Samuel Edward Konkin III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Samuel Edward Konkin III
Nascimento 8 de Julho de 1947
Saskatchewan
 Canadá
Morte 23 de fevereiro de 2004 (56 anos)
Los Angeles, Estados Unidos da América
Ocupação filósofo e teórico agorista
Influências
Escola/tradição Anarquismo, Agorismo, Anarcocapitalismo
Principais interesses economia, politica econômica, anarquismo, direito natural.
Ideias notáveis Fundador do Agorismo e defensor da Contra-economia.

Samuel Edward Konkin III (aka SEK3) (Saskatchewan, 8 de Julho de 1947Los Angeles, 23 de Fevereiro de 2004) foi o autor do New Libertarian Manifesto (Manifesto do Novo Libertário) e um defensor da filosofia política que ele chamou de agorismo. O agorismo é uma evolução para a esquerda do anarcocapitalismo, e subconjunto do anarquismo de mercado. Na introdução do Manifesto ele creditou Murray Rothbard, Robert LeFevre, e Ludwig von Mises como influências.

Como Rothbard, no final da década de 1960 e início da década de 1970, Konkin viu o libertarianismo como um movimento da esquerda radical. Ele foi um fundador do Agorist Institute e do Movement of the Libertarian Left.

Konkin era contra o voto, acreditando este ser contra a ética libertária. Ele também se opunha ao Libertarian Party, o qual ele considerava como um opção estatal do libertarianismo.

Apresentou sua estratégia para a realização de uma sociedade libertária no manifesto mencionado. Desde sua rejeição ao voto e a outros meios pelos quais as pessoas normalmente usam para a mudança, reforma, ou lutar contra o sistema a partir de seu interior; sua abordagem necessariamente se destina a lutar contra o sistema, mas de fora. Especificamente, ele encorajava as pessoas a retirarem suas permissões por parte do estado, movendo-se para atividades dentro do mercado negro e mercado cinza, onde seriam isentas ou não regulamentadas.

Konkin foi um proponente do revisionismo histórico e embora ele, pessoalmente, tenha rejeitado a negação do Holocausto, tornou-se ativo e apoiou a Institute for Historical Review, alegando que sua liberdade de expressão estava sob ataque. Konkin é criticado no livro Anarchism: Left, Right, and Green por Ulrike Heider devido a esta posição.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

References[editar | editar código-fonte]

  1. Heider, Ulrike. Anarchism. San Francisco: City Lights Books, 1994. ISBN 9780872862890

Links externos[editar | editar código-fonte]