Sammy Hagar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Sammy Hagar
SammyHagar.JPG
Sammy Hagar ao vivo no Moondance Jam, em 10 de julho de 2008
Informação geral
Nome completo Samuel Roy Hagar
Também conhecido(a) como The Red Rocker
Nascimento 13 de Outubro de 1947 (66 anos)
Origem Monterey, Califórnia
País  Estados Unidos
Gênero(s) Hard rock
Período em atividade 1973 - atualmente
Afiliação(ões) Van Halen, Montrose, Chickenfoot
Página oficial www.RedRocker.com

Samuel Roy Hagar (13 de outubro de 1947, Monterey, Califórnia) é um compositor, vocalista e guitarrista de rock dos Estados Unidos conhecido por ter sido integrante das bandas Van Halen e Montrose e atual vocalista da banda Chickenfoot.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 13 de outubro de 1947, em Monterey, Califórnia, filho de um pugilista; casado com Betsy em 1969, divorciado em 1992; casado Kari, 29 de novembro de 1995; filhos: Aaron, Andrew, e Kama. Endereço: MCA Records, 70 Universal City Plaza, Universal City, CA 91608.

Intransigente e determinado, o cantor Sammy Hagar tem seguido seus próprios impulsos criativos em todos os seu mais de 34 anos de carreira, apesar das críticas a seu respeito. Ele começou como o frontman de uma banda chamada Montrose, que curiosamente ganhou reconhecimento somente após o seu desaparecimento, se tornando uma banda “cult”. Depois de ser despedido da banda, Sammy Hagar após anos de carreira solo ficou conhecido como o "Red Rocker". Em 1985, ele aderiu a já bem sucedida banda de rock Van Halen. Depois, em 1996, quando ele foi mais uma vez “tirado” da banda, Sammy Hagar rapidamente ressuscita o sucesso de sua carreira solo.

Sammy Hagar nasceu em 13 de outubro de 1947, em Monterey, Califórnia, o caçula de quatro filhos. Seu pai era um pugilista, campeão de boxe do ano em que ele nasceu. HAGAR passou a maior parte de sua infância em Fontana, Califórnia, a leste de Los Angeles. Seu pai lhe inspira a prosseguir a sua própria carreira de boxe quando era um adolescente, e ele continuou a manter grande parte de seu treinamento físico durante muitos anos depois. Com 18 anos, ele aprendeu a tocar guitarra, e começou sua longa carreira na música.

HAGAR realizava shows em boates, em San Bernardino, na Califórnia, antes de ir para São Francisco, no início dos anos 70. Ele descobriu que um guitarrista, Ronnie Montrose, queria formar sua própria banda, e HAGAR se ofereceu para entrar para a banda, o Montrose, no Verão de 1973. Antes do final do ano, Montrose, HAGAR, baixista e baterista lançava o disco auto-intitulado de estréia pela Warner Bros Records. O LP incluía excelentes faixas como "Rock Candy" e "Bad Motor Scooter", o qual foi executado em estações de rádio décadas mais tarde.

No ano seguinte, a banda Montrose lança “Paper Money”, começaram a ganhar notoriedade. "Como um quarteto de alta energia, Montrose acertou naquilo onde outros falharam, devido à acessibilidade dos seus materiais", escreveu Barry Taylor na Billboard.

Mais tarde naquele ano, o guitarrista, e dono da banda Montrose, dispensa HAGAR do grupo [pois havia uma enorme disputa na banda entre Hagar e Ronnie], pois a direção musical e os seus egos colidiram. "Eu estava criativamente limitado nessa banda", disse Hagar, para Evan Hosie da revista Rolling Stone, "mas o Montrose me influenciou muito."

Depois, tanto Church quanto Carmassi (Baixista e Bateristas do Montrose respectivamente) saíram do Montrose para se juntar a Sammy em sua carreira solo. Em 1976, lança seu primeiro álbum solo chamado “Nine on the Ten Scale” pela Capitol Records, no qual ganhou notoriedade pelas Faixa “Keepin’ on a Rock”, e os covers de Van Morrison e Donovan, respectivamente “Flamingos Fly” e “Young Girl Blues”. Logo em seguida lançou outro álbum, “Sammy Hagar” - também conhecido como "The Red Album" - em janeiro do ano seguinte, que incluiu as canções "Red", "Crusin '& Boozin'," e "Rock N 'Roll Weekend ". Depois, em outubro de 1977, seu próximo lançamento, “Musical Chairs”, chega nas lojas.

Desde o início de sua carreira, HAGAR sacudiu o interesse de uma ampla variedade de audiências. Ele recebeu algumas críticas por sua acessibilidade, enquanto outros condenou-o por ser demasiadamente pesado e barulhento. Evan Hosie escreveu na Rolling Stone, "É difícil conciliar tal encantamento, articular com cidadãos, que casualmente fala de vida após a morte e de seu amor de ficção científica, com o cara gritando para dementes na multidão." Sua música muitas vezes refletia a sua crença na vida em outros planetas, assim como o seu interesse em outros assuntos místicos.

No início de sua carreira, HAGAR fazia turnê com populares bandas de rock como Kiss e Boston. Em 1978, ele ganhou o Prêmio de "Músico do Ano" em San Francisco, Califórnia, acrescentando à sua popularidade. Nessa Altura, a sua banda tinha Bill Church, e o guitarrista Gary Pihl, tecladista Alan Fitzgerald, e o baterista Chuck Ruff. "Pode-se realmente sentir o calor e o relacionamento que teve com a platéia, especialmente quando ele pulou fora do estádio para a torcida", escreveu John Deegan de HAGAR na Billboard.

"Eu sou o tipo de músico que toca tudo ao vivo," disse HAGAR a Jack McDonough na Billboard. Quando ele voltou ao estúdio para gravar “Street Machine”, ele decidiu produzir o álbum. Incluía as faixas "Trans Am (Highway Wonderland)", "This Planets on fire (Burning hell)." Durante o mesmo ano, cantora Bette Midler regravou a música de HAGAR, "Keep On Rockin” para seu filme “A Rosa”.

Em março de 1980, Sammy Hagar lança um registro ao vivo, “Loud and Clear”, com performances da fase Montrose como "Bad Motor Scooter" bem como uma seleção das suas canções solo, tais como "I’ve done Everytning for you" (que mais tarde fez um enorme sucesso pelo cantor Rick Springfield). Em junho do mesmo ano, ele lançou seu próximo disco, “Danger Zone”, que incluía músicas como "Love or Money", e "20th Century Man".

Em 1981, ingressou baterista David Lauser a banda, e começou a gravação do grupo permanente, para o lançamento de “Standing Hampton” pela nova gravadora, Geffen Records, deixando uma marca em sua antiga gravadora, a Capitol Records, pois mesmo com vendagens modestas de seus discos anteriores, Sammy Hagar foi o músico que mais vendeu discos pela gravadora. O primeiro disco pela Geffen teve um investimento muito grande por parte da produção, culminando com a explosão da popularidade de Sammy, com a faixa "I'll Fall in Love Again", "There’s only one way to rock", e "Heavy Metal". A última faixa também apareceu na trilha sonora do filme Heavy Metal. Mais tarde, HAGAR contribuiu também para outras trilhas sonoras canções como “Fast Times em Ridgemont High”, “Footloose”, e “Falcão, o campeão dos campeões”.

No ano seguinte, começou a subir mais e mais na Billboard, com seu disco “Three Lock Box”, que incluiu hits como a faixa título e "Your Love is Driving in Me Crazy". No entanto, HAGAR decidiu deixar por um tempo sua carreira solo em 1984. Ele se une ao guitarrista Neal Schon, Journey, o baixista Kenny Aaronson, e o baterista Michael Shrieve e forma o HSAS (derivados das primeiras letras dos membros dos últimos nomes). O grupo desempenhou uma série de concertos em West Coast Através do álbum gravado “Throught in the fire”.

HAGAR retornou ao seu projeto solo em 1985 com o seu registro VOA com sucesso absoluto. Sacudiu sua popularidade com o mega hit "I Can’t Drive 55," VOA atingiu platina no decurso do ano. Após mais de dez anos Sammy Hagar tinha escrito verdadeiramente sua marca no rock n 'roll.

Então, um dia, em 1985, HAGAR a convite de Eddie Van Halen, decide integrar a banda, HAGAR decide abandonar a sua carreira solo. A decisão foi cumprida com a polêmica de críticos e fãs do Van Halen. Ele tinha um estilo diferente de David Lee Roth, que alguns pensavam que ele poderia manter sucesso do grupo. Em 1986, Van Halen lança “5150”. O álbum Van Halen se tornou número 1 em todas as paradas e shows disputadíssimos e esgotando totalmente todos os ingressos dos concertos da Tour.

A camaradagem entre HAGAR e Van Halen foi muito noticiada, "É uma coisa engraçada. Eu me sinto como se conhecesse Edward, Michael, Alex há muito tempo" comentou HAGAR para Guitar Player.

HAGAR é o entusiasmo e atitude positiva em pessoa, revitalizou os membros do Van Halen. "Sammy teve uma atitude muito forte sobre tudo,", "Ele é extremamente positivo, e que todo mundo do marasmo" disse o produtor Mick Jones a Rolling Stone. Eddie Van Halen mais tarde disse a David Wild, para Rolling Stone, "A partir do primeiro segundo percebi que musicalmente com Sammy tudo era possível. Coisas que eu tinha em mim que eu queria expressar, ele é capaz de cantar qualquer coisa".

Após o lançamento de 5150, HAGAR teve de lançar outro álbum solo para cumprir suas obrigações contratuais com a Geffen Records. Eddie Van Halen tocou baixo no álbum e co-produziu com HAGAR. Originalmente lançado como “Sammy Hagar”, o nome foi alterado mais tarde para “I never say Goodbye” como resultado de um concurso promovido pela MTV americana. Van Halen liberada seu próximo disco OU812 em 1988, apenas reafirmando o sucesso anterior.

Dois anos mais tarde, HAGAR e Van Halen abriram um empreendimento empresarial internacional. A banda abriu sua própria boate em Cabo San Lucas, na ponta da Baja Califórnia, no México. O chamado o clube Cabo WABO depois da canção de mesmo nome em OU812. "Esse lugar tinha sujeira nas estradas quando eu comecei ir lá", disse mais tarde HAGAR.

HAGAR mais tarde começou a tradição de comemorar o seu aniversário em Cabo WABO cada outubro. HAGAR mais tarde comprou a parte dos outros membros do Van Halen e tomou conta do clube sozinho. Cabo WABO mais tarde tornou-se o autor da sua própria marca de tequia, que começou dos Estados Unidos em 1997.

Em 1991, Van Halen voltou com seu próximo lançamento “For Unlawful Carnal Knoledge” e do monstruoso hit "Right Now” Após a tour, HAGAR e Betsy entram em processo de divorcio.

Oficialmente a banda nunca tinha lançado um registro ao vivo, e fizeram em 1993, chamado Live: “Right Here, Right Now”. No ano seguinte, a Geffen Records lança uma coletânea, chamado Unboxed, que também incluiu duas novas canções, "High Hopes" e "Buying my way into Heaven". Ele retornou com o Van Halen em 1995 para lançar o disco “Balance.

No Ano de 96, a banda passa por um momento turbulento, lançam duas canções para o filme “twister”, Sammy estava esperando sua nova esposa, Kari a dar à luz, e não queria inclusive gravar um novo disco. Após várias disputas comerciais e pessoais, HAGAR sai do Van Halen. Segundo a banda, HAGAR queria ser um artista solo. No entanto, HAGAR insistiu em que ele foi despedido. Van Halen regressava com o original cantor David Lee Roth para gravar algumas músicas para uma coletânea. Gary Cherone entra em seu lugar (depois sai em 98).

Pouco tempo após sair do Van Halen, HAGAR reuniu vários músicos, incluindo Mickey Hart, cantor Huey Lewis, Guns N’ Roses, baterista Matt Sorum, irmão de do guitarrista Damon Johnson, Slash e Bootsy Collinse e lança o disco “Marching to Mars” pela MCA Records.

Ele também registrou a canção "Leaving the Warmth of the Womb" com os membros originais da banda Montrose - Ronnie Montrose, Bill church, e Denny Carmassi. O primeiro Single "Little White Lie (Pequenas mentiras inocentes, em português)", com base nos acontecimentos no Van Halen, estreou no número 18 da Billboard. Foi acompanhado do outro single "Both Sides Now".

"Eu senti como eu tinha algo a provar, em 1975, quando sai do Montrose, eu sentia o mesmo e depois em 86 no Van Halen, me sinto exatamente assim" disse HAGAR a Melinda Newman na Billboard após o lançamento de Marching to Mars

Com o apoio da banda chamado Waboritas (composto pelo guitarrista Vic Johnson, tecladista Jesse Harms, baixista Mona, e o baterista David Lauser), Hagar lança um novo disco, restabelecendo de vez a sua volta a carreira solo, lançou em 1999 “Red Voodoo” com o seu o sucesso “Mas Tequila”, mais tarde Sammy começou a mudar muito a sua direção musical, passando forte pelo country music, música pop e ate batidas de jazz, talvez por isso que não voltou a fazer grande sucesso, “se eu lançar um disco e ele virar um grande sucesso acredite isso seria um total erro de percurso” disse Hagar à revista brasileira Roadie Crew, continuou em 2000 com o disco “Ten 13” (alusão a sua data de aniversário). Depois o disco “quase” caseiro “Not 4 Sale” e em 2003 seu primeiro álbum ao vivo em 20 anos, “Live: Hallelujah”. Em 2006 teve o lançamento de seu disco mais “diferente” “Livin’ it Up!”, mostrando forte a tendência a country music, tanto que em 2008 fez um tour intitulado “Pirates and Poets” junto com o cantor country americano Kenny Chesney, ainda nesse ano lançou os singles “Open”, “Im a roll” e “Cosmic Universal Fashion” músicas do anunciado disco de 2009 “Cosmic Universal Fashion”.

Sammy Hagar formou em 2008, juntamente com baixista (e também ex-integrante do Van Halen) Michael Anthony, o guitarrista Joe Satriani e o baterista do Red Hot Chili Peppers, Chad Smith, a banda Chickenfoot (pé de galinha, em português). O grupo encontra-se atualmente em processo de gravação de um álbum que pretendem lançar no verão (no hemisfério norte) de 2009, seguido de uma turnê.

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Montrose[editar | editar código-fonte]

  • Montrose (1973)
  • Paper Money (1974)

Sammy Hagar - Albuns Solo[editar | editar código-fonte]

  • Nine On A Ten Scale (1976)
  • Sammy Hagar (1977) (The Red Album)
  • Musical Chairs (1977)
  • All Night Long (1978)
  • Street Machine (1979)
  • Danger Zone (1979)
  • Standing Hampton (1981)
  • Three Lock Box (1982)
  • Live 1980 (1983)
  • VOA (1984)
  • I Never Said Goodbye (1987)
  • Marching To Mars (1997)
  • Red Voodoo (1999)
  • Ten 13 (2000)
  • Not 4 Sale (2001)
  • Live: Hallelujah (2003)
  • Livin' It Up! (2006)

Com o Van Halen[editar | editar código-fonte]

  • 5150 (1986)
  • OU812 (1988)
  • For Unlawful Carnal Knowledge (1991)
  • Live: Right Here, Right Now (1993)
  • Balance (1995)
  • Best of Volume I (1996) - includes 'Humans Being' from the Twister soundtrack
  • Best of Both Worlds (2004) - 3 new Tracks

Com os The Waboritas[editar | editar código-fonte]

  • Red Voodoo - Sammy Hagar and The Waboritas (1999)
  • Ten 13 - Sammy Hagar and The Waboritas (2000)
  • Not 4 Sale - Sammy Hagar and The Waboritas (Oct 1, 2002)
  • Live: Hallelujah - Sammy Hagar and The Waboritas (May 2003)
  • Livin' It Up - Sammy Hagar and The Wabos (2006)

Discos ao Vivo[editar | editar código-fonte]

  • All Night Long -live (Sept. 1978)
  • Loud & Clear (March 1980)
  • Rematch (1982)
  • Live 1980 (1983)
  • Rematch And More (1987)
  • Live - Very Live In Concert (1989)
  • Red Hot! (1992) Taken from All Night Long & Live 1980
  • The Best Of Sammy Hagar (1992)
  • Unboxed (1994) #51 US
  • Anthology (1995)
  • Turn Up the Music! (1995)
  • The Best Of Sammy Hagar (1999)
  • Very Best Of Sammy Hagar (2001)
  • Classic Masters (Oct 8, 2002)
  • Greatest Hits Live! (Oct. 2003)
  • The Essential Red Collection (2004)

Com o Chickenfoot[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

  • Through The Fire - as HSAS (1984) #42 US, #92 UK