Sam, The Kid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sam the Kid)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Sam The Kid
Informação geral
Nome completo Samuel Martins Torres Santiago Mira
Nascimento 17 de Julho de 1979 (34 anos)
Origem Chelas, Lisboa[1]
País  Portugal
Gênero(s) Hip hop
Ocupação(ões) Rapper, Produtor
Período em atividade 1999 - presente
Gravadora(s) Loop Recordings, Edel
Afiliação(ões) Melo D, DJ Bomberjack, Valete, NBC, DJ Cruzfader, GQ, MadVision Project, Snake, GQ, Pacman, Daddy-O-Pop, Kalaf, SP, Chullage, TT, New Max, Macacos do Chinês, Ruky, Eva, Bonus, Bob Da Rage Sense, Lil John, Regula, Xeg, Shawlin, Marcelo D2, Ligia, Jah3, Boss AC, Mundo Complexo, Vitorino, Nigga Poison e A.S2
Página oficial Página no MySpace

Sam The Kid, nome artístico de Samuel Martins Torres Santiago Mira, (Marvila, 17 de julho de 1979) é um músico português,[2] hoje em dia é considerado um dos rappers mais influentes do panorama nacional de Hip-Hop.[carece de fontes?]

Se 2001 se revelou um ano decisivo para o crescimento do hip hop nacional, Sam the Kid foi um dos principais responsáveis pela proeza, a par de nomes como Mind da Gap, Bullet, Chullage, Micro e Valete, entre outros. O primeiro álbum, Entre(tanto) estava disponível desde 1999, mas só em 2001, e em grande parte devido ao disco instrumental Beats Vol 1: Amor, o nome Sam the Kid começou a ganhar popularidade no universo hiphop. Hoje é considerado o melhor rapper nacional, e com mais influência no circuito nacional de Hip-Hop.[carece de fontes?]

Construído a partir da história de amor vivida pelos pais de Samuel Mira, Beats Vol 1: Amor convenceu tudo e todos sem grandes dificuldades, tendo sido considerado por muitos entendidos na matéria como um dos melhores álbuns do ano da colheita nacional.[quem?] Gravado em casa, com recurso a um vasto arquivo de samples recolhidos em discos, vídeos pornográficos, telenovelas e chamadas telefónicas, privadas ou não[carece de fontes?], Sam the Kid transpôs a barreira que até então o limitara ao subúrbio do hiphop, desbravando caminho até ouvidos atentos à música, mas até então desatentos ao trabalho de Samuel.

Quando viu chegar a oportunidade de gravar o álbum de estreia, já Sam the Kid tinha em carteira uma série de gravações, feitas em casa, em formato cassete, mini-disc, CD, e até com recurso à câmara de vídeo.

Foi depois de ter ouvido 93 Til Infinity (1993) dos Souls of Mischief, que Sam começou a desenhar o seu futuro na música a lápis mais carregado. A rádio foi o primeiro veículo encontrado pelo músico para a divulgação do trabalho que já tinha em avanço, sobretudo através do programa "Repto". Anos mais tarde, em 2001, depois de várias provas de talento dadas e de dois discos editados, Entre(tanto) e Sobre(tudo), a então recém-criada Loop:Recordings, de Rui Miguel Abreu, propunha um contrato discográfico a Sam the Kid. A primeira aposta no artista foi Beats Vol 1: Amor. O álbum, Pratica(mente), teve o seu lançamento em Dezembro de 2006. No tema "poetas de karaoke" critica os artistas que cantam em inglês, embora seja também uma crítica aos próprios rappers e ao seu estilo americanizado. Com este tema Sam afirma não apenas a sua identidade como músico, mas sobretudo a liberdade de experimentar e reinventar a língua portuguesa no chamado "hip hop tuga". Em 2008, lança uma reedição de Pratica(mente), com canções inéditas e convidados como Valete, Regula, Beto ou Shaulin.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Musica Album
1999 "Lágrimas" Entre(tanto)
2002 "Não Percebes" Sobre(tudo)
2002 "Alma Gémea" Beats Vol 1: Amor
2004 "Motivação" Poesia Urbana Vol.1[3]
2006 "Poetas de Karaoke" Pratica(mente)
2007 "Abstenção" Pratica(mente)
2007 "À procura da perfeita repetição" Pratica(mente)
2007 "Negociantes" Pratica(mente)
2007 "A Partir de Agora" Pratica(mente)
2008 "Dopping" Pratica(mente)-Reedição

Referências

  1. PSP receia distúrbios após morte de "rapper". Jornal de Notícias. Página visitada em 11 de junho de 2012.
  2. Sam The Kid comenta morte de amigo MC Snake: "Para a polícia, é tudo igual" [áudios. Blitz (revista). Página visitada em 11 de junho de 2012.
  3. [1] (em inglês). H2tuga.net.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.