Salgadinho (Paraíba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Salgadinho
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 22 de dezembro
Fundação 22-12-1961
Gentílico salgadinhense
Prefeito(a) Débora (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Salgadinho
Localização de Salgadinho na Paraíba
Salgadinho está localizado em: Brasil
Salgadinho
Localização de Salgadinho no Brasil
07° 06' 10" S 36° 50' 42" O07° 06' 10" S 36° 50' 42" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Borborema IBGE/2008 [1]
Microrregião Seridó Ocidental Paraibano IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Patos
Municípios limítrofes ao norte com Santa Luzia e Junco do Seridó, leste com Assunção e Juazeirinho, sul com Taperoá, e oeste com Areia de Baraúnas e Passagem
Distância até a capital 280 km
Características geográficas
Área 184,237 km² [2]
População 3 508 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 19,04 hab./km²
Altitude 420 m
Clima semiárido Bsh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,564 baixo PNUD/2000 [4]
PIB R$ 11 331,595 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 278,82 IBGE/2008[5]
Página oficial

Salgadinho é um município no estado da Paraíba, (Brasil), localizado na região do Seridó Ocidental Paraibano e integrante da Região Metropolitana de Patos, município do qual dista cerca de 50 quilômetros. De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano de 2010, a sua população era de 3.518 habitantes divididos em uma área territorial de 180 km² com densidade de 19 habitantes por quilômetro quadrado[6] .

Fundado em 1961, o município é conhecido internacionalmente como sendo um dos poucos locais no mundo a se encontrar a raríssima e valiosa Turmalina Paraíba, perseguida desde a década de 1980 no distrito de São José da Batalha[7] .

Além de suas riquezas minerais e seu clima plácido outras atrações são destaque na cidade, tais como sua geografia e sítios históricos, suas construções e a sua culinária[7] .

História[editar | editar código-fonte]

Datam do século XX os primeiros movimentos que deram origem ao município de Salgadinho, que servia de entreposto entre os que iam do cariri do estado para o Sertão e vice-versa[6] .

Sob o nome de Salgadinho o povoado passou a ser distrito de Patos em 7 de janeiro de 1949, com terras cedidas do distrito de Espinharas[6] .

Mais de uma década depois, movimentos populares sob as lideranças de Cícero José Maciel, José Bezerra de Maria, Pedro Leite Correia de Melo, Joaquim Marcolino Guimarães, José Morais da Silva e Felizardo Trindade de Figueiredo conseguiram a emancipação do distrito através da lei estadual nº 2.676 de 22 de Dezembro de 1961, publicada no Diário Oficial do Estado e assinada pelo governador Pedro Gondim[6] .

Instalado oficialmente em 30 de dezembro de 1961, Salgadinho viria ter o seu primeiro prefeito em 31 de outubro de 1962, o sr. Djalma Morais da Silva, tendo como vice José Bezerra de Maria[7] .

Aspectos geográficos[editar | editar código-fonte]

Todas as águas superficiais do município de Salgadinho estão inseridas nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Espinharas, sendo o Rio da Farinha o seu principal tributário, com regime de escoamento descontinuado ao longo do ano. Constam também alguns corpos de acumulação de água, tais como o açude dos Tanques e a Lagoa da Viração, Lagoa da Caraibeira e Lagoa da Onça além de riachos tributários do Rio da Farinha, a exemplo dos riachos Muquém, Olho d’ Água, do Pinga, Caraibeira, dos oitis, do Brejinho e Catolé[8] .

Segundo o IBGE o município de Salgadinho possui uma área de 184,237 quilômetros quadrados e uma população de aproximadamente 3,500 habitantes, sendo maioria urbana (cerca de 60%) e média demográfica menor que 20 habitantes por quilômetro quadrado. Localiza-se na parte central da Paraíba, faz limites ao norte com Santa Luzia e Junco do Seridó, a leste com Assunção e Juazeirinho, ao sul com Taperoá, e oeste com Areia de Baraúnas e Passagem[6] .

O município está dividido em dois distritos, o distrito-sede de Salgadinho e o distrito de São José da Batalha. A sede do município fica a uma altura de 420 metros acima do nível do mar, ao pé da Serra da Viração[9] .

É possível chegar ao município desde a capital do estado, João Pessoa, através da rodovia federal BR-230, passando por Campina Grande, Soledade e Juazeirinho. A partir de Assunção o trajeto segue por rodovia estadual em um trecho de 30 quilômetros. O acesso a partir de Patos é feito pela PB-228 em trecho de 50 quilômetros[8] .

Clima[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[10] . Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

A pluviometria média mensal é de cerca de 450mm, com distribuição irregular e 76% de seu total concentrando-se nos 4 primeiros meses do ano. A vegetação é do tipo Caatinga Hiperxerófila do Seridó[8] .


Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Salgadinho (Período 1934-85) Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 31 31 31 30 29 28 28 29 31 32 33 32 30,4
Temperatura média (°C) 25,8 25,3 24,9 24,7 24,0 23,1 22,7 23,1 24,1 25,1 25,6 25,9 24,5
Temperatura mínima média (°C) 21 21 21 21 20 20 19 19 20 20 21 21 20,3
Precipitação (mm) 35 68 116 110 49 23 18 8 2 2 7 13 450
Fonte: [11] [12]

Turismo[editar | editar código-fonte]

A cidade possui uma gama de atrativos que proporcionam ao visitante, aventura, sossego e uma rica culinária[7] .

Atrações naturais[editar | editar código-fonte]

A Grota é um sítio arqueológico localizado 3 km ao norte da sede de município, que mantém sua mata preservada e onde é proibido a caça de animais. Além de inscrições rupestres, a grota possui uma fonte de água de coloração amarelo turvo que provém da concentração de minerais naquela região, principalmente o ferro[7] .

Construções humanas[editar | editar código-fonte]

Em Salgadinho é possível conhecer construções religiosas tal como a Capela de Nossa Senhora do Carmo, o cruzeiro ou a Barragem Velha, bem como construções oriundas da época da construção da estrada de ferro tais as ruínas da Estação Abismo, o Viaduto da Serra da Viração e dos Oitis.

Viaduto da Serra da Viração

O Viaduto da Serra da Viração é maior viaduto do Nordeste e o segundo do Brasil em tamanho. Possui 44 metros de altura por 190 metros de comprimento. Inaugurado em setembro de 1957 o viaduto localiza-se no quilômetro 129, entre as estações João Leite, em Assunção, e Abismo, em Salgadinho. A obra na época custou cerca de 16 milhões de cruzeiros. Foram utilizados na construção 229 toneladas de ferro nas armaduras, 1712 de concreto, 9.000 m² de madeira quadrada empregada na confecção do escoamento além de 957 m³ de escavação para fundação[7] .

Viaduto dos Oitis

O Viaduto dos Oitis é outra atração da cidade, está localizada sobre o Riacho dos Oitis entre as antigas estações de Abismo e Areia de Baraúnas no quilômetro 135. Inaugurada em 1958, a ponte tem 45 metros de comprimento e cerca de 25 metros de altura. A ponte foi montada a partir do concreto, ferro e sua base de pedra, ela tem como característica principal duas grandes colunas no centro que sustentam toda sua estrutura[7] .

Culinária[editar | editar código-fonte]

A culinária do município é tipicamente sertaneja baseada principalmente na agricultura familiar bem como na pecuária e na fruticultura.

Entre os pratos típicos estão: feijão verde, pamonha e canjica, doces a partir da extração do caju, castanha e goiaba etc[7] .

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. a b c d e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Infográficos da cidade de Salgadinho. 2014. [1].
  7. a b c d e f g h Prefeitura Municipal de Salgadinho. História de Salgadinho. Salgadinho-PB, 2014. [2].
  8. a b c Serviço Geológico do Brasil. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea. Diagnóstico do município de Salgadinho, estado da Paraíba. João de Castro Mascarenhas, Breno Augusto Beltrão, Luiz Carlos de Souza Junior, Franklin de Morais, Vanildo Almeida Mendes, Jorge Luiz Fortunato de Miranda. Recife: CPRM/PRODEEM, 2005. [3].
  9. Instituto Brasileiro de Gografia e Estatística, 2010. Mapa Municipal Estatístico.
  10. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro.

  11. Climatologia para a cidade de Malta.Climatologia para a cidade de Salgadinho (em português). Visitado em 29-07-2014.
  12. Embrapa. Banco de Dados Climáticos do Brasil - Município: Salgadinho. Disponível em [4]. Acesso em Julho de 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]