Salmo de Azarias e o cântico dos três jovens

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sadraque, Misaque e Abdenego, os três jovens na fornalha.

A Oração de Azarias e o cântico dos três jovens é uma longa passagem que parece depois de Daniel 3:23 nas bíblias católicas e ortodoxas, assim como na Septuaginta grega. Ela é listada como não-canônica no artigo VI dos Trinta e nove artigos da Igreja Anglicana.[1] A passagem é, em geral, omitida nas bíblias protestantes como sendo uma adição apócrifa.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

A passagem inclui uma prece de penitência de Azarias (Abdenego na Babilônia - veja Daniel 1:6-7, enquanto os três jovens (Sadraque, Misaque e Abdenego) estavam ardendo na fornalha, um breve relato do anjo que os encontrou ali e o hino de honra que eles cantaram quando foram libertados.

O "Cântico dos três jovens" (ou "Cântico dos três mancebos") é parte do hino cantado durante as Matinais e outros serviços religiosos na Igreja Ortodoxa. Ele pode ser encontrado na Igreja Anglicana no Book of Common Prayer como o cântico chamado "Benedicite". Ele também é um cântico opcional para as Matinais na liturgia luterana.

Textos e origens[editar | editar código-fonte]

Trecho do Cântico dos três jovens conforme a Liturgia das Horas

A oração e o hino que a acompanha não existem no texto hebraico/aramaico do Livro de Daniel e também não são citados em nenhuma fonte antiga judaica sobrevivente. Porém a passagem aparece de fato em algumas fontes antigas, principalmente as em grego, siríaco e em latim.

As origens destes escritos é obscura. Se estes relatos foram originalmente escritos em hebraico (ou aramaico) ou em grego, é incerto, embora muitos estudiosos modernos tenham concluído, com base na evidência textual, que deve ter existido uma edição original semita. A data da composição destes documentos é também incerta, ainda que alguns estudiosos prefiram uma data ou no segundo ou no primeiro século antes de Cristo.

Referências

  1. Article VI (em inglês) Episcopalian.org. Página visitada em 27/12/2010.