • instruções em técnicas de respiração;
  • instruções em posturas corporais;
  • instruções em Milam, também conhecida como a ioga dos sonhos;
  • instruções em Phowa, a transferência da consciência.

Mal Lotsawa introduziu na linhagem Sakya a linhagem da Vajrayogini do mahasiddha Naropa, conhecida como "Naro Khachoma" ou "Naro Khechari". De Bari Lotsawa vieram inúmeras práticas tântricas, das quais a principal é o ciclo chamado "As Cem Sadhanas de Bari Lotsawa". Outros ciclos de transmissão que merecem destaque são os ensinamentos de Vajrakilaya e Yangdag Heruka, os únicos ensinamentos Nyingma que foram preservados depois da transição para os tantras da nova tradução.

O quarto patriarca Sakyapa, Sakya Pandita, era notável por sua excepcional erudição e compôs muitos textos importantes e influentes sobre os sutras e tantras, incluindo Iluminando a Intenção do Sábio (Wilye: thub pa'i dgongs gsal), Tesouro da Cognição Válida e Lógica (Wylie: tshad ma rigs gter rang ‘grel lung ‘grel can) e o polêmico Clara Distinção dos Três Votos (Wylie: sdom gsum rab dbye ).

A linhagem é especialmente ligada a Manjushri, bodisatva da sabedoria que tudo atravessa, inclusive o tempo e o espaço, e sua forma irada Vajra-Bairava. O atual Sakya Trizin teve a sílaba tibetana de Manjushri - Dhih - desenhada em sua língua com açafrão logo ao nascer. Sakya Trizin é considerado uma emanação de Manjushri.

Sub-escolas[editar | editar código-fonte]

Com o passar dos anos, dois ramos surgiram da linhagem principal:

  • Ngor, fundada por Ngorchen Kunga Zangpo (1382-1456). Representa 85% da escola Sakya e a maioria, se não todos os monastérios na Índia são Ngorpa, com exceção do monastério pessoal de Sua Santidade Sakya Trizin.
  • Tsar, fundada por Tsarchen Losal Gyamtso (1496 - 1560). Os dois principais discípulos de Tsarchen foram Jamyang Khyentse Wangchuk (1524-1568) e Mangtho Lundrup Gyatso (1523-1596).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • S.S. Sakya Trizin. A sabedoria essencial do budismo. Rio de Janeiro: Areté, 1996. ISBN 858592604X
  • Ngorchen Konchog Lhundrub. The Three Visions: Fundamental Teachings of the Sakya Lineage of Tibetan Buddhism. Snow Lion Publications (June 25, 2002). ISBN 1559391774
  • Panchen Ngawang Choedak (Autor), Lama Choedak Yuthok (tradutor). The Triple Tantra. Gorum Publications (1997). ISBN 0958708517
  • Cyrus Stearn. Taking the Result as the Path: Core Teachings of the Sakya Lamdre Tradition (Library of Tibetan Classics). Wisdom Publications (December 15, 2006). ISBN 0861714431
  • G. W. Farrow, I. Menon. The Concealed Essence of the Hevajra Tantra: With the Commentary Yogaratnamala. Motilal Banarsidass Pub; 1st ed edition (January 1, 2003). ISBN 8120809114
  • D. L. Snellgrove. The Hevajra Tantra: A Critical Study. School of Oriental and African Studies (December 31, 1959. ISBN 0197135161

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sakya