Salou

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Espanha Salou  
—  Município  —
A Playa Larga
A Playa Larga
Bandeira de Salou
Bandeira
Brasão de armas de Salou
Brasão de armas
Salou está localizado em: Espanha
Salou
Salou está localizado em: Catalunha
Salou
Localização de Salou na Catalunha
41° 04' 27" N 01° 08' 20" E
Comunidade autónoma Catalunha
Província Tarragona
Comarca Tarragonès
Fundação Século VI a.C.
Elevação a município 30 de outubro de 1989
Fundador gregos da Fócida
 - Alcaide Pere Granados
Área
 - Total 15,1 km²
Altitude 5 m (16 pés)
População (2012)[1]
 - Total 26 601
    • Densidade 1 761,66/km2 
Gentílico: salouense
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 43840
Sítio www.salou.cat

Salou é um município da Espanha situado na comunidade autónoma da Catalunha, província de Tarragona e comarca de Tarragonès. Tem 15,1 km² de área e em 2012 tinha 26 601 habitantes (densidade: 1 761,7 hab./km²).[nt 1]

A cidade encontra-se 10 km a sudoeste da capital provincial, Tarragona e é usualmente referida como a capital da região turística da Costa Dorada por ser o seu destino turístico mais concorrido. Foi fundada no século VI a.C. por gregos da Fócida e durante a Idade Média foi um importante porto comercial. No século XX converteu-se num destino turístico muito popular, um estatuto que mantém até hoje. Nas seus arredores situa-se o Port Aventura, um dos maiores parques temáticos de Espanha.

História[editar | editar código-fonte]

Segundo um hipótese com bastante aceitação, Salou foi fundado como Salanrio (cidade limpa) no século VI a.C. por gregos da região da Fócida. A primeira referência escrita à cidade encontra-se na obra do século IV d.C. Ode marítima, do escritor latino Avieno. Este livro, baseado num texto grego de 530-500 a.C., inclui uma descrição geográfica do litoral mediterrânico da Hispânia, desde Gibraltar a Marselha.

Durante o domínio romano, a cidade passa a chamar-se Salauris e é um dos portos mais importantes da Hispânia Citerior. Após a queda do Império Romano, inicia-se um progressivo despovoamento e abandono do território, que continua durante o período muçulmano. A cidade volta a florescer durante a Reconquista, tendo sido concedida a jurisdição do seu teritório ao bispo de Tarragona em 1211.

Dadas as excecionais condições do porto natural, Salou converte-se rapidamente num dos portos mais importantes do Reino de Aragão, uma situação que perdurará até ao século XIX. A pedido dos mercadores de Barcelona, Tarragona e Tortosa, a 6 de setembro de 1229 o rei Jaime I de Aragão concentra em Salou uma esquadra naval catalã-aragonesa que partiria para reconquistar Maiorca a Abu Yahya, o governador almóada da ilha e parar com os ataques de piratas sarracenos maiorquinos. Devido aos saques dos piratas que atemorizavam a população, em 1530, Pere de Cardona, arcebispo de Tarragona, manda construir a Torre Vella de Salou para defesa da cidade.

Em 1649, durante a sublevação da Catalunha que ficou conhecida como "Guerra dos Segadores", o general filipista Juan de Garay obriga os habitantes de Reus a destruir as fortificações de Salou afim de evitar que fossem utilizadas pelos somaténs catalães (milícia armada que se reunia nas povoações ao toque de sinos) ou os seus aliados franceses.

Em 1673, o arcebispado outorga os direitos da cidade ao município de Vilaseca, iniciando um porcesso pelo qual esta vila irá adquirindo a possesão de Salou e do seu porto, situação que se prologou até há alguns anos. A importância comercial do porto de Salou manteve-se durante o século XVIII e princípios do século XIX. No ano de 1766 é bendita a igreja de Santa María del Mar. Em 1820 é edificada a Capitania e a "Nova Alfândega" (esta já desaparecida), na Rua de Barcelona. Em 1858 é inaugurado o farol situado no Cabo Salou.

O porto entrou em decadência a partir do início do século XIX e em meados desse século é proibido o seu funcionamento. A cidade inicia então um processo de conversão de um porto comercial para um centro turístico. Em 1863 são autorizadas as "casas de banho" na praia de Poniente e em 1865 entra em funcionamento a estação ferroviária. Em 1867 é inaugurado o Carrilet, uma linha de elétrico entre Reus e Salou (atualmente em desuso), que leva os primeiros veraneantes à vila.

Durante os anos 1920 começam a ser construídos os chalés modernistas do Paseo de Jaime I, nomeadamente o Bonet, Loperena, Marisol/Solimar, Llevat, Enriqueta, Miarnau e Banús, desenhados por Domènec Sugrañes i Gras, arquiteto e colaborador de Gaudí. A partir dos anos 1960, Salou experimenta um acentuado crescimento urbanístico provocado pelo turismo. Em 1965 é erigido o monumento a Jaime I de Argão, da autoria do escultor catalão Lluis M. Saumells Panadés, o qual pode ser considerado um símbolo da Salou contemporânea.

Nos anos 1970, um movimento popular promove o processo de separação de Salou de Vilaseca, que culmina na sentença de 30 de outubro de 1989 do Tribunal Supremo que concede a autonomia administrativa a Salou. Em 1995, é inaugurado nos arredores da cidade o Port Aventura, um dos maiores parques temáticos de Espanha.

Praias[editar | editar código-fonte]

Vista desde a ponta do Cabo Salou

Salou tem quatro praias maiores e numerosas calas (praia pequena em catalão).

  • Playa de Levante — É a principal praia de Salou. Tem 1 200 metros de areia fina e dispõe de duches, WC e um amplo passeio marítimo ajardinado, o Paseo Jaime&nbps;I, com instalações de recreio infantil e desportivas, parques de estacionamento e estação central de autocarros. No extremo norte encontra-se a fonte luminosa, obra de Carles Buïgas. No extremo contrário encontra-se o porto desportivo.
  • Playa de Poniente — Com cerca de 1 000 metros de comprimento de areia fina, situa-se a oeste do porto desportivo e a leste do limite municipal de Cambrils.
  • Playa de los Capellanes (Capellans) — Tem cerca de 200&metros de comprimento e tem edificações ao pé da areia. Nas falésias das extremidades encontram-se inúmeros edifícios de apartamentos e um pequeno parque.
  • Playa Larga — Tem 600 metros de areia fina e é rodeado por um bosque e um passeio marítimo ajardinado com vegetação mediterrânica e abundantes flores. No período estival é frequentada sobretudo por ingleses.
  • Cala de Lenguadetes (Llenguadets) — Uma pequena praia situada entre a praia de Capellans e a praia Larga.
  • No Cabo Salou encontram-se diversas calas: Morisca, Vinya, Font, Crancs e Penya Tallada

Festas[editar | editar código-fonte]

Indumentária dos diables de Salou
  • Cós Blanc (Carnaval) — é a maior festa realizada no inverno, no primeiro sábado de fevereiro.
  • Diada de Sant Jordi (dia de São Jorge) — 23 de abril.
  • Nits Daurades — festa maior do verão, realizada na semana de 15 de agosto.
  • Festa do rei Jaime I, El Conqueridor — 7 de setembro.
  • Dia Nacional da Catalunha — 11 de setembro.
  • Festa de la Segregació (Festa da Segregação) — 30 de outubro; celebra a segregação (separação, autonomização) do município.

Tradições[editar | editar código-fonte]

  • Calada de les Malles de Sant Pere (ou tirar l'art) — o tirar l'art é uma arte de pesca tradicional que é realizado pela Societat de Pescadors de Santa María del Mar de Salou várias vezes ao ano, com relevo para o dia de São Pedro, padroeiro dos pescadores, durante as festas de verão.
  • Ball de Diables Maleïts de Salou (Baile dos Diabos Malditos) — Uma associação fundada em 1999 representa o tradicional baile d diabos em eventos festivos e culturais; o baile é uma tradição catalã de origem medieval que também está presente na Comunidade Valenciana e nas Ilhas Baleares.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População Salou (1992 – 2012)[nt 2]
1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2009 2012
8 277 9 631 10 708 11 499 13 059 15 360 18 238 22 162 26 649 26 601
   +16,4%  +11,2%  +7,4%  +13,6%  +17,6%  +18,7%  +21,5%  +20,2%  -0,2%
Panorâmica da Playa de Levante

Notas

  1. A maior parte do texto foi inicialmente baseado no artigo «Salou» na Wikipédia em espanhol (acessado nesta versão).
  2. Artigo «Salou» na Wikipédia em catalão (acessado nesta versão).

Referências

  1. Padrón municipal: Cifras oficiales de población desde 1996 (em espanhol). www.ine.es. Instituto Nacional de Estatística de Espanha. Página visitada em 15 de janeiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Salou