Samósata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Samósata (em armênio: Շամուշատ; em grego clássico: Σαμόσατα; transl.: Samósata; em siríaco: ܫܡܝܫܛ; transl.: Šmīšaṭ) foi a capital do reino da Comagena até sua anexação no ano de 72.[1] As ruínas da cidade, situadas perto da cidade atual de Samsat, na província de Adıyaman, região do Sudeste da Anatólia, Turquia, encontram-se submersas pela Barragem Atatürk desde a década de 1990.

História[editar | editar código-fonte]

Representação do ataque bizantino em Samósata, em 856, segundo Escilitzes de Madrid

O fundador da cidade foi Sames Orôntida, um sátrapa de Comagena que fez da cidade sua capital.[2]

Assim como Zeugma, Samósata era uma importante passagem para o Eufrates, como Josefo indica ao discutir as motivações romanas para a anexação,[3] no entanto, há poucas evidências sobre a história da presença dos legionários romanos em comparação com outros lugares descritos. Josefo menciona que o governador da Síria anexou a Comagena com legio VI Ferrata e que uma separação ocupou Samósata.[4] [1]

É a cidade de nascimento de importantes pessoas da antiguidade como Luciano de Samósata e Paulo de Samósata.

Referências

  1. a b Nigel Pollard. Soldiers, Cities, and Civilians in Roman Syria. University of Michigan Press; 2000. ISBN 0-472-11155-8. p. 266 - 267.
  2. Cyrille Toumanoff. Studies in Christian Caucasian history. Georgetown University Press; 1963. p. 280.
  3. "Nota 68 - Josefo, BJ, VII.7. 1-3, descreveu a captura de Comagena pelos romanos, (...)", Peter Edwell. Between Rome and Persia: The Middle Euphrates, Mesopotamia and Palmyra under Roman control. Routledge; 2007. ISBN 978-0-203-93833-1. p. 211.
  4. Josefo, Antiguidades Judaicas, BJ 7.224


Ícone de esboço Este artigo sobre arqueologia ou arqueólogos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Turquia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.